sábado, 22 de setembro de 2018

MEDITAÇÃO DIÁRIA Sáb, 22 – Semana XXIV do Tempo Comum

Dentro há um terreno a que podemos tirar os espinhos e as pedras. É o trabalho de uma vida, mas também é um trabalho muito bonito porque as coisas que dantes nos custavam deixam de nos custar (do ponto de vista espiritual). E vamos olhando para trás e vendo que a maior parte do nosso terreno já é terreno limpo. Hoje, peçamos a graça de termos força e habilidade para tirar as pedras do nosso terreno, para a semente ter bom terreno onde cair. 

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

MEDITAÇÃO DIÁRIA Sex, 21 – S. Mateus (Festa)

Jesus referia-Se aos sacrifícios feitos no templo, não se referia aos sacrifícios que nós fazemos. Mas vou dar ao leitor um exemplo concreto. Imagine um senhor que todas as quaresmas deixa de comer doces, que é uma coisa de que ele gosta muito. Mas nunca põe a roupa suja no cesto da roupa suja, para grande tristeza da mulher. O que é que seria um sacrifício maior? Eu acho que o sacrifício deve ser feito por amor. 

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

MEDITAÇÃO DIÁRIA Qui, 20 – SS. André Kim Taegon, Paulo Chang Hasang e Companheiros mártires (Memória)

Jesus perdoa os pecados de uma mulher. Também nós devemos perdoar os pecados das pessoas, isto é, ou «pôr água na fervura» ou não dizer mal. O Papa diz que um dos sinais de uma pessoa ser santa é não dizer mal de ninguém. A nossa vocação deve ser não deixar que as pessoas à nossa volta sejam maldizentes. Claro que é difícil calá-las. É difícil virarmo-nos para as pessoas e dizer «estejam calados». Mas, às vezes, há maneiras mais subtis de se fazer isso. O leitor seja um apóstolo de não se dizer mal. 

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

MEDITAÇÃO DIÁRIA Qua, 19 – Semana XXIV do Tempo Comum

«Veio o Filho do homem…». No fundo, os «homens desta geração» não estavam contentes com nada. Jesus fala em sabedoria. Estarmos contentes com a nossa sorte é uma grande sabedoria. De não estarmos contentes com a nossa sorte pode vir o progresso. Mas estarmos contentes com a nossa sorte é não estarmos revoltados, não estarmos zangados, não estarmos ressentidos. Estarmos em paz. Aí, já podemos sonhar com sabedoria. Peçamos a graça de sabermos sonhar com sabedoria. 

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Cinema: “Não deixeis cair em tentação” [Vídeo]

Num tempo em que os meios de comunicação têm a tendência de mencionar a religião apenas para falar de violência, radicalismo, pedofilia e escândalos financeiros, é impressionante ver um filme que interroga de maneira tão sincera a fé e o trabalho dos crentes que se dão inteiramente à sua missão. Surpreendente até ao fim, “Não deixeis cair em tentação” é um filme que tem alento: insufla delicadeza num universo quase prisional, insufla graça na mecânica corporal da oração e insufla redenção numa vida estilhaçada.

Saiba mais

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Apostolado da Oração - Peregrinação Diocesana a Fátima

O padre Dário Pedroso, jesuíta, vai presidir à Peregrinação Diocesana do Apostolado da Oração a
Fátima, que vai decorrer no próximo dia 30 de setembro, Domingo. A chegada a Fátima, com concentração dos peregrinos no Centro Pastoral Paulo VI, acontece às 10h00 e, meia hora mais tarde, a oração da manhã, no Salão do Bom Pastor. Às 11h00, tem lugar a palestra pelo padre Dário, assistente diocesano deste movimento, seguida de oração pessoal e Eucaristia, às 12h30, na Basílica da Santíssima Trindade. O almoço será entre as 14h00 e as 15h30, sendo que, às 16h00, haverá a recitação do Terço, na Capelinha das Aparições e, às 17h30, procissão Eucarística, com estandartes, no Recinto de Oração. A concentração dos peregrinos para a despedida, junto Capelinha das Aparições, acontece às 18h15.

Informações: dario@snao.pt

QUARTA-FEIRA 17 de Setembro - Adoração ao SS.mo Sacramento e Confissões na Igreja de Almoçageme às 10h00


MEDITAÇÃO DIÁRIA Seg, 17 – Semana XXIV do Tempo Comum

Hoje, na Primeira Epístola aos Coríntios, S. Paulo repete as palavras de Jesus na última ceia e acrescenta mais algumas que serão introduzidas na Missa. O que hoje proponho ao leitor é que ponha um lembrete no telemóvel para, na próxima missa de domingo (ou outra), estar particularmente atento à parte da consagração. Às vezes, estamos um bocadinho distraídos e a consagração, apesar de nos ajoelharmos (ou não), passa-nos um bocadinho ao lado. Ora, a consagração é, talvez, a altura mais importante da Missa. 

domingo, 16 de setembro de 2018

Precisamos de cristãos do sorriso, que acreditam no amor e vivem para servir

«Esta é a derrota: perde quem ama a própria vida. Porquê? Não é decerto porque é preciso ter ódio à vida: a vida é para ser amada e defendida, é o primeiro dom de Deus. O que conduz à derrota é amar a própria vida, amar o próprio. Quem vive para o próprio, perde. Pareceria o contrário. Quem vive para si, quem multiplica as suas vendas, quem tem sucesso, quem satisfaz plenamente as suas necessidades, surge como vencedor aos olhos do mundo. A publicidade martela-nos com esta ideia, todavia Jesus não está de acordo e dá-lhe a volta. Para Ele, quem vive para si não perde apenas alguma coisa, mas a vida inteira; enquanto que quem se dá, encontra o sentido da vida e vence.» (Papa Francisco)
Saiba mais

MEDITAÇÃO DIÁRIA Dom, 16 – Domingo XXIV do Tempo Comum – Ano B

Quem sou Eu para ti? Esta é a pergunta a que todos nós somos chamados a responder no concreto da nossa vida. Nas passagens anteriores, muitos se questionavam acerca de quem seria Jesus. Agora é Ele quem pergunta aos discípulos o que pensam d’Ele. Enquanto não nos fizermos esta pergunta, «quem é Jesus para mim?», ainda não começamos verdadeiramente o caminho do discípulo; ainda não percebemos nada de quem é Jesus Cristo. Começamos a compreender alguma coisa sobre o Senhor quando nos colocamos esta questão: quem és Tu para mim. 

O Papa Francisco, comentando esta passagem, disse que se conhece Jesus seguindo-O e não simplesmente pelo estudo de uma doutrina. «É uma vida de discípulo, mais do que uma vida de estudioso, que permite a um cristão conhecer realmente quem é Jesus para ele». Pedro é um destes homens que segue Jesus na sua vida. Não se fica por teorias e mete-se a caminho, seguindo Jesus. Por isso, diante desta pergunta, responde: «Tu és o Messias». Mas Jesus não lhe dá um grande elogio por ter dado esta resposta, antes repreende-os severamente para que não o digam a ninguém. 

Os discípulos, representados por Pedro, deram uma boa resposta, mas ainda não podem perceber o alcance do que acabaram de proferir. Jesus não é o Messias, o Cristo que eles esperavam. Por isso, logo em seguida, Jesus anuncia que o «Filho do Homem» terá de sofrer muito e ser crucificado. Este Salvador não estava nos planos dos discípulos, que esperavam um libertador poderoso. Para que Pedro possa compreender o que acabou de afirmar terá de fazer muita estrada com o Senhor, ver os seus milagres, escutar a sua palavra, passar por tantas incompreensões e chegar à negação de ter conhecido Jesus. Neste momento da negação, Pedro aprendeu, como diz o Papa Francisco, «a difícil sabedoria das lágrimas». 

Esta pergunta que o Senhor hoje nos coloca não é teórica. Não podemos chegar a uma resposta desligando-a da nossa vida concreta. Pedro só poderá compreender a resposta que deu depois de um longo percurso de pecado e perdão, até descobrir o rosto misericordioso de Deus que é Pai. Somos chamados a seguir Jesus, é certo, com as nossas virtudes, mas também com os nossos pecados. Com tudo aquilo que constitui a nossa verdade. Nada pode ser excluído. 

É necessário um encontro com o Senhor no nosso quotidiano, no comum da nossa vida, isto é, somos todos convidados a deixá-Lo entrar nas nossas alegrias e nas nossas tristezas, nas nossas vitórias e nas nossas derrotas; deixá-Lo entrar naquilo que gostamos em nós e naquilo que preferíamos não ver em nós. 

Conhecer Deus é, sem dúvida, um dom do Pai, ação do Espírito Santo em nós, mas requer da nossa parte um seguimento concreto de uma pessoa concreta que é Jesus Cristo. Não basta saber coisas sobre Ele, é preciso que a nossa vida vá, a pouco e pouco, sintonizando com a vida de Cristo. Então compreenderemos o que significa dizer: «Tu és o Messias». 

sábado, 15 de setembro de 2018

MEDITAÇÃO DIÁRIA Sáb, 15 – Nossa Senhora das Dores (Memória)

A fé em Nossa Senhora é uma fé maravilhosa. Outro dia, alguém comentava comigo que uma pessoa com uma vida desregrada vai a Fátima. Há em Fátima algo que atrai as pessoas, mesmo as que andam afastadas da religião, como é este caso. Não sei o que é que essa pessoa vai lá fazer. Talvez veja Nossa Senhora como uma mãe que tudo compreende. (O que é diferente de tudo aprovar.) Talvez vá pedir para não ir para o inferno. Talvez vá pedir conselho. Talvez… Talvez. Rezemos pelos grandes pecadores que vão a Fátima. 

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Conferencia na Igreja da Misericórdia de Colares

Sexta-feira - 14 de Setembro - 21h30

'O Mal' com Maria Cortez Lobão, mãe de 8 filhos, formou-se em Teologia e escreveu o seu mestrado sobre este tema.

QUINTA-FEIRA 13 de Setembro - Adoração ao SS.mo Sacramento na Igreja da Azoia às 15h00.

MEDITAÇÃO DIÁRIA Qui, 13 – S. João Crisóstomo (Memória)

Se o leitor pedir a Deus que Se comunique consigo, vai ver que alguma coisa acontecerá, se é que não aconteceu já. Depois, o problema pode ser o leitor querer saber se «aquilo» foi Deus ou não. Isso consegue-se com a experiência. As dúvidas talvez nunca desapareçam ou talvez desapareçam completamente. O leitor verá. Não é preciso ser santo para isto acontecer. Hoje, o leitor reze para que Deus Se comunique consigo