domingo, 1 de março de 2015

Jesus, conhece a transfiguração

Oração e transfiguração: Meditação sobre o Evangelho do 2.º Domingo da Quaresma
O Evangelho deste Domingo coloca-nos em guarda: Jesus não pode ser a projeção dos nossos desejos mas é o Jesus Cristo segundo as Escrituras, e para o conhecer é preciso escutar, meditar e rezar a Palavra contida em toda a Escritura. Tudo isto tendo consciência de que a oração não nos dispensa do esforço quotidiano da obediência a Deus através de Jesus Cristo, ou seja, do cumprimento da nossa vocação pessoal.
Foto: Transfiguração | Sandro Botticelli | D.R

Do coração de Deus ao coração da família e do mundo

Proposta para a vivência em família da Quaresma e Páscoa 2015

Workshop SANTA TERESA D`ÁVILA

ORGANIZADO PELA FACULDADE DE TEOLOGIA DA
UCP

Dias: 6 a 7  de março de 2015

Inscrições: até 5 de março de 2015.

Pedimos a divulgação desta iniciativa, reenviando este «e-mail» para os seus contactos.

Gratos por toda a colaboração,

A Coordenação do Workshop

Armindo dos Santos Vaz

Teresa Messias

Para mais esclarecimentos consulte a página www.ft.lisboa.ucp.pt 

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Igreja/Portugal: A «beleza de Deus» na Bolsa de Turismo de Lisboa 2015

Expositor da Igreja Católica Mostra Destinos em Portugal EO Comissariado da Terra de Santa


Lisboa, 23 fev 2015 (Ecclesia) - A Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT), da Conferência Episcopal Portuguesa, vai Participar na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) 2015, Entre 25 de fevereiro e 1 de março na Feira Internacional de Lisboa.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a ONPT Revela Que Tem o Objetivo de dar a conhecer "AOS Profissionais do sector e ao Público em Geral A SUA" Preocupação "relativamente a este tema EO Trabalho Desenvolvido Pará Mostrar Que o turismo also permite" Mostrar / conhecer a Beleza de Deus ".

No Espaço da Obra Nacional da Pastoral do Turismo OS Visitantes Vão ter Acesso a Diversos materiais informativos Sobre as Ações desenvolvidas Pela Igreja Católica no Âmbito fazer "turismo, património e cultura".

Nesta edição also de associaram de forma "mais significativa" As Catedrais de Braga, de Santarém, EO respetivo museu diocesano, eA Catedral de Évora, como SES Nova e Velha de Coimbra, Os Santuários de Fátima e do Cristo Rei OE Comissariado da Terra de Santa em Portugal.

This E a Terceira vez that uma Estar representada Igreja Católica Portuguesa vai na "mais Importante feira de turismo do país", Que este ano se Realiza Entre 25 de fevereiro e 1 de março na Feira Internacional de Lisboa, acrescenta a ONPT .

Os Horários e Preços de Entradas poderão Ser consultados no sítio oficial da Bolsa de Turismo de Lisboa, em http://www.btl.fil.pt

CB

A CHATA DE NOVO COM O DESERTO DA TENTAÇÃO- MARCOS 1,12-15

Cá estou de novo! Chata sim...!
O Evangelho deste domingo (22.02) é perturbador: Jesus após o Seu Batismo  dirige-SE para o deserto impelido pelo Espírito Santo. Vai para o deserto durante 40 dias (a Quaresma vivida pela Igreja Católica é 40 dias - à semelhança!), PARA VENCER A TENTAÇÃO!
O deserto e a tentação apresentam-se hoje, em sentido figurado, às realidades humanas, revestindo-se, com as formas da nossa cultura, da nossa economia e religião; muitas vezes ao sabor do nosso gosto.
O deserto habita muitas vezes no coração humano e na sociedade, desvitalizando as relações sociais, o isolamento e a solidão. Vão aumentando, o individualismo egoísta e não solidário crescendo, às vezes, aterradouramente..... Mas o deserto é também espaço de vitória. Tantos homens e mulheres de boa vontade fazem da sua caminhada uma estrada de solidariedade, um tempo de partilha de bens e de atenção ao outro... um tempo de esperança.... um tempo de conversão e anuncio do Reino que está próximo.
Jesus vence a tentação.... Estamos de passagem por esta terra, mas a meta já começa a vislumbrar-se... Jesus rasga-nos horizontes ao vencer a tentação... Jesus aponta-nos caminhos... Trás-nos a BOA NOVIDADE! Delegou-nos a vontade do Pai que está nos céus....
Ofereceu-a a todos nós com a sua própria VIDA.... deu-Se de AMOR! Jesus veio habitar entre nós para nos dizer que Amar é possível.... Ele exemplificou!
Jesus, nesta Quaresma ajuda-nos a estar atentos, maravilhados com a Tua Pessoa, para que possamos, à Tua semelhança, caminhar para a meta, a qual Tu já a viveste na Tua Pascoa.
É com os olhos postos na
Tua Ressurreição, que quero viver a Alegria da Tua Pascoa.
Um abraço, ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

A CHATA EM TEMPO DE INICIO DE QUARESMA

Olá, amigos! para vós o desejo de óptimo início de semana, na Paz de Cristo, nossa Pascoa.
Ao iniciar este tempo de alegre meditação (própria da quadra, mas  válida a qualquer tempo), não quis deixar de partilhar convosco umas palavrinhas (muitas...!) que me puseram a pensar e achar que eram  enriquecedoras para todos nós, pelo menos  abrem-nos pensamentos....
Claro que não são minhas, mas do Padre José F. Rodrigues e aqui vão:
"Tu porém...
É assim que Jesus ensina os discípulos  a fazerem coisas à maneira de Deus. Tu, porém, quando jejuares.... Tu porém quando rezares...
As religiões monoteístas têm estas três atitudes ascéticas: o jejum, a oração e a esmola, que no específico, como a Quaresma.
Podemos considera-las  acessórias, que o são. Deus não quer que passemos a vida em jejuns, orações e esmolas VAZIAS de sentido. No ofício de Leituras de hoje, ouvimos a passagem de Isaías (58,1-12) em que Deus critica  os cumpridores de jejuns que não passavam de rituais exteriores e apressados. E diz que o jejum que Lhe é agradável consiste em acabar com as injustiças, partilhar o pão com quem o não tem, vestir os nus, não voltar as costas ao nosso semelhante...
O que escutámos no Evangelho e que a Igreja tomou como caminho de Quaresma é útil para nós e não para Deus. Se o fazemos, é para nós. Para que tiremos proveito, Jesus quer que, quando fazemos estas coisas, elas aconteçam não como formas de assumirmos protagonismo diante de Deus e dos outros, mas com humildade, segredo e discrição.
A Quaresma é o tempo do reconhecimento da importância de Deus na nossa vida. De que ainda somos  muito superficiais, de que ainda nos falta caminho para percorrer, de que neste caminho ainda temos muita carga supérflua, a começar pelo nosso feitio, pelas nossas murmurações, pelo nosso mau olhar sobre os outros e sobre o mundo.
Jesus criticou o farisaísmo dos rituais e de quem os cumpre. Mas também nos deu a entender, por palavras e acções, que não podemos passar a vida a relativizar tudo; e que antes de questionarmos os outros devemos fechar-nos no nosso quarto e questionar-mo-nos a nós próprios. Jesus indicou um caminho, que não é o mais espaçoso, mas o mais apertado. Indicou uma porta, não a porta larga, mas a porta estreita, pediu-nos que tirássemos o argueiro do olho do próximo, mas depois de tirarmos a trave que está nos nossos olhos (nada que já não soubéssemos mas pouco fazemos, digo eu por mim..!) 
É tempo, então, de trocarmos a maledicência e as murmurações pela oração; então ela será mais benéfica e mais autêntica. Troquemos a ambição e a concorrência desleal pelo jejum; então sentiremos que a pobreza voluntária é uma riqueza. Troquemos os nossos interesses e o nosso consumismo pela gratuitidade de esmolas. Então sentir nos emos todos irmãos, e responsáveis uns pelos outros.
Quaresma é tomarmos consciência de que não somos nós o nosso critério - Deus é que é o nosso critério porque n'Ele vivemos, nos movemos e existimos, como diz um dos prefácios da Liturgia.
A Quaresma não é necessariamente um tempo de tristezas. Porque é um tempo novo, tem a dimensão da alegria: a alegria de acolher a misericórdia de Deus, a alegria de nos reconciliarmos com Deus e com os irmãos, a alegria de perdoarmos e sermos também perdoados, a alegria da conversão, a alegria da coragem de mudarmos de vida para que ela seja autêntica e mais de Deus."- Frei José F. Rodrigues - prior do Convento de S. Domingos e colaborador com a Paróquia do Campo Grande.
Foi grande a partilha, por isso, vos desejo uma semana na alegria deste tempo de conversão (todo o tempo é): "Arrependei-vos e acreditai no Evangelho"- Palavras de Jesus
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

- Pastoral Familiar e catequética: 1º domingo da Quaresma:

 símbolo - Areia e pedras.
Cria-se um pequeno deserto no espaço de oração. Actividade: Ir ao deserto é encontrar-:mo-nos com Deus longe das distrações que marcam o nosso dia-a-dia. Esta semana a proposta é que a família se reúna à volta do espaço do deserto que criou e possa estar um tempo (por ex.2 min) a fazer uma oração silenciosa


.

Pagela do D. Manuel Clemente - Cardeal Patriarca de Lisboa

domingo, 22 de fevereiro de 2015

1º domingo da Quaresma – Ano B

Evangelho – Mc 1,12-15

Comentário breve
O tema da Aliança é a primeira das cinco catequeses que serão apresentadas nesta Quaresma (Ano B). A temática remete para a fidelidade de Deus na «História da Salvação»: Deus não quer a «destruição» mas a vida. 
O arco-íris surge como o sinal da aliança estabelecida entre Deus e a terra (primeira leitura). O ser humano, para ser fiel à aliança, apoia-se na bondade divina, nas «graças que são eternas» (salmo). Pedro explica que há continuidade entre a antiga e a nova aliança realizada em Jesus Cristo (segunda leitura). E o episódio do evangelho mostra Jesus Cristo já vencedor de Satanás, vencedor do mal. 
A Quaresma é uma oportunidade para «abrir o ouvido do coração» para «escutar a melodia do presente»: «o desafio é atirar-se para os braços da vida e ouvir aí o bater do coração de Deus. Sem fugas. Sem idealizações» (José Tolentino Mendonça).
No texto do evangelho deste domingo Marcos apresenta o acontecimento de Jesus no deserto como o resumo da sua vida
Os Espírito, que havia descido no baptismo, "impeliu Jesus para o deserto". Portanto não é iniciativa sua.
É o Espírito de Deus que desloca até o colocar no deserto: a vida de Jesus não vai ser um caminho fácil. Pelo contrário, esperam-no dura provas, insegurança e ameaças.
Contudo, o deserto é, ao mesmo tempo, o melhor lugar para escutar, em silêncio e solidão , a voz de Deus.
No deserto, Jesus "era tentado por Satanás". Nada se diz sobre o conteúdo, apenas de quem provem, o adversário que busca a ruína do ser humano, destruindo o plano de Deus. Não volta a ser nomeado, nesta livro, mas Jesus vê a sua actuação em todos aqueles que o querem desviara da sua missão, incluindo Pedro.
Este brevíssimo relato termina com imagens de forte contraste: vive com os "animais selvagens", mas os "Anjos serviam-n’O". As feras, os seres violentos da criação, evocam os perigos que ameaçarão sempre Jesus e o seu projecto. Os anjos, os seres bons da criação, evocam a proximidade de Deus que abençoa, cuida e defende Jesus e a sua missão.
O cristianismo vive hoje momentos difíceis. A olhar para os estudos sociológicos, falamos de crise, de secularização, de repulsa por parte do mundo moderno... 
Talvez, a partir de uma leitura de fé possamos colocar as questões de modo diverso. Não será Deus a impelir-nos para este deserto? Não estaríamos a precisar disto para nos libertarmos de tanta vanglória, poder mundano, apego ao dinheiro, falsos êxitos, etc? Nunca nós escolheríamos estes caminhos.
Esta experiência de deserto, que vai crescer, podes ser vista como um tempo de graça e de purificação que haveremos de agradecer a Deus porque Ele continuará a cuidar do seu projecto. Pede-nos que, com lucidez, recusemos as tentações que nos podem desviar uma e outras vez da conversão a Jesus Cristo.
A conversão verdadeira não é algo triste, não é renunciar a viver, mas, precisamente, o contrário, aprender a viver de uma maneira mais sadia, com mais amor, com mais verdade, com mais alegria interior, com maior gratidão
Deus fez-se próximo, quer dirigir a nossa vida, por isso, não tenhamos medo de nos abeirarmos d'Ele tal qual somos.
Acreditando neste boa notícia, começaremos a realizar a mudança.
Por que não começar a viver este tempo da Quaresma, dando mais espaço a Deus na nossa vida pessoal e familiar?

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Curso sobre Santa Teresa d`Ávila - Faculdade de Teologia, Universidade Católica Portuguesa

«NADA TE TURBE…». NO V CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE SANTA TERESA D`ÁVILA»
  CURSO ORGANIZADO PELA FACULDADE DE TEOLOGIA DA UCP

De 9 de março de 2015 a 27 de junho de 2015, decorrerá a 1ª edição do Curso.

Inscrições: de 9 de fevereiro a 6 de março de 2015.

Pedimos a divulgação desta iniciativa, reenviando este «e-mail» para os seus contactos.

Gratos por toda a colaboração,

A Coordenação do Curso

Armindo dos Santos Vaz

Juan Francisco Ambrosio

Para mais esclarecimentos consulte a página www.ft.lisboa.ucp.pt  (Ensino a Distância)

Mensagem Quaresmal do Cardeal-Patriarca de Lisboa

18 de Fevereiro de 2015     » Ler mais
Misericórdia, a alma da Quaresma

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Igreja de Colares às 21h00 - Agenda para hoje

- QUINTA-FEIRA: Reflexão sobre o Apostolado da Oração, Adoração ao SS.mo Sacramento e reflexão sobre a Quaresma, com o Pe. Dário Pedroso

Vamos saudar o novo Cardeal - Patriarca de Lisboa

Neste Domingo, dia 22 de fevereiro, às 17h00, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, vai decorrer a 1ª Catequese Quaresmal, proferida pelo novo Cardeal-Patriarca de Lisboa. No final desta celebração de ação de graças pela elevação ao cardinalato de D. Manuel Clemente, haverá uma apresentação de cumprimentos. Em carta enviada ao clero, congregações, institutos religiosos e movimentos laicais, D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa, convida toda a Igreja diocesana a participar na celebração. “O que pretendemos com esta celebração é uma experiência de comunhão familiar ao nível diocesano”, salienta a nota.
Este momento terá transmissão online, em direto, através do site do Patriarcado de Lisboa

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Workshop: SER FELIZ

O Instituto Diocesano da Formação Cristã vai realizar o Workshop Ser Feliz em três sessões e com início no próximo dia 24 de Fevereiro.
Em qualquer tempo e circunstância, toda a pessoa busca o sentido da vida que conduza a ser feliz.
Promover o ser feliz é desafio e oportunidade, para cada um e para o outro, na senda do Caminho, da Verdade e da Vida.
Para alguns, a alegria do Evangelho poderá ser descoberta ou aprofundada a partir da busca de ser feliz.
Na caminhada sinodal, este primeiro «workshop» em três sessões semanais, terças-feiras das 18 às 20 h., pretende ser ocasião para que pessoas que cuidam - educadores, profissionais de saúde, animadores sociais e juvenis (profissionais e voluntários), etc. – reflitam e dialoguem sobre o ser feliz.

Tópicos preconizados para reflexão e debate

24 de Fevereiro:  Ser feliz.
Significados e abordagens conceptuais.
Expressões e indicadores.

3 de Março: Condicionantes ao ser feliz.
Destrinça entre fatores condicionantes e determinantes.
Fatores de risco e de proteção.
Fatores ambientais.
Fatores pessoais.

10 de Março: Experiência de ser feliz
Infelicidade versus não felicidade.
Eu e os outros. Os outros e eu.
Circunstâncias: atitudes e comportamentos. Sentimentos: reacções e comportamentos.
Liberdade e felicidade.
Gestão do prazer.

Facilitadores:
José Luís Castanheira (Médico, professor de Saúde Pública)
António Janela (Cónego, Diretor do IDFC)

Local:
Instituto Diocesano da Formação Cristã -Patriarcado de Lisboa,
Igreja do SS Coração de Jesus,
Rua Camilo Castelo Branco, nº4 (ao Marquês de Pombal),

Para mais informações e inscrições, contacte-nos para:  idcf.pl@gmail.com  

Custo de inscrição: 
Cada série: contributo mínimo:10 €; recomendado: 30 €.

Contamos com a sua presença!
Cón. António Janela

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Destaques da Semana

- QUARTA-FEIRA: de Cinzas: Dia de jejum e abstinência. Missas com imposição de Cinzas em Almoçageme às 9h30 e em Colares às 19h30,
- QUINTA-FEIRA: Reflexão sobre o Apostolado da Oração, Adoração ao SS.mo Sacramento e reflexão sobre a Quaresma na Igreja de Colares às 21h00, com o Pe. Dário Pedroso
- SEXTA-FEIRA: Via Sacra na Igreja Paroquial às 18h00. (todas as Sextas-feiras da Quaresma)

A Fé Católica