quinta-feira, 22 de junho de 2017

Oração pelo eterno descanso dos falecidos

ORAÇÃO & VIDA INTERIOR


Unamo-nos em oração pela alma de quem foi chamado à eternidade

ORAÇÃO PELOS FALECIDOS

Pai Santo, Deus Eterno e Todo-Poderoso,

nós vos pedimos por aqueles

a quem chamastes deste mundo.

Dai-lhes a felicidade, a luz e a paz.

Que eles, tendo passado pela morte,

participem do convívio de vossos santos na luz eterna,

como prometestes a Abraão e à sua descendência.

Que a sua alma nada sofra,

e vos digneis ressuscitá-los com os vossos santos

no dia da ressurreição e da recompensa.

Perdoai-lhes os pecados,

para que alcancem junto a Vós

a vida imortal no Reino eterno.

Por Jesus Cristo, Vosso Filho,

na unidade do Espírito Santo.

Amém.

(Rezar Pai-Nosso e Ave-Maria)

Dai-lhes, Senhor, o repouso eterno

e brilhe para eles a vossa luz! (3 vezes).

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Conferência Episcopal Portuguesa

17-05-27e28 Peregrinação Paroquial a Fátima

Ver album:

Penedo - Sexta-feira 23 de Junho - 21h00

Colares - Sexta-feira 23 de Junho - 19h00


17-06-15 20º Aniversário Ordenação Pe José António

 
ver fotos:

quinta-feira, 15 de junho de 2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017

4 sinais para saber se o seu trabalho na Igreja é por amor a Deus ou por vaidade

Uma reflexão curtinha e fantástica: Santo Afonso Maria de Ligório vai direto ao nosso coração

Primeiro: quem age só para Deus não se perturba em caso de fracasso, porque Deus não querendo, ele também não quer.
Segundo: alegra-se com o bem que os outros fazem, como se ele mesmo o tivesse feito.
Terceiro: sem preferências para trabalhos, aceita de boa vontade o que a obediência lhe pede.
Quarto: tendo cumprido o seu dever, não fica à espera de louvores nem aprovações dos outros. Por isso, não fica triste se o criticam ou desaprovam, alegrando-se somente em ter contentado a Deus. Se, por acaso, recebe qualquer elogio do mundo, não se envaidece, mas afasta a vanglória, dizendo-lhe: Segue o teu caminho, chegaste tarde porque o meu trabalho já está dado todo a Deus.
(Santo Afonso Maria de Ligório, em “A Prática do amor a Jesus Cristo”)