quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

2015: Santuários de Fátima e do Cristo-Rei marcam «réveillon» com oração, fogo-de-artifício e gesto da paz
Lisboa, 30 dez 2014 (Ecclesia) – Os santuários de Fátima e do Cristo-Rei (Almada) vão promover esta quarta-feira, último dia de 2014, uma passagem de ano composta por muita oração, fogo-de-artifício e também um gesto da paz.
O “réveillon” no Santuário do Cristo-Rei começa às 22h00, com uma “missa vespertina de Ano Novo”, seguida de adoração eucarística.
Quinze minutos antes das 12 badaladas, o local de culto propõe a todos quantos se quiserem associar à festa um momento de louvor e agradecimento a Deus, com a proclamação do “Te Deum”, um dos mais antigos hinos litúrgicos, tradicionalmente cantado em celebrações solenes de ação de graças.
A entrada em 2015 vai ser feita depois ao ritmo de um fogo-de-artifício, lançado a partir do miradouro do santuário.
O evento prolonga-se até às 2h00, com um lanche partilhado na cave do Edifício de Acolhimento daquele local de culto.
Haverá “bolo-rei, champanhe e chá” à disposição das pessoas e “quem poder pode trazer algo para partilhar”, refere o programa do santuário.
Aqueles que tiverem bolos, bebidas ou outros produtos alimentares para partilhar no lanche-convívio deverão entregá-los no Edifício de Acolhimento até às 21h45, ou então no final do fogo-de-artifício.
Em Fátima, o fim de ano vai ter como destaque um “gesto da paz” e a “consagração” de 2015 “ao Imaculado Coração de Maria”, animada pelo toque dos sinos da Basílica da Santíssima Trindade.
Antes disso, o santuário mariano celebra às 22h00 uma eucaristia com “Te Deum”, que será seguida de procissão para a Capelinha das Aparições e da recitação do rosário.
A noite terminará às 00h30 com um “chá-convívio” na Casa de Retiros de Nossa Senhora das Dores.
Em Évora, a Pastoral Juvenil da diocese promove uma passagem de ano "diferente" para os jovens, no mosteiro de Campo Maior.
JCP/OC

- Destaques -

- QUARTA-FEIRA: Missas Vespertinas da Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus - no Mucifal às 19h00 e nas Azenhas do Mar às 22h30 seguida de Adoração ao Ssmo. Sacramento.
- QUINTA-FEIRA: Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus - Missas em Almoçageme às 10h30 e em Colares às 12h00 e 19h00.
- SEXTA-FEIRA: 1ª do mês Adoração ao SS.mo Sacramento e confissões em Colares às 18h30 e Missa às 19h00.

O Evangelho das imagens 31.12.2014 - João 1, 1-18

No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus.

No princípio, Ele estava com Deus. Tudo se fez por meio dele e sem Ele nada foi feito.

Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas e as trevas não a receberam.
Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João. Veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos acreditassem por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.
O Verbo era a luz verdadeira, que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem. Estava no mundo e o mundo, que foi feito por Ele, não o conheceu. Veio para o que era seu e os seus não o receberam.
Mas àqueles que o receberam e acreditaram no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus. Estes não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
E o Verbo fez-se carne e habitou entre nós. Nós vimos a sua glória, glória que lhe vem do Pai como Filho Unigénito, cheio de graça e de verdade.
João dá testemunho dele, exclamando:
«Era deste que eu dizia: “O que vem depois de mim passou à minha frente, porque existia antes de mim”».
Na verdade, foi da sua plenitude que todos nós recebemos graça sobre graça. Porque, se a lei foi dada por meio de Moisés, a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.
A Deus, nunca ninguém o viu. O Filho Unigénito, que está no seio do Pai, é que o deu a conhecer.

Papa denuncia «mentira» de quem defende que «vidas gravemente afetadas pela doença não mereceriam ser vividas»
«Sabedoria do coração é sair de si ao encontro do irmão. Às vezes, o nosso mundo esquece o valor especial que tem o tempo gasto à cabeceira do doente, porque, obcecados pela rapidez, pelo frenesim do fazer e do produzir, esquece-se a dimensão da gratuitidade, do prestar cuidados, do encarregar-se do outro.»

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

A CHATA EM FIM DE ANO, CHATEIA MESMO

Hoje, sentada frente à janela da sala, consigo ver as lindas pinceladas com que Tu, Deus, conseguiste pintar o nascer do sol, que parece um pouco mandrião em querer se mostrar.
É então, que me dou comigo a pensar nesta enorme FAMÌLIA que vamos abraçando por estes caminhos que percorremos.  
Eu já tinha uma família, nasci nela e nela aprendi a crescer, bem, outras vezes, menos bem, produto dos valores transmitidos por aqueles que por mim passaram e que eu assimilei, ou nem por isso. Descobrimos, neste caso descobri, que há uma escolha... a escolha do que queremos e que mais tarde, será muitas vezes, o que somos.
Duas pessoas, cada qual de suas famílias, transportando sentimentos e tradições diferentes.... Assim era eu, menina e moça, pensando pronta para ser crescida e lá vamos para o matrimónio.... Eu e ele, o meu marido! De duas famílias nasce mais uma... que vai começar a crescer.....
Da nova família, fruto da união de amor (aqui para nós, às vezes "esquecido" pela nossa condição humana) nascem 2 rebentos lindos e amorosos (sou a mãe claro!). Estes rebentos, confiados, por Deus à nossa protecção, cá vão crescendo e mais tarde são mais duas famílias (amorosas!) a juntar às que já são e às quais nunca deixarão de pertencer, como um entrelaçado de vidas que se cruzam.... que se amam!...
E então.... vejo, no entanto que a minha família não se limita só a estes membros. Ela estende-se não só pelos avós, pais, marido, filhos e netos, mas é alargada aos tios, primos e aos mais amigos e aos menos amigos. Claro que isto só é possível, porque TU, meu Deus, Único e Trino de Amor, sempre estiveste presente nas nossas vidas desde o momento que os nossos pais nos conceberam no seio das nossas mães, colaborando contigo no grande PLANO DA CRIAÇÃO.
Reconheço que sou uma ÚNICA família, reunida em Cristo, apesar de tantos e diferentes que chegam todos os dias ao meu dia a dia! A todos queria abraçar e amar, mas muitas vezes as minhas fragilidades superam este meu querer.... não passando o queria para o quero. Não é uma questão de tempo verbal, é sim, uma questão do tempo do meu coração, que muitas vezes se fecha ao outro, a qualquer outro (às vezes, muitas à família nuclear).
Por isso, neste final de ano, a todos os meus familiares amigos e amigos familiares eu quero agradecer toda vossa compreensão e ternura que tem para comigo, a chata. Agradece-vos e peço perdão por todas as vezes que contaram comigo e eu não estava disponível, por não ter estado atenta, por não ter querido, ou simplesmente atarefada de mais, para que tudo corresse bem, me esqueci de vós. 
Desejo-vos um Ano 2015, cheio das maiores bênçãos de Deus, com muita Paz e Amor, com a CARIDADE que só Ele tem para nos oferecer.
E agora, como diz o povo (e não só... mas também Jesus), os últimos são os primeiros.
Como não podia deixar de ser: TU ÉS o primeiro. Eu Te louvo Senhor por toda a Tua Criação e Te agradeço todos aqueles que pões no meu caminho. Ajuda-me a ser para eles a pequenina luzinha do testemunho do Teu infinito Amor e perdoa-me por Te ter esquecido, tantas vezes no outro.
Com uma saudação fraterna em Cristo nossa Pascoa, nesta quadra celebrado Menino, vos deixo neste Ano Velho que vai virar, numa fracção de segundo, em ANO NOVO, que ele seja para vós um ANO de ESPERANÇA e PAZ,

ana saldanha(elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

sábado, 27 de dezembro de 2014

A CHATA vem chatear-vos

Acabo de comprar pãozinho quentinho, no forno da Carlota, para os meus queridos dorminhocos e sigo para a mercearia da Zélia para ir buscar o leitinho... mas... eram 07.50 h e a Zélia estava fechada.
Como não  gosto de perder tempo à espera, dirigi-me à Praia.
Só eu e Tu, Senhor. Mais ninguém! O mar baloiçava ao sabor das ondas que teimavam em quebrar o longo silêncio do mar... lá ao fundo as amigas gaivotas estavam reunidas, mais uma vez, e outras mais além iniciavam o seu percurso de voo.
Como eu gostava, Senhor, de ir com elas... e o meu imaginário passa-se e inicia o voo... Voar mais alto e mais alto até tocar com meus braços no céu... sem fronteiras ou alfândegas... sinto-me livre! Voar mais e mais até  tocar-Te... então, caí na real e aterro na areia... sorriu e vejo as horas 8.15h. Já não vou à Zélia... prefiro ficar mais alguns minutos a contemplar o vaivém das ondas... como me fascinam e me tornam perto de Ti! Fecho os olhos...
E vem-me à ideia "No principio... o Espírito movia-se sobre a superfície das águas. "...(Génesis 1 )....  Relato  da Criação que mais parece um poema!...
Obrigada, Senhor, por este bocadinho de minutos em que Te pude sentir... Através do mar... do imenso mar... amigo que me transmite tranquilidade ao meu ser... de olhos fechados saboreio o momento... de paz! E lembro quão pouca paz entre nós, tão pouca paz entre os Homens da Tua Criação. ...
Vem-me à  memória aqueles homens e mulheres que vivem e levam a terras distantes do oriente a Tua mensagem de Luz e Paz… AMOR! E são  eles que hoje Te trago.... Da-Lhes a força  para continuar. … Peço - Te,  para eles, a presença do Espírito Santo. Como ontem eles são os perseguidos e o Teu rosto. ... Como Tu, Jesus, pagam com a vida e a  dignidade, o preço da fidelidade ao seu Deus.... !
E onde deixei eu, Senhor, o meu testemunho? Como Te testemunho eu neste país onde a liberdade de ideais é possível?...
Vejo as horas... E volto para o meu dia.
Graças Senhor Te dou, pelos meus amigos, que perderão algum do seu tempo a ler estas linhas que são a expressão que me vai na alma. 
Saudações fraternas em Cristo,
Ana Saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

- Pastoral da Cultura -

«Viver como cristão», em vez de «pensar como cristão e viver como pagão»: Apelo do papa no dia do primeiro mártir da Igreja
Com o seu martírio, Estêvão honra a vinda ao mundo do rei dos reis, dá testemunho dele e oferece o dom da sua própria vida, como fazia no serviço aos mais necessitados. E assim nos mostra como viver em plenitude o mistério do Natal.  A coerência cristã é uma graça que devemos pedir ao Senhor. Ser coerentes, viver como cristãos, e não dizer «sou cristão» e viver como pagão. A coerência é uma graça a pedir hoje.
Leitura: “Arrependei-vos e acreditai no Evangelho”
«Um instrumento muito bom para acompanhar o ano litúrgico na preparação da celebração e para, depois, continuar em casa o aprofundamento que vai proporcionar uma constante renovação na vida do cristão.» É com estas palavras que o padre Vítor Feytor Pinto, responsável pela paróquia do Campo Grande, em Lisboa, apresenta o livro “Arrependei-vos e acreditai no Evangelho”. Leia um excerto, centrado nas leituras bíblicas proclamadas nas missas do próximo domingo.
clique nos títulos para ler mais

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

A CHATA em tempo de Natal


Olá, bom dia! Como foi o Dia de Natal! E este Tempo de Natal como está a ser?
Hoje, 26, é o dia depois... Depois da celebração do nascimento de um Menino  que  é muito especial : Ele é o meu Deus que desceu à terra para comigo, connosco, estar. Hoje, junto ao mar, passo por mim um "vídeo" do que foi ontem e as 4 semanas de preparação (Advento) para este dia e, confesso que, em algumas partes, não gostei...... Às vezes atarefada demais, dei demasiado do meu tempo a coisas de menor importância, esquecendo o essencial deste tempo natalício (Que devia ser sempre). Muitas vezes deixei-me superar pelo factor exterior e, nessas imagens, pergunto onde Te deixei, Menino do Presépio? Procuro reconhecer-Te.... Apenas numa ténue sombra escondida numa prendinha comprada com o desejo de fazer um amigo contente Te posso  sentir.... Mas a Tua prenda, reconheço, onde a comprei? Onde a deixei? Cheguei ao Teu Presépio e que Te levei? Nada que se possa comprar, eu não estou à venda.... Tu só me querias a mim e isso eu não tinha embrulhado.... Não tinha comprado!... Ali estava de mãos vazias frente ao Teu imenso Amor.... Mais um ano tinha passado e onde  deixei o embrulho com a minha mudança para Te dar de presente?...
Oh querido Menino! Mais uma vez..... De mãos vazias!
É verdade que Te contemplei na Tua infinita humildade e, na minha pequenez ,Te segredei baixinho: - Obrigada por tão grande Amor, pela Vida que me  ofereceste  e que constantemente a renovas em mim .  Perdoa-me  todas as vezes que a recuso .
E hoje,  Jesus, qual é o presente ,depois do passado, que Te posso oferecer? Reconheço  que só te posso pedir ajuda.
Por isso, por Tua intersecção, peço ao nosso Pai, Deus de infinita misericórdia, que guie os meus passos  para que possa construir caminhos de Paz; que me ensine a estar em paz comigo mesmo e a construí-la com o meu irmão, mesmo que, em campos opostos. Pai traz a Paz a toda a minha família e a todos os que amo;  faz com que a Paz do Teu Filho aconteça no coração de cada homem. Pai a Paz é urgente!
Vou acabar a escrita, ficando no entanto a pensar que a Paz é difícil, mas não impossível!....
Para todos vós, que tendes paciência para me ler, que a Paz passe de mão para mão, como o rio corre para o mar.
Com uma saudação em Cristo,
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

A CHATA em Noite de Natal


Esta noite festejamos o nascimento do DEUS MENINO. Alegria! A Virgem deu-nos o Salvador!
Jesus nasce para que eu possa nascer! Nascer novo e diferente...
Olhando aquele Menino no presépio, percebo que é Deus que nasce. Nasce no coração de quem estiver disponível e O quiser receber . No coração ....no meu coração..... No teu coração!
Olhando para aquele Menino compreendo que o único legado que preenche toda a Humanidade é este Menino... Ser como este Menino!
Em cada ano, diante aquele Menino do presépio, sinto abrir-se em mim como que um vazio nos pensamentos, nas palavras e na razão. Não sei entender ... está para alem de mim, o facto de um Deus que se fez Homem.... Um Deus que também é humano..... Como eu.... como tu!
Os olhos daquele Menino são os olhos de Deus , a fome daquele Menino é a fome de Deus, (tem fome de nós, do nosso amor) , e os braços que se estendem para a Sua mãe  são os braços de Deus que se estendem para me abraçar.
Sinto o meu coração leve... Este Deus da Criação ama- me... Espera por mim... Fecho os olhos... Tento apenas fazer silêncio, contemplar, fixar os olhos daquela criança indefesa, deixando-me encantar por um Deus que se fez carne, que continua agora , como sempre, ontem, hoje e amanhã a fazer -se vida em cada um de nós! E... tudo por AMOR!
Partilho convosco a parte  final de um poema de José Tolentino Mendonca ( padre, meu professor na Católica):
..." O Presépio somos nós.
É dentro de nós que Jesus nasce.
Dentro da alegria e da nudez do tempo.
Dentro do calor da casa e do relento imprevisto.
Dentro do declive e da planura.
Dentro da lâmpada e do grito.
Dentro da sede e da fonte.
Dentro do agora e do eterno."


Para todos vós, irmãos em Cristo, um abraço fraterno de SANTA NOITE e ao Deus Menino peço , para o sapatinho da Humanidade a Paz, nem que seja só uma centelha de Paz, da Sua Paz! Fica connosco, não só esta noite, mas todas as noites das nossas vidas.
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

- Mensagem de Boas Festas -

Caríssimos amigos e amigas que nos visitais nesta página da internet, todos os anos celebramos o nascimento de Jesus. Mas celebrar o Natal, para nós cristãos, para além do ambiente festivo, é acolher o ensinamento que daí nos chega. Os ensinamentos de Jesus devem ser por nós imitados, quer nos tenham sido transmitidos por palavras, quer pelo exemplo. Dêmos ao Menino Jesus o nosso mais ardente amor e imitemo-Lo nas virtudes que nos chegam do presépio: pobreza e humildade.
Preparemos a nossa mente e o nosso coração para que se tornem sensíveis à sua chegada nesta celebração do seu Natal que tem de acontecer todos os dias e em cada instante do nosso viver. Só assim seremos capazes de comunicar aos outros felicidade, pois Jesus é a felicidade a paz e a alegria.
Esperamos um Natal repleto de harmonia. Celebrar o Natal é acreditar na força do amor pois só ele pode transformar o homem e o mundo. Que a mensagem de fé e esperança do Natal renove as nossas forças para continuarmos a melhorar no novo ano que se aproxima. Celebrar o Natal é celebrar a vida e anunciar a boa notícia.
A todos os que nos visitam nesta quadra festiva pedimos que deixem Jesus entrar para poderem sentir a verdadeira alegria do Natal. A todos um Santo e abençoado Natal e um feliz Ano Novo de 2015 repleto de Paz e Alegria.
Pe. José António Rebelo da Silva

- Pastoral da Cultura -

Natal: A história recomeça dos últimos
No Natal não celebramos uma recordação, mas uma profecia. O Natal não é uma festa sentimental, mas o juízo sobre o mundo e o novo ordenamento de todas as coisas. Naquela noite, o sentido da história tomou outra direção: Deus para o homem, o grande para o pequeno, do alto para baixo, de uma cidade para uma gruta, do templo para um campo de pastores. A história recomeça dos últimos.
Nenhum papa falou assim em tempos recentes: Comentário sobre o discurso de Francisco à cúria do Vaticano
Nos tempos recentes nenhum papa falou como o papa Francisco. Ontem disse aquilo que pensa com franqueza, passando por cima de linguagens alusivas e estilo diplomático. Este discurso ecoa aquele que S. Bernardo – monge, todavia, não papa – ousou dizer no século XI ao papa e à sua corte: palavras que poucos souberam escrever ou proclamar sobre a correção dos vícios eclesiásticos nos momentos em que se tornava urgente uma reforma da Igreja “in capite et in corpore” [na cabeça e no corpo].


Papa Francisco | Discurso natalício à cúria da Santa Sé, Vaticano, 22.12.2014 | AP Photo/Andreas Solaro, Pool | D.R






terça-feira, 23 de dezembro de 2014

- Hoje, TERÇA- FEIRA: Adoração ao SS.mo Sacramento, em Colares das 17h00 às 19h00


Natal, tempo para curar feridas
«Curar a vossa vida familiar, dando aos vossos filhos e aos vossos queridos não apenas dinheiro, mas sobretudo tempo, atenção e amor.» «Curar as vossas relações com os outros, transformando a fé em vida e as palavras em boas obras, especialmente para os mais necessitados.» «Curar o vosso falar, purificando a língua das palavras ofensivas, da vulgaridade e do léxico da decadência mundana.»

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

- ANIVERSÁRIO DO NOSSO PRIOR - Pe José António


Se Deus nos enviar um anjo, dar-nos-emos conta?

Maria é aquela que tornou possível a incarnação do Filho de Deus, «a revelação do mistério, envolvido no silêncio por tempos eternos» (Romanos 16, 25). Tornou possível a incarnação do Verbo precisamente graças ao seu "sim" humilde e corajoso.

Maria ensina-nos a colher o momento favorável em que Jesus passa na nossa vida e pede uma resposta pronta e generosa. E Jesus passa. Com efeito, o mistério do nascimento de Jesus em Belém, acontecido historicamente há mais de dois mil anos, atua, como evento espiritual, no «hoje da liturgia».

O Verbo, que encontrou morada no ventre virginal de Maria, na celebração do Natal vem novamente bater ao coração de cada cristão: passa e bate. Cada um de nós é chamado a responder, como Maria, com um "sim" pessoal e sincero, colocando-se plenamente à disposição de Deus e da sua misericórdia, do seu amor.

Quantas vezes Jesus passa na nossa vida, e quantas vezes nos envia um anjo, e quantas vezes não nos damos conta porque estamos muito ocupados, imersos nos nossos pensamentos, nos nossos afazeres e até, nestes dias, nos nossos preparativos de Natal, quantas vezes não nos damos conta dele que passa e bata è porta do nosso coração, pedindo acolhimento, pedindo um "sim", como o de Maria.

Um santo dizia: «Tenho medo de que o Senhor passe». Sabeis porque tinha medo? Medo de não o acolher e deixá-lo passar. Quando nós ouvimos no nosso coração: «Quero ser melhor... Estou arrependido do que fiz...» - é precisamente o Senhor que bate à porta.

Deus faz-te sentir isto: a vontade de seres melhor, a vontade de permaneceres mais próximo dos outros, de Deus. Se tu sentes isto, então para: o Senhor está aí. Vai rezar, e talvez à confissão, fazer uma limpeza: faz bem. Recordai-vos bem: se sentis esta vontade de melhorar, é ele que bate - não o deixeis ir embora.

No silêncio do Natal, junto a Maria está a silenciosa presença de S. José, como está representada em cada presépio - e também naquele que podeis admirar aqui, na Praça de S. Pedro.

O exemplo de Maria e de José é para todos nós um convite a acolher Jesus com total abertura de alma, Ele que por amor se fez nosso irmão. Ele vem trazer ao mundo o dom da paz: «Paz na Terra aos homens por Ele amados» (Lucas 2, 14), como anunciaram em coro os anjos aos pastores.

O dom precioso do Natal é a paz, e Cristo é a nossa verdadeira paz. E Cristo bate aos nossos corações para nos dar a paz, a paz da alma. Abramos as portas a Cristo.

Confiamo-nos à intercessão da nossa Mãe e de S. José para viver um Natal verdadeiramente cristão, livre de toda a mundanidade, pronto a acolher o Salvador, o Deus connosco.

 Papa Francisco
Angelus, 21.12.2014
Praça de S. Pedro, Vaticano
Trad. / edição: Rui Jorge Martins
Publicado em 21.12.2014

Semana de Natal

- MISSAS DA SEMANA: 3ª e 6ª feira em Colares às 19h00.
- SEGUNDA-FEIRA: Confissões de preparação para o Natal,  na Igreja de Colares às 21h00.
- TERÇA- FEIRA:  Adoração ao SS.mo Sacramento, em Colares das 17h00 às 19h00.
- QUARTA-FEIRA: Missa do Galo em Colares às 24h00.
- QUINTA-FEIRA: Solenidade do Natal do Senhor- Missas em Almoçageme às 10h30, em Colares às 12h00 e no Mucifal às 19h00.
- Recorda-se que estamos no final do ano e pede-se a quem possa colaborar com o contributo paroquial o favor de o fazer até ao fim de Dezembro. Lembra-se que o mesmo confere benefícios fiscais nos termos da Lei vigente.
- Recorda-se que estão abertas no Cartório Paroquial as inscrições para o concurso de presépios e que se aguarda até ao dia de Natal a recepção dos postais de Natal das crianças e jovens, para o concurso de postais.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Presépio na Cidade

Via da Alegria percorre as ruas da Baixa de Lisboa 
Decorre este sábado, 20 de dezembro, na Baixa lisboeta, a Via da Alegria, “uma procissão pelas ruas de Lisboa que simboliza o caminho que a Sagrada Família fez até Belém, onde Maria deu à Luz, Jesus, o Salvador do Mundo”, refere uma nota do Presépio na Cidade, que organiza esta iniciativa.   A Via da Alegria tem início às 15h00, com um...
ver [+]

- Partilha -

A CHATA HOJE VEIO À 5ª FEIRA!
OLÁ AMIGOS!
Sabiam que o Evangelho da liturgia de hoje começa assim:"Genealogia de Jesus Cristo,..."
(Mateus 1, 1-17 para quem quiser ler a sequência desde David até Jesus).
É a sequência de uma longa história do AMOR de DEUS para com a Humanidade, na qual Ele se vem aproximando de nós, preparando-nos o coração para podermos receber o dom maior do Seu coração, que é o Seu próprio Filho encarnado, um dia, no seio de Maria.
Hoje, que Ele já veio até nós, continuamos a preparar a Sua chegada.... e prepara os nossos corações ..... Ainda não estamos preparados! Tanta coisa a desamarrar, tanta coisa que nos impede de Te receber, não só agora na quadra do Natal, mas durante todo o ano..... e por isso dizemos:
                                                   VEM SENHOR JESUS
Vem trazer Jesus a paz e a justiça e que a nossa Terra se vista com as cores da esperança para Te receber....
Vem, vem ensinar-nos a AMAR, como só Tu sabes.... AMOR que é perdão, acolhimento, serviço e doação. Não importa a cor da pele, a língua que nos separa ou a religião que ainda não nos congrega à Tua volta..... 
Vem Senhor Jesus ensina-nos, não só no Advento ou no Dia de Natal .... vem aos nossos corações .... ajuda-nos a transformar o que está errado, no certo e o mal em bem .....
Não pode ser só um dia, não pode ser só 4 semanas.... é a nossa VIDA.
A Tua a dás por nós! Como Tu a dás por mim, também eu quero dar-Te a minha. A minha vida!  Mas como diz S. Paulo "faço o que não quero e não faço o que quero", assim, também eu Senhor o faço! 
Vivi tantos momentos esquecida do Teu Evangelho, tantas vezes Te fechei os olhos e os ouvidos.... Tantas vezes Te esqueço, mas Tu continuas aí enviando-me sinais da Tua ternura com esperança de mudança.
Obrigada, Senhor Jesus por não desistires de mim.

Vou acabar! Para uma 5ª feira já vos importunei demais, mas senti necessidade de parar o meu trabalho (imenso e desorganizado) para pôr estas "conversas" com o meu Deus em ordem. Peço-vos desculpa por isso.... (é como se fosse uma penitência!)
Abraço em Cristo, agora na ternura de Menino mas, em breve, FESTEJADO no Mistério do Seu Amor, 
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

- Aniversário Papa Francisco -


Natal de Jesus no natal do papa Francisco
No dia 17 de dezembro de 2014, em que o papa Francisco completa 78 anos, recordamos a homilia que proferiu na noite de Natal de 2010, na catedral de Buenos Aires, Argentina.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

«Nunca condenar»: Papa alerta para hipocrisia e vida cristã dominada por preceitos
O papa Francisco criticou o «coração hipócrita» dos chefes dos sacerdotes ao tempo de Cristo, nomeadamente no que respeita ao cumprimento de preceitos religiosos que excluem a proximidade e a misericórdia, e vincou a necessidade de os cristãos se centrarem no essencial da fé.
Para ler mais clique no titulo
Porquê dar presentes no Natal?
Saber oferecer, mas também saber receber. Num presente, tudo conta, cada um tem a sua linguagem. Algumas pessoas não gostam de os aceitar. E há toda uma arte de os receber: não esperar demasiado deles, deixá-los falar, deixá-los dizer o amor de que são portadores.
Para ver mais, clique no titulo

domingo, 14 de dezembro de 2014

O pobre é o preferido de Deus, o pobre ensina-nos, o pobre evangeliza-nos: Papa sublinha «opção pelos últimos»
«O mundo atual tem, urgentemente, necessidade de misericórdia divina. Enquanto que hoje a pessoa humana é muitas vezes rejeitada como inútil quando deixa de ser rentável, Deus, ao contrário, reconhece sempre nela a dignidade e a nobreza de um filho bem amado; ela tem um lugar de eleição no seu coração. O pobre é o preferido do Senhor, está no centro do Evangelho.»

3º Domingo do Advento – Ano B

Evangelho - Jo 1,6-8.19-28
Comentário Breve
A missão de João é “dar testemunho da luz”. 
A “luz”, no Evangelho de João, representa essa realidade que vem de Deus e com a qual Deus se propõe construir para os homens um mundo novo de vida definitiva e de felicidade total. 
João não actua por sua própria iniciativa, mas em resposta à escolha divina e para concretizar uma missão que Deus lhe confiou.
Contudo, não tem a capacidade de eliminar as trevas que escurecem e desfeiam a vida dos homens, porque não tem a capacidade de dar vida aos homens. João é apenas “a testemunha” que vem preparar os homens para acolher esse que vai chegar e que será “a luz" a "vida”.
Por isso, João rejeita que lhe atribuam nenhuma função que possa centrar a atenção na sua própria pessoa. A testemunha não aparece para falar de si, não atrai os olhares para a sua pessoa, mas para aquele de quem vem falar.
As suas três respostas são rotundas negativas. Ele não busca a sua glória ou a sua afirmação, nem vem em seu próprio nome; a sua missão consiste em dar testemunho da “luz” e é para essa “luz” que os holofotes devem ser apontados.
À objecção que recebe pelo facto de baptizar, João com que diz que se trata apenas de um símbolo de transformação e de adesão a uma nova realidade. 
Daí o desafio de primeiro olhar para essa nova realidade que já está no meio do Povo e que o Messias veio oferecer. É o baptismo do Messias (o baptismo no Espírito) que transformará totalmente os corações dos homens, os fará livres e lhes dará a vida definitiva. Esse que vem baptizar no Espírito já está presente, a fim de iniciar a sua obra libertadora. Procurai conhecê-lo – isto é, escutá-lo e acolher a sua proposta de vida e de libertação”.
Hoje questionemo-nos sobre o que é que nos escraviza e impede de ser plenamente feliz? O que é que na minha vida gera desilusão, frustração, desencanto, sofrimento?
Convidados a olhar para Jesus, perguntemo-nos que significado é que Jesus e a sua proposta assumem no meu dia a dia?
Quando celebro o nascimento de Jesus, celebro um acontecimento do passado que deixou a sua marca na história, ou celebro o encontro com alguém que é “a luz” que ilumina a minha existência e que enche a minha vida de paz, de alegria, de liberdade?
A liturgia convida-nos, neste Domingo da Alegria, à desinstalação, a fim de que o Senhor que vem possa nascer na nossa vida.

sábado, 13 de dezembro de 2014

- INFORMAÇÃO -


- Recorda-se que estão abertas no Cartório Paroquial as inscrições para o concurso de presépios e que se aguarda até ao dia de Natal a recepção dos postais de Natal das crianças e jovens, para o concurso de postais. Bem como continua a decorrer a campanha “um pacote em cada mão” que visa a recolha de alimentos para as famílias carenciadas.

- Partilha -

Reunião conciliar das minhas amigas GAIVOTAS - Praia das Maçãs , hoje 12/12/2014 às 08.15 h
As minhas amigas gaivotas iniciaram o seu concílio, presidido pela gaivota rainha  sob o tema: "Quem é  ELE?"
Dado início e feitas as considerações necessárias, eis que lá do fundo uma diz: "Ah Ele é de esquerda"
Outra responde rapidamente: "Nem penses, conservador como Ele é, poderá alguma vez ser de esquerda?". Alguma diz: "Nada disso, Ele é  um mestre exigente, só  exige... só  quer!"
"Engano teu, cara colega, Ele até  nem julga ninguém. Peca e  depois  na hora de passares para o lado de lá arrepende-te... Ele Perdoa-te! Não dizem que é infinito de Misericórdia?".
"Bem já vamos a divagar demais perdendo tempo com tantas opiniões. Estou a ver que cada uma O vê à sua medida". Intervenção esta, com palavras sabias, da presidente da mesa que prosseguiu "Meninas, vamos lá acalmar e pensar se não é já tempo para deixarmos o "diz que disse" e pensarmos seriamente  no Advento?!  Que tempo é este e como podemos limar as nossas rotas de forma a poder recebe-Lo com alegria na nossa praia e em cada uma de nós".
Um certo  burburinho e inquietação surge na praia, como que acompanhando o chamamento do vai e vem das ondas gigantes.
"Silêncio" - pede a rainha batendo as asas sobre a rocha.
"Vamos ser coerentes e construir uma imagem sólida de Jesus através dos Evangelhos que Ele nos entregou. Vamos percorrer as páginas da Sua Vida e descobriremos quem é  este Jesus de que tanto se fala e que muito AMA".
"A nós?" pergunta a que está à frente. "Ele, expressão do Pai, ama toda a Criação, porque O Pai tudo criou e viu que tudo era bom. Tu fazes parte dessa Criação!"
"Façamos em unisso um pedido ao esperado Messias: - Aqui estamos, Senhor, de olhos e asas abertas e coração disponível. Queremos ver-Te e, quando voarmos bem alto, deixar que toques o nosso coração para que não haja mais barreiras entre nós.... Para Te podermos conhecer mais e melhor e não falarmos de Ti à toa, como cabeças ao vento.
Ajuda-nos a fazer do nosso voo uma auto estrada para podermos chegar a Ti e Tu a nós, sem desvios..."
"Agora, que já percebemos que sabemos muito pouco sobre Ele, vamos tentar descobri- Lo nas nossas vidas e vive-Lo com o nosso testemunho. Dou por terminada esta  reunião esperando conciliar os vossos pequeninos corações".

Assim, dei por terminada a minha presença na praia, após levantamento das gaivotas vendo-as até o seu desaparecimento no meu horizonte.
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

A Chata no II DOMINGO DO ADVENTO (Marcos 1,1-8)

Olá, boa noite!
Venho apenas, num instante, partilhar convosco algumas frases do evangelista Marcos que foram lidas na Eucaristia do domingo passado que para mim fizeram eco especial.
Ele começa o seu Evangelho desta forma: "Principio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus". Prossegue fazendo  menção a uma passagem bíblica do Antigo Testamento, do profeta Isaías que nos diz : "Vou mandar à Tua frente  o Meu mensageiro, que preparará o Teu caminho. Uma voz clama no deserto "preparai o caminho do Senhor endireitai as suas veredas".
Marcos, primeiro reconhece JC como Filho de Deus e liga-O de imediato ao Antigo Testamento, como confirmando a profecia feita há anos atrás, dando-lhe veracidade.
Penso que é maravilhoso reconhecermos que o nosso Deus é um Deus que caminha fazendo história connosco. Um Deus que cumpre, porque está!
Esta figura, que apareceu no deserto é João, o Baptista. Indicava caminhos de conversão, (endireitar as veredas) baptizando nas águas do Jordão dizia que "Vai chegar depois de mim quem é mais forte....... Eu baptizo-vos na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo". O meu baptismo!
Á semelhança de Jesus a pregação de João é um convite à conversão de vida, que nos conduz à liberdade. A conversão não é sinónima de tristeza é antes alegria porque optamos por um bem maior. É certo que, na conversão, não deixamos de ter problemas de saúde ou emocionais, falta de alguns bens materiais, ou de outro género. É certo que choramos e nos arreliamos, como qualquer ser da nossa espécie, mas a forma como entendemos ou agimos é diferente.... (devia ser!). A visão do mundo é vista de um outro prisma, com sabor a eternidade... Será que é assim que sempre me acontece? Deus vem ao meu mundo, para que eu possa ir ao d'Ele.....! E daqui sai uma questão: que ando a fazer com a minha vida? Como conduzi-la? Que lugar tem Jesus na minha vida? Como preparo o meu caminho? Endireitando as minhas veredas (arestas do meu coração e pensamento) para que o Senhor Deus possa entrar na minha vida?
Advento é preparar a chegada.... mas Ele está sempre a chegar...! Será que eu a preparo apenas agora ou faço da minha vida um tempo constante de Advento?
Hoje Te peço Senhor, ajuda-me, neste Advento, a descobrir os obstáculos que  impedem  o nosso encontro, para que eu possa tirar da minha frente tudo aquilo que impede a Tua chegada.
Um abraço amigo com Maria, Nª Srª da Conceição, nesta caminhada para DEUS, através de JESUS,

ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

-- Neste Advento vamos dar o nosso sim -

- SÁBADO: Mercado de Natal na Varanda de Colares, entre as 11h00 e a 18h00, revertendo a favor das famílias carenciadas e idosos da Paróquia. 




- DOMINGO: – Festa de Natal da catequese no Centro Social Paroquial de Colares com início às 10h00 e terminando com Missa às 12h00. 








- Reflexão sobre o Advento: segunda-feira dia 15 de dezembro, com o Pe. Dário Pedroso, na Igreja de Colares às 21h00.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A Imaculada Conceição e a história de Portugal
O dia 8 de dezembro transcende o “Dia Santo” dos Católicos e engloba indubitavelmente a comemoração da Independência de Portugal, que o dia 1 de dezembro retoma. O feriado do dia 8 de dezembro é religioso, mas é também celebrativo da cultura, da tradição e da espiritualidade da alma e da identidade do povo português.
Clique no titulo para ler mais

sábado, 6 de dezembro de 2014

- ULGUEIRA -

2ª Feira 8 de Dezembro - dia da Padroeira  
Nossa Senhora da Conceição
15h30 missa seguida de Procissão 

Campanha “ um pacote em cada mão”

Somos um grupo de paroquianos.
Neste Advento, queremos pedir a todas as famílias que vêm à Missa dominical que ajudem outras famílias mais carenciadas da nossa Paróquia.
Ajude-nos a alimentar quem mais precisa!
Que lhe propomos?
Em cada domingo, até ao último domingo do Advento, quando vier à Missa, por favor, traga o seu contributo e deixe –o nos cestos à porta da Igreja.
Precisamos de:
-Leite
-Massa
-Açúcar
-Arroz
-Enlatados
-Bolachas
Obrigada, por não vir de mãos a abanar!

Ensine os seus filhos a serem solidários e peça-lhes que ajudem a divulgar esta campanha. Bom Advento!

D. Jorge Ortiga

«Não precisará a política da luz da fé?», questiona arcebispo de Braga
«Creio não ser inoportuno, e muito menos interpretado como intromissão em casa alheia, reconhecer a necessidade de políticos – homens e mulheres – que, sem rótulos artificiais, se assumam como construtores ativos de uma sociedade mais digna.»

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

2º Domingo do Advento – Ano B

Evangelho - Mc 1,1-8
Comentário Breve
A primeira coisa que os crentes viram em Cristo é que Ele é uma boa notícia. Esta recolha dos ditos e da acção de Jesus intitula-se: "Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus".
Uma boa notícia reporta-se sempre a um acontecimento feliz que ainda não é conhecido, mas que no fundo, o ser humano espera e busca.
A maior originalidade de Jesus consiste em anunciar de maneira convicta de que com Ele começa a realização da "utopia" que estava viva em Israel e que é tão antiga quanto o coração do homem, do homem de boa vontade: o fim do mal, da injustiça, da dor e da morte. A isto Jesus chama: o Reino de Deus.
Com este anúncio algo de novo se colocou em marcha no interior da história.
A humanidade não caminha sozinha, votada ao abandono e entregue apenas aos seus próprio recursos. Há Alguém empenhado na felicidade total de cada um dos seus filhos. Ou seja existe Alguém que é bondade, acolhimento, libertação, plenitude: Deus, nosso Pai.
Isto muda tudo. Começa uma situação nova que nos desafia a compreender e a viver a nossa existência de uma maneira nova. Chamados a empenharmo-nos na construção do Reino quer dizer que temos obrigação de construir uma convivência fraterna, feita de justiça e de paz.
Preparai o caminho do Senhor é a exortação de João Baptista. Deus passa a ser real na nossa vida quando vivemos de maneira mais humana, ou seja quando escutamos o melhor que nos habita e escutamos os demais
É capital entender e ter uma consciência profunda de que a fé é um caminho e não um sistema religioso, quando apenas olhamos e nos enredamos neste último, estragamos tudo. 
Num caminho, daqui até ali ou numa peregrinação mais empenhativa (a Fátima ou a Santiago) há de tudo: caminhada que dá gozo, momentos de busca e introspecção, provas a superar e retrocessos, decisões fundamentais, dúvidas e interrogações. 
Tudo é parte integrante do caminho. Mesmo as dúvidas, uma vez que podem ser mais estimulantes do que umas quantas certezas e segurança que nos trazem, tantas vezes, a forma rotineira e simplista de algumas formas de viver.
Cada um é chamado a fazer o seu próprio caminho. Cada um é responsável pela aventura da sua vida e da sua fé. Não é legítimo forçar nada. O caminho cristão é feito de etapas: as pessoas podem e vivem momentos e situações diferentes.
Importa enfatizar que o mais importante é caminhar, sem se deter, ouvindo a chamada que a todos convida a viver de uma maneira mais digna e ditosa.
Este pode ser o melhor modo de preparar o caminho do Senhor.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

ADVENTO - 1º DOMINGO - INICIO ANO LITÚRGICO - B

OLÁ! Uma saudação amiga em Cristo.
Hoje iniciamos o ano litúrgico e com ele o Advento. Como Ano Litúrgico, entramos no Ano B, isto é, passamos a ler mais o Evangelho de Marcos (Mc), deixando o de Mateus (Mt). 
Como Advento, este foi o 1º domingo, estendendo-se este caminhar por mais 3 domingos que nos levarão à GRANDE NOITE DE NATAL.
Advento é o tempo da preparação da vinda! De Quem? É como se estivéssemos a arrumar a nossa casa (o n/interior) para recebermos uma Grande Visita, que é Jesus!
Nesta quadra do Natal há muitos sentimentos profundos e fortes como a ternura, coragem, amor, optimismo, alegria e agradecimento... e às vezes, à mistura com tanta azafama, lá nos vamos lembrando desta e outra prenda esquecendo o essencial: - JESUS!     
Assim, a Igreja convida-nos, nestas 4 semanas, a  preparar melhor a nossa relação com J. Cristo, nossa Pascoa, não O esquecendo na Sua própria Festa.
É um tempo para redescobrir a esperança e interiorizarmos que Deus nos ama intensamente. É um Deus fiel que já não Lhe chega amar-nos à distância... É o tempo para descobrirmos que o nosso Deus quis vir demonstra-nos, por gestos e palavras, fazendo-se Criança no seio de Maria, que a felicidade é possível... "Bem aventurados os que..."
ADVENTO é tempo de apreender a acolher o homem em Deus e Deus no homem... É redescobrir que  Deus quer morar em nós e connosco quer fazer parte da nossa própria história... é aprender a caminhar com Ele!   
No Evangelho de hoje (Mc 13,33-37), o que me fica é a frase "Acautelei-vos e Vigiai, porque Não Sabeis quando Chegará o Momento". Jesus está-me a dizer que as coisas grandes ou pequenas da vida, boas ou más, acontecem muitas vezes de surpresa e se estou distraída ou preocupada com ninharias, nem sequer me apercebo do essencial. Ele passa e bate-me à porta, através do outro, e eu nem sequer ouço a campainha tocar, pois tenho a mente com tantos sons que não distingo a Sua passagem (como dizia o Evangelho a semana passada, Ele, Cristo,  passa transfigurado no rosto do  irmão - "Eu tive fome e deste-Me de comer", etc etc)  .
Senhor Jesus, eis-me aqui, com as  minhas fragilidades, para iniciar mais um Advento, Não sei como será, sei apenas que quero pedir-Te, humildemente, que batas à minha porta, mesmo que eu não oiça logo, não desistas. Bate, bate ainda com mais força.... abana a minha indiferença, abre os meus ouvidos e os olhos do meu coração, para que eu possa descobrir-Te, ver-Te e sentir-Te no que passa por mim....
Na NOITE DE NATAL quero pôr no Teu sapatinho, como presente, o meu coração aberto.... Aberto por TI para o outro.... Ajuda-me a ser capaz.
Faz, Jesus, que todos preparemos a Tua vinda neste Natal, para que possamos reconhecer, com alegria, a Tua Glória na BENDITA CRUZ do AMOR.
Vou-me embora. Ainda bem, dirão. Mas....
Não poderia esquecer Maria, a Mãe! Neste período do Advento/Natal, assim como na Pascoa, ela está muito presente em mim, pois é um dos  marcos de fé, humildade e fidelidade que me sustenta. É pelo seu SIM que hoje temos Natal.... Se ela não abrisse a sua porta ao convite, não seria a mesma coisa...  
No silêncio da sua dor, glorifica o Amor de Deus, o Deus de Jesus, o seu Deus! É ela que nos diz continuamente "Fazei tudo o que Ele vos disser". Diz-nos tudo! Aponta o caminho! 
Um abraço na companhia de Maria rumo a Jesus,
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

domingo, 30 de novembro de 2014

- Inicio do ano Litúrgico - Ano B

No Advento, Deus faz-se mais próximo: Comentário ao Evangelho do I Domingo do Advento

O risco diário é uma vida adormecida, incapaz de colher chegadas e inícios, amanheceres e nascentes, de ver a existência como uma mãe à espera, grávida de luz; uma vida distraída e sem atenção. Viver com atenção. Mas a quê? Atentos às pessoas, às suas palavras, aos seus silêncios, às perguntas mudas, a cada oferta de ternura, à beleza de ser vida grávida de Deus.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Papa Francisco - Estrasburgo 25/11/2014

Papa no Parlamento Europeu: Onde está a dignidade humana?
Um dos mais célebres frescos de Rafael que se encontram no Vaticano retrata a denominada “Escola de Atenas”. No centro estão Platão e Aristóteles. O primeiro com o dedo que aponta para o alto, para o mundo das ideias, podemos dizer para o céu; o segundo estende a mão para a frente, para quem olha, para a terra, a realidade concreta. Parece-me uma imagem que descreve bem a Europa e a sua história, feita do contínuo encontro entre céu e terra, onde o céu indica a abertura ao transcendente, a Deus, que desde sempre distinguiu o homem europeu, e a terra representa a sua capacidade prática e concreta de enfrentar as situações e os problemas.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

- Destaques da Semana -

- Grupos de Caminhada Sinodal: 3ª feira na Azóia às 15h30, em Almoçageme às 20h30 e no Mucifal às 21h00. 4ª feira em Colares e na Praia das Maçãs às 21h00. 5ª feira nas Azenhas do Mar às 21h00 e Domingo no Penedo às 10h00 e em Colares às 10h30.
- TERÇA-FEIRA: Reunião Vicarial de Pastoral Familiar, para casais responsáveis paroquiais en Rio de Mouro às 21h30.
- QUINTA-FEIRA: Adoração ao SS.mo Sacramento, nas Azenhas do Mar às 21h00.
- SÁBADO: Retiro de Advento para Casais, Família em saída... às 9h00 no Centro Pastoral de Torres Vedras.

domingo, 23 de novembro de 2014

Cristo Rei do Universo – Ano A

Evangelho - Mt 25,31-46
Comentário Breve
No último domingo do ano litúrgico (A) escutamos a conclusão do discurso escatológico de Cristo na versão de Mateus, no qual é anunciado o juízo final.
Trata-se de um trecho extraordinário que, de um modo simples, sintetiza a singolaridade cristã, colocando com clareza o discípulo de Cristo diante da concreta responsabilidade para com os irmãos, em particular, para com os últimos.
A realeza de Cristo consiste no cumprimento do juízo que é uma medida de justiça para com todos os que na terra foram vítimas, privados da possibilidade de uma vida digna desse nome. Assim, Cristo leva até ao fimo que iniciou com a sua passagem pela terra fazendo o bem.
O juízo é absolutamente necessário para que a história tenha um sentido e todas as nossas acções encontrem uma verdade objectiva diante de Deus que "ama a justiça e o direito" (Sal 33, 5).
Servindo-se de uma imagem do profeta Ezequiel, Jesus afirma que o Filho do homem separará as ovelhas dos cabritos, como "o pastor", colocando as ovelhas à sua direita.
Este juízo, ao mesmo tempo pessoal e universal, não acontece somente no final de um processo, porque todo a nossa vida é o lugar onde decorre o processo.
É para que tenhamos uma consciência mais aguda disto que Jesus descreve este diálogo duplo e simétrico entre o Rei/Filho do Homem e quantos estão diante dele, ora à sua esquerda, ora à sua direita. A estes defini-os como "benditos de meu Pai", dando-lhes como herança o Reino pelo seu agir: tive fome, tive sede, era estrangeiro, estava nu, doente, preso e vós fizestes...
Aos outros pelo facto de não terem feito, reserva uma sorte oposta.
A medida desta separação não é de índole moral ou teológica, mas depende simplesmente de ter ou não servido os irmãos, das relações de fraternidade com quantos se cruzaram connosco no caminho. E o que é mais insólito é o espanto manifestado por todos a quem do Filho do Homem se dirige: quando é que te fizemos? 
Surge a resposta: "Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes
a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes"
Cristo identifica-se com os necessitados – quem serve o pobre serve a Cristo.
Para nós cristãos os pobres manifestam o pecado do mundo, da injustiça que reina sobre a terra e na atitude para com esses mede-se a nossa capacidade de viver como corpo de Cristo. Por isso, temos a responsabilidade pessoal de intervir. Desta consciência nasce a disponibilidade de nos tornarmos próximo e no fazermos próximos e, enquanto trabalhamos para suprir a necessidades, o pobre torna-se sacramento de Cristo, mesmo que só o venhamos a descobrir no fim dos tempos.
No último dia, todos seremos julgados acerca do amor, não nos será pedido senão contas do serviço amoroso que tivermos praticado diariamente.
O juízo revelará a verdade profunda da nossa vida quotidiana, o nosso viver do amor e para o amor aqui e agora.

Partilha da chata

NESTE DIA SOLENE EM QUE CRISTO É PROCLAMADO "REI DO UNIVERSO"
Olá, uma saudação amiga na Paz de Cristo. 
Hoje a Igreja Católica proclama Cristo "Rei do Universo".
Como Tu próprio afirmaste a Pilatos, Tu és Rei! Rei de um Reino bem diferente destes que nós habitamos aqui na terra e que  tão bem conhecemos… a força, a opressão, as injurias, a fome, a marginalização, a indiferença… As nossas fragilidades sempre em evidencia... Nós, nós e só nós, onde está o outro?! Reconheço-o?
O Teu Reino não é deste mundo, Tu o disseste. O Teu Reino é um Reino de verdade e vida, santidade e graça, de justiça, amor e paz. Um Reino de serviço... Um reino de Caridade!
Um dia sonhei... mas que bom seria se os reinos aqui fossem como o Teu... sem fome ou sede, sem doenças ou prisões, prisões não só expressas em imóveis que nos prendem o corpo, mas também aquelas que, não vemos, mas que nos prendem e tolham o olhar, como amarras que não nos deixam ir mais longe... até Ti... até ao Teu rosto desfigurado invisível no rosto daquele que passa a meu lado... 
Peço-Te, meu Deus e Senhor, ajuda-me a que eu seja um servo fiel do Teu Reino, aqui na terra, vivendo e defendendo sempre a verdade, a justiça e a paz... Que eu nunca esqueça as "Bem Aventuranças" em qualquer momento da minha vida e, se por acaso isso acontecer em algum momento,  tem compaixão de mim e... ajuda-me a levantar, a rectificar o meu caminho aceitando, com humildade, o Teu grande AMOR por mim e  pela Humanidade... a Tua imensa e eterna Misericórdia... QUE EU TE SAIBA RECONHECER COMO REI, um REI que vive no coração do meu irmão... 
Por hoje é tudo, embora muito houvesse, ou não, para dizer, mas já vos chateei...
Abraço, com desejos de uma semana cheia de LUZ e PAZ, para ver com os olhos do coração e meditar na alegria de um Deus que me ama e... como ama-LO no serviço, através dos outros.
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

sábado, 22 de novembro de 2014

Luz da Paz de Belém, na Sé de Lisboa

A secção dos Caminheiros dos escuteiros da Região de Lisboa associou-se ao evento europeu para providenciar a chegada da Luz da Paz de Belém à Diocese de Lisboa.  ( http://luzdelapaz.org ) 
“Este evento, em simples modos, conta apenas com uma celebração de acolhimento da Luz que vem a partir da Gruta de Belém e chega por transmissão a outros. Estamos a contar com a chegada da Luz no próximo dia 19 de dezembro, na Sé Patriarcal de Lisboa, pelas 21h30, e será acolhida pelo Bispo Auxiliar de Lisboa, D. José Traquina. Gostaríamos que esta Luz pudesse estar presente em todas as paróquias, de forma a que a Luz da Paz de Belém cumpra o Sonho Missionário de Chegar a Todos”, refere uma carta enviada esta semana aos padres da diocese.
Informações: www.facebook.com/LuzPazBelem

"A POBREZA JÁ VIROU PAISAGEM"

Quem tem fome pede «dignidade, não esmola», frisa papa Francisco
«Enquanto se fala de novos direitos, o faminto ali está, à esquina da rua, e pede direito de cidadania, de ser considerado na sua condição, de receber uma alimentação de base saudável.» «A primeira preocupação deve ser a própria pessoa, a quantos falta o alimento diário e deixaram de pensar na vida, nas relações familiares e sociais, e lutam só pela sobrevivência.»

domingo, 16 de novembro de 2014

PAISAGENS DOS NOSSOS DIAS - DA CHATARRONA (MATEUS 25,14-30)

Várias maravilhas em tempos e situações diferentes (embora no mesmo dia)  têm, no  entanto, de comum o mesmo tema : o mar, as nuvens e o sol.... expressões da Tua Criação, do Teu imenso Amor ....
São estes momentos de silencio interior, em que paro para Te louvar e agradecer,
que me enchem a alma e me sussurram baixinho ..... vale a pena !

Meus amigos, desejo-vos uma santa tarde na paz do Senhor Jesus.
Sabiam que hoje é o penúltimo fim-de-semana do ano litúrgico? Para o próximo será o último em que a Igreja proclama "Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo". Termina, assim, o ano com chave de ouro.

Hoje é o XXXIII domingo do tempo comum, e daqui por duas semanas entramos no Advento. Uau! O tempo passa de foguetão!
Neste domingo, Jesus fala-nos da Parusia, ou seja coisas do fim do mundo, fazendo-nos um apelo à vigilância. O senhor pode vir a qualquer momento da nossa vida... Mais uma vez fala-nos por parábolas e apresenta-nos as dos 
talentos. Para nós será as nossas "qualidades", ou se quisermos as graças com que o Senhor nos dotou para vivermos em comunidade trabalhando-as de forma a crescerem, não tão para nós, mas no serviço aos outros que por nós passam na vida. Ricos ou pobres... pessoas simplesmente como tu e eu. Uns saberão melhor sorrir, cantar, ter uma palavra de consolo e carinho ou acolher apenas com um abraço fraterno.... Distribuindo os nossos talentos, ou antes o nosso Amor!
Muitos saberão que sou "apaixonada" por números e, sobre esta parábola, o Padre J David Quintas, escrevia assim:
"Numa reflexão sobre a Parábola dos Talentos, pedi que me identificassem as suas personagens, indicando o que cada uma tinha e com que ficou, fazendo as contas aritméticas. Eis a resposta:
5x2=10  (o 1º duplicou  os 5 talentos que lhe foram conferidos )
2x2=4    (o 2º  duplicou os 2 talentos que lhe foram conferidos)
1x0=0    ( o 3º enterrou o talento com medo de o perder e.. não produziu nada - zero!) .
Perguntei então qual o valor do coeficiente.
- É a quantidade do amor - respondeu um miúdo. Duas pessoas tinham amor de grau 2, a outra não tinha e por isso ficou sem nada. Sem amor nada se consegue..."
Lembrei-me, do que falamos há umas semanas atrás, do "Escuta Israel " e depois de Mateus 22,34-40:
"Amarás o Senhor teu Deus e o próximo como a ti mesmo". Mais tarde Jesus iria-nos dizer, substituindo "como a ti mesmo"por  "Como Eu vos amei". 
Hoje foi demais, eu sei.
Abraço e boa semana, com Maria  na Paz de Jesus.
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

33º domingo comum – Ano A

Evangelho - Mt 25,14-30
Comentário Breve

A parábola dos talentos, no actual contexto de sistema económico liberal, pode muito facilmente ser lida de modo descontextualizado. Corre-se o risco de aparecer como um aplauso à eficiência de ganhos e assim desvirtuar o seu real sentido.
Tal como nas outras parábolas, o verdadeiro sentido, destina-se a exultar os discípulos a uma conversão de vida, dom dos dons recebidos.
Trata-se de um crítica veemente à comunidade cristã que tantas vezes se acomoda ao estado da situação, não enfrenta os desafios que trazem as novidades dos tempos, contentando-se com o que sempre se fez. Isto fica muito bem plasmado naquele comentário gasto de tão ouvido: já no tempo do meu avô...
A dois servos o Senhor deixou muito, cinco e dois talentos, respectivamente, para que os façam "frutificar". A um terceiro servo deixou um talento, que, contudo, não é pouco. Ressaltar que em todos depositou a mesma confiança, confiando-lhes os seus bens. Por isso, é legítima a expectativa que não traiam a confiança e façam uma sábia gestão dos bens que não são deles, mas do seu Senhor que lhas dará recompensa no retorno.
Muito tempo depois, uma alusão à última vinda do Senhor, requer aos servos contas da sua fidelidade e responsabilidade.
Apresentam-se os três diante d'Ele. O que recebeu cinco mostrou-se trabalhador, empreendedor, capaz de arriscar para que os dons não fossem diminuídos, nem desperdiçados ou inutilizados, consignando o dobro. Recebe em troca o elogio e a recompensa: "Muito bem, servo bom e fiel" (…) "Vem tomar parte na alegria do teu senhor". O mesmo acontece com o segundo que também duplicou os talentos.
Por fim vem o outro. Adianta-se e responde: ‘Senhor, eu sabia que és um homem severo, que colhes onde não semeaste e recolhes onde nada lançaste.
Por isso, tive medo e escondi o teu talento na terra".
Aqui tens o que te pertence’.
Com estas palavras confessa uma imagem do seu Senhor: um patrão de quem tem medo, que pede observância escrupulosa do que manda e que age de modo arbitrário. Fabricada uma imagem destas, escolheu não correr riscos: entrega o que recebeu. Assim dá ao Senhor o que é seu e não rouba, nem comete pecado... Onde já ouvi isto?...
"‘Servo mau e preguiçoso", proclama o seu Senhor. Mau fruto da imagem que criou em si e preguiçoso porque não foi capaz de agir segundo a confiança que nele foi depositada.
Todos sabemos que é mais fácil guardar (enterrar) os dons do que os dividir; é mais fácil conservar as posições do passado que descobrir a novidade da proposta; é mais fácil desconfiar do bem que nos fazem do que responder na mesma ordem na liberdade e por amor.
Não nos contentemos com o nosso mínimo.
E se aproveitássemos a parábola deste domingo para fazer o ponto da situação sobre os “talentos” que recebemos e aqueles que ganhámos?

- Agenda para hoje -

Lisboa
Música em São Roque
Portugal, o Compositor
Ensemble MPMP; Jan Wierzba, dir.
Igreja de S. Roque
21h30
Informações sobre programa completo e aquisição de bilhetes:Música em São Roque

sábado, 15 de novembro de 2014

Formação para catequistas, em Alfragide


O Departamento da Catequese do Patriarcado de Lisboa promove, no próximo dia 29 de novembro, sábado, uma nova formação para catequistas do 1º ao 6º ano da catequese. “Esta nova data de formação deve-se ao elevado número de inscrições e participações na última formação e ao facto de muitos terem manifestado a necessidade de existir nova formação para esta fase da catequese. Contamos, deste modo, conseguir chegar a todos os catequistas que desejam esta formação específica”, informa este departamento, no seu site na internet (www.catequese.net).A formação decorre no Seminário de Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide, entre as 9h00 e as 13h00.


Inscrições: 218810533 ou catequese@patriarcado-lisboa.pt

Vaticano

Vaticano: Papa rejeita aborto e eutanásia, sinais de «falsa compaixão» pelo ser humano
Francisco faz discurso em defesa da vida perante Associação de Médicos Católicos Italianos
Cidade do Vaticano, 15 nov 2014 (Ecclesia) – O Papa disse hoje no Vaticano que o aborto, a eutanásia e a “produção” de filhos mostram uma “falsa compaixão” que põe em causa a dignidade da pessoa, pedindo que nenhum ser humana seja uma “cobaia”.

“O pensamento dominante propõe, por vezes, uma falsa compaixão, a que considera como ajuda à mulher favorecer o aborto, como um ato de dignidade procurar a eutanásia ou como conquiesta científica ‘produzir’ um filho”, disse, num discurso proferido durante a audiência que concedeu à Associação de Médicos Católicos Italianos.
G20: Papa defende aposta no emprego «estável e dignificado» 
Francisco apela a intervenção internacional para travar conflito no Médio Oriente
Cidade do Vaticano, 15 nov 2014 (Ecclesia) - O Papa lançou um apelo aos líderes que integram o G20, pedindo que a sua próxima reunião promova uma política de criação de “emprego estável e dignificado” para superar a atual crise económica.
“Isto vai exigir uma melhoria na qualidade do investimento e dos gastos públicos, a promoção do investimento privado, um sistema fiscal justo e adequado, esforços concertados para combater a evasão fiscal e uma regulação do setor financeiro que assegure honestidade segurança e transparência”, refere Francisco, numa mensagem aos chefes de Estado e de Governo dos 20 países com maiores economias, reunidos entre hoje e amanhã na cidade australiana de Brisbane.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Musica:

Papa felicita Teresa Salgueiro e Rão Kiao pelas obras «Cânticos da tarde e da Manhã» e «Sopro de Vida»
Lisboa, 13 nov 2014 (Ecclesia) – O Papa Francisco enviou uma mensagem a Teresa Salgueiro e a Rão Kiao felicitando-os pelos discos “Cânticos da tarde e da Manhã” e “Sopro de Vida, ao ritmo da Liturgia”.
A carta enviada pela Secretaria de Estado do Vaticano afirma que “o Santo Padre acolheu com prazer” o CD de Teresa Salgueiro “Cânticos da tarde e da manhã” e o de Rão Kiao “Sopro de Vida, ao ritmo da Liturgia”, enviados pelos artistas ao Papa por ocasião do primeiro aniversário da sua eleição como sucessor de Pedro.
Francisco enviou também um agradecimento ao reitor do Seminário de Almada e bispo de Setúbal, D. Gilberto Canavarro Reis, pelos discos que recebeu, onde está escrita uma mensagem dos autores expressando os “sentimentos de alegria e gratidão ao Pai do Céu pelo Pontificado e vida” do Papa.
“Nunca sejais homens e mulheres tristes: um cristão não o pode ser jamais! Nunca vos deixeis invadir pelo desânimo!”, escreve Francisco na carta dirigida a Teresa Salgueiro, Rão Kiao e ao reitor do Seminário de Almada.
De acordo com os documentos enviados à Agência ECCLESIA, o Papa “confia à proteção da Virgem” Teresa Salgueiro, Rão Kiao e seus familiares e concede-lhes, bem como ao Reitor, formadores, seminaristas e pessoal auxiliar do Seminário de São Paulo de Almada a Bênção Apostólica.
O CD de Teresa Salgueiro “Cânticos da tarde e da Manhã”, de 2013, e de Rão Kiao “Sopro de Vida, ao ritmo da Liturgia”, de 2010, foram produzidos pelo Seminário de São Paulo de Almada.
PR