domingo, 31 de março de 2013

Igreja atenta

Braga: Arcebispo critica políticos que se refugiam «em questões sem sentido do verdadeiro bem comum»

E mostra-se preocupado com «as famílias cujo frigorífico se vai esvaziando»

Braga, 29 mar 2013 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga criticou, esta sexta-feira, os políticos que se refugiam “em questões sem sentido do verdadeiro bem comum”
Na homilia da Paixão do Senhor, D. Jorge Ortiga mostrou-se também preocupado com as “depressões dos jovens portugueses que se fecham nos seus quartos por causa do desemprego” e “as famílias cujo frigorífico se vai esvaziando”.
Ao olhar para a situação actual, D. Jorge Ortiga lamenta também que “o sistema bancário”, depois de “ter imposto a tirania de consumos desnecessários para atingirem metas lucrativas, hoje condiciona o crédito justo às jovens famílias portuguesas, com taxas abusivas que dificultam o acesso a uma qualidade de vida com dignidade”
Neste “difícil status social” que se vive e onde muitas vezes se deixa “de acreditar no mundo, nos economistas, nos outros, no futuro, na Igreja e em Deus”, e onde até se corre “o risco de deixar de acreditar em nós próprios, apesar de tudo, Jesus hoje, do alto da Cruz, ilumina-nos e dá-nos a certeza de que, mesmo assim, Deus não deixa de acreditar em nós e nas nossas capacidades para edificar um mundo diferente!”, frisou na homilia.
LFS

Sem Abrigo, Uma questão social

Páscoa significa renascimento, renascer. Desejo que neste dia, em que nós cristãos, comemoramos o seu renascimento para a vida eterna, possamos renascer também em nossos corações. Que neste momento tão especial de reflexão possamos lembrar daqueles que estão aflitos e sem esperanças. Possamos fazer uma prece por aqueles que já não o fazem mais, porque perderam a fé em um novo recomeçar, pois esqueceram que a vida é um eterno ressurgir. Não nos deixe esquecer que mesmo nos momentos mais difíceis do nosso caminho, tu estas connosco em nossos corações, porque mesmo que já tenhamos esquecido de ti, você jamais o faz. Pois, padeceste o martírio da cruz em nome do Pai e pela humanidade, que muitas e muitas vezes esquece disso. Esquecem de ti e do teu sacrifício Quando agridem seu irmão, Quando ignoram aqueles que passam fome, Quando ignoram os que sofrem a dor da perda e da separação, Quando usam a força do poder para dominar e maltratar o próximo, Quando não lembram que uma palavra de carinho, um sorriso, um afago, um gesto podem fazer o mundo melhor. Jesus... Conceda-me a graça de ser menos egoísta, e mais solidário para com aqueles que precisam. Que jamais esqueça de ti e de que sempre estarás comigo não importa quão difícil seja meu caminhar. Obrigado Senhor, Pelo muito que tenho e pelo pouco que possa vir a ter. Por minha vida e por minha alma imortal. Obrigado Senhor! Amém. Feliz Páscoa!

Partilha

Domingo de Páscoa
Aconteceu em Jerusalém, que um certo Nazareno, chamado Jesus Cristo, foi condenado à morte e crucificado entre malfeitores, por ter AMADO demais.
Soubemos ainda, segundo fontes próximas que, Este condenado, passou na terra fazendo o bem e teve como acusação principal o ter-Se intitulado Rei de um Reino que não era deste mundo, o que provocou grande afronta, e maior confusão perante o pensamento de ser o Messias Filho de Deus.
Foi sepultado num sepulcro ali perto, a estrear e bem guardado, não fosse Ele fugir...
Quando os seus seguidores O foram visitar viram, incrédulos, que o túmulo estava vazio.
Era bem verdade... Ele... não estava! Após algum desânimo e dúvida deu lugar a certeza... Ressuscitou!!! Ressuscitou!!!  E agora habita no coração do Homem para com ele continuar a fazer história.
Quão felizes são os que acreditam nesta Verdade de Amor Divino. Aleluia! Santa Páscoa na Paz d'Aquele que é a verdadeira Paz ("dou-vos a Minha Paz, deixo-vos a Minha Paz"- palavras para nós do próprio JC). Alegria! Alegria! Há tempos nasceu-nos em Belém um Deus Menino que venceu a morte por Amor só para nos redimir do pecado! Aleluia!
- Ana Saldanha (elemento da Equipa Casais Santa Maria - Colares)

Procissão do Enterro do Senhor 29-03-2013 [completo]

- Procissão do Enterro do Senhor pelas Ruas da Vila da Moita - Completo - Acompanhada pela Banda Filarmónica do Rosário. (Clique no titulo)

Indonésia

Tradições da Semana Santa transmitidas por missionários portugueses continuam vivas no maior país muçulmano | IMAGENS |
É um momento de fé único no mundo cristão. Numa pequena ilha das cerca de 14 mil habitadas do maior país muçulmano do mundo, a Indonésia, a Semana Santa da Páscoa é festejada nas Flores como missionários portugueses terão idealizado há cerca de quatro séculos. Só nesta ilha existe uma maioria católica no país e tudo é feito passo a passo como numa viagem ao passado. Bem-vindo a uma impressionante manifestação de fé.

Via Sacra em Almoçageme

http://www.youtube.com/watch?v=Yr2cKS4N-Mw&feature=share
Pode ver também e mais fotos em: Noticias de Colares

Espiritualidade

Resposta de Deus diante do mal não é o silêncio mas a cruz da misericórdia, diz papa Francisco
«Por vezes parece que Deus não responde ao mal, que permanece em silêncio. Na realidade Deus falou, respondeu, e a sua resposta é a cruz de Cristo: uma palavra que é amor, misericórdia, perdão», sublinhou. «Deus julga-nos amando-nos. Se acolho o seu amor, sou salvo; se o recuso, sou condenado, não por Ele mas por mim mesmo, porque Deus não condena; Ele só ama e salva».

Partilha

Sábado Santo
Hoje,  tempo de silêncio ,  adoração, esperança , agradecimento .
Parar.... Parar para Te contemplar!
Ana Saldanha (elemento Equipa Casais Santa Maria - Colares)

sábado, 30 de março de 2013

Partilha

Sexta-Feira Santa
Dia de meditação e recolhimento interior ..!
Junto à simplicidade da Grande Cruz do Amor, brota a humildade, a doação, fidelidade... Fico sem palavras ... apenas o meu silêncio interior... Fecho os olhos e uma leveza me invade... Uma  Paz cresce dentro de mim... É bom estar Contigo!... ADORAR-TE.... prostrar-me de joelhos não posso, mas o meu coração, todo o meu ser, se ajoelha e se entrega a Ti... Estou aqui! Só a Ti me quero entregar !.... 
-Ana Saldanha (elemento Equipa Casais Santa Maria - Colares)

sexta-feira, 29 de março de 2013

SEXTA-FEIRA SANTA e SÁBADO SANTO

Dia 29 de Março
10h00 – Oficio de Leituras e Laudes
15h00 – Celebração da Paixão e Morte do Senhor
21h00 – Via Sacra em Almoçageme
Dia 30 de Março
10h00 – Oficio de Leituras e Laudes
22h00 – Solene Vigília Pascal

Espiritualidade

Quaresma, Sexta-feira Santa: meditação bíblica | VÍDEO |
A Semana Santa coloca-nos perante a cruz de Jesus, que provoca necessariamente uma reflexão sobre a nossa cruz e a cruz do mundo. Mas antes de ter sido entendida como lugar de salvação e redenção, ela foi experimentada como sinal de fracasso. A meditação bíblica que propomos baseia-se na disponibilidade de Pedro para seguir Jesus até à morte, intenção que esqueceria horas depois ao negar que o conhecia.

Partilha

Quinta-Feira Santa
Obrigada meu Jesus pelo teu infinito AMOR ;
Obrigada Maria pelo teu SIM ;
Obrigada José, por em silêncio, teres cuidado dos dois.
Ana Saldanha 

quinta-feira, 28 de março de 2013

Homilia de D. José Policarpo na Missa Crismal na Sé de Lisboa - 2013


Espiritualidade

Quinta-feira da Semana Santa: meditação bíblica | VÍDEO |
Depois de sair para o monte das Oliveiras com os discípulos, Jesus afasta-se para rezar. Aproxima-se a hora da cruz, e ele pressente-a: «Pai, se quiseres, afasta de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, mas a tua.» Depois da angústia regressa para junto dos apóstolos, que encontra a dormir. Então, avisa-os: «Levantar-vos e orai, para que não entreis em tentação». De que tentação se fala aqui? Não é certamente, o impulso para o mal, mas sim algo de muito subtil e dramaticamente mais perigoso: fugir das próprias responsabilidades; o medo de decidir-se; o medo de afrontar a realidade que nos exige uma decisão pessoal; a tentação de fugir dos problemas da vida, de fechar os olhos, esconder-se e de não sentir para não ser levado a agir.

Audiência Geral: Papa ensina como viver a Semana Santa

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 27-03-2013, Gaudium Press) - O Papa Francisco prometeu voltar a tratar do Tema do Ano da Fé somente após a Páscoa. Em sua primeira Audiência Geral ele enfocou sua catequese na temática da Semana Santa. Como de costume, a Praça São Pedro estava repleta de fiéis que esperavam ouvir as palavras do Pontífice.
primeiro_angelus_papa_francisco.jpg
Foto Gustavo Kralj/Gaudium Press
O Santo Padre perguntou didaticamente aos seus ouvintes: "Mas que significa viver a Semana Santa para nós?" e, logo em seguida, respondeu que é acompanhar Jesus no caminho rumo à Cruz e à Ressurreição. E explicou que, na Semana Santa, vivemos o ápice da caminhada de Jesus: ele se entregou voluntariamente à morte para corresponder ao amor de Deus Pai, em perfeita união com sua vontade, para demonstrar o seu amor por nós.
Jesus foi presença de amor na terra, continuou, em sua missão terrena, ele falou a todos, sem distinção, aos grandes e aos humildes, trouxe o perdão de Deus e sua misericórdia, ofereceu esperança; consolou e curou.
O Papa novamente perguntou: "O que tudo isso tem a ver conosco?" E , de novo, respondeu sua própria pergunta: "Significa que esta é também a minha, a tua, a nossa caminhada. Viver a Semana Santa seguindo Jesus quer dizer aprender a sair de nós mesmos, ir ao encontro dos outros, ir às periferias da existência, encontrar sobretudo os mais distantes, os que mais necessitam de compreensão, de consolação, de ajuda".
Para o Papa, viver a Semana Santa é entrar sempre mais na lógica de Deus, do Evangelho. E ele ressaltou que acompanhar Cristo exige sair de nós mesmos, deixar de lado um modo habitual de viver a fé . Deus saiu de Si mesmo para vir ao nosso encontro e também nós devemos fazer o mesmo. A falta de tempo não é desculpa, disse o Papa. Não podemos nos contentar com uma oração, uma Missa dominical distraída e não constante, de algum gesto de caridade, e não ter a coragem de "sair" para levar Cristo, explicou o Pontífice.
praca_sao_pedro.jpg
Praça de São Pedro, Papa Francisco fez hoje sua primeira
Audiência Geral das Quartas-feiras

Foto Gustavo Kralj/Gaudium Press
"A Semana Santa é um tempo de graça que o Senhor nos doa para abrir as portas do nosso coração, da nossa vida, das nossas paróquias, dos movimentos, das associações, e ‘sair' ao encontro dos outros para levar a luz e a alegria da nossa fé, um raio de amor do Senhor. Sair sempre! E isso com o amor e a ternura de Deus, no respeito e na paciência", completou o Papa Francisco. (JS)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/45229#ixzz2Onc01EDP
Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte. 

QUINTA-FEIRA SANTA

– Dia 28 de Março
21h00 – Celebração da Ceia do Senhor com Lava-Pés
“Não fostes capazes de vigiar uma hora comigo” Mt. 26, 40
Vigília de Oração: Legião de Maria das 22h00 às 23h00; Pastoral Vocacional das 23h00 às 24h00. A partir das 00h00 por localidades: Ulgueira das 00h00 até à 01h00; Penedo da 01h00 às 02h00; Eugaria das 02h00 às 03h00; Azenhas do Mar das 03h00 às 04h00; Colares das 04h00 às 05h00; Mucifal das 05h00 às 06h00; Almoçageme das 06h00 às 07h00; Praia das Maçãs das 07h00 às 08h00; Azóia e Banzão das 08h00 às 09h00.
Lembrando a Casimira
Faz hoje um ano que a nossa amiga nos deixou, partiu para o Senhor, onde deve estar a zelar para que não falte nada, na Sua Ceia, Paixão Morte e Ressurreição, onde  não faltará os seus arranjos florais, para embelezar o espaço Celeste. Rezemos para que a sua alma repouse na paz do Senhor. PN, AM e Glória

quarta-feira, 27 de março de 2013

Palavras de Fé

O Poder de Cristo Ressuscitado

A Ressurreição de Jesus tem poder para transformar as nossas vidas. Pois, quanto mais aceitarmos a sua verdade, a sua realidade, maior será a mudança na nossa relação com Deus e com o mundo em que vivemos.
O pecado e a morte não triunfaram sobre Jesus Cristo. Nem podiam, na verdade, porque o homem Jesus Cristo é também Deus!
Quando, um dia, contemplarmos Deus como Ele verdadeiramente É, compreenderemos a riqueza da nossa própria vida, em toda a sua plenitude e dignidade. Havemos ainda de compreender  a perfeição e o Amor que se encontra n’Ele.
Agora, estas realidades ultrapassam-nos pois encontram-se para além do nosso simples entendimento. Compreendemos, no entanto, o suficiente para saber que a Vida e Amor em Jesus Cristo não se podem extinguir, não se podem derrotar. Com Ele, brotarão e crescerão, tornando-se a Sua dádiva para connosco.
E Ele quer nos dar a Sua Vida. Quer nos dar o Seu Amor. Fá-lo-á, se aceitarmos receber a Sua dádiva. Foi o que São Paulo procurou transmitir quando escreveu: “Agora a vossa vida está escondida com Cristo em Deus”(Col. 3,3). É-nos dada assim uma Nova Vida. Recebemo-la primeiro no batismo. Essa vida levou São Paulo a afirmar, noutra ocasião: “Vivo agora, não eu, mas é Cristo que vive em mim” (Gál. 2,20). Palavras arrojadas mas cheias de significado.
Jesus Cristo está vivo! Em nosso nome, e pela nossa salvação, Ele ganhou uma vitória final às trevas e à morte. A sua ressurreição é o esteio da nossa Fé cristã. É a certeza que nos orienta, o sinal dado por Deus de que nunca seremos derrotados nem morreremos.
Não podemos deixar de ter presente este Cristo ressuscitado da morte, cuja presença nos deve interpelar a lutar o melhor que soubermos e pudermos, de forma a vivermos como Ele nos ensinou. Ele está connosco, invisível aos nossos olhos mas sempre presente nos nossos corações, assim queiramos nós!
Pela Fé, podemos compreender, cada vez melhor, a Sua presença salvífica, em nós e em nosso redor. A celebração dos grandes mistérios da Fé, a Paixão Morte e Ressurreição do Senhor, são assim verdades que têm de influenciar a nossa vivência interna, aqui e agora, e não apenas verdades externas celebradas uma vez por ano. Estas verdades têm ainda de exercer o seu Poder sobre nós, a fim de estarmos melhor preparados para sermos, hoje, testemunhas de Cristo. A força para tal advém diretamente da nossa Fé e da nossa união com Cristo, e nunca de nós e nem dos nossos próprios recursos.
Caros colaboradores deste blog e amigos que o visitam, que o Senhor vos conceda esta preciosa força bem como uma Feliz e Santa Páscoa, animada pela Vida em Cristo Ressuscitado!

Pe. José António Rebelo da Silva

Partilha

Já estamos a meio da SS.... e a dois passos do inicio do Tríduo Pascal !  O tempo passa veloz e  simultaneamente implacável, alheio às nossas vontades e desejos... Passa tudo por nós (por mim pelo menos) a correr, como  água do ribeiro que eu não consigo agarrar... Jesus tanto que eu queria (quero) ter mais tempo para Contigo poder estar. Tinha projectos para uma semana calma e tudo se precipitou e veio um mar de tarefas. Já sei, Tu me dirás " Que buscas atrás de sombras? Aí não me encontrarás! Andas atarefada que nem Marta e esqueceste-te que a melhor parte foi para tua irmã Maria. Ela escolheu-Me". 
Oh Jesus eu sei, como diz Paulo, o tempo que vivo sem Ti é perda!
Hoje relembro a traição de Judas, ultimo passo para a Tua entrega, a partir daqui começa o fim do princípio. Revejo em mim o Judas, sou também eu que Te traio. Com o meu egocentrismo, o meu "eu" tantas vezes em primeiro lugar, a minha falta de entrega, o meu alheamento... sou também eu Senhor que Te traio, porque a minha entrega a Ti ainda não é plena e tudo parte daqui. Sim, esta é a minha maior traição: a resistência à Tua Pessoa. Sou eu mesmo Senhor!, a que todos os dias Te reza e que faz votos de tantas coisas e que depois Te trai, procurando a felicidade longe de Ti (nas sombras!). Eu sei tudo isto... e volto a falhar... não entendo a generosidade da Tua entrega não abranjo o Teu Amor, o Teu perdão... porque em Ti tudo é infinito e eu com as minhas fragilidades... Senhor Jesus fica comigo, eu preciso de Ti, dá-me um coração humilde para poder contemplar o teu rosto e entender que Tu me amas sem limites.
Ana Saldanha

Mensagem do Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. José da Cruz Policarpo - 2013

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=xm8_s7MJPMk

Espiritualidade

Quaresma, quarta-feira da Semana Santa: sabedoria e sabor dos Padres do Deserto
«Alguém perguntou ao Pai António: ‘que devo fazer para agradar a Deus?’ E o ancião respondeu: ‘Faz o que te digo: para onde quer que vás, tem sempre Deus diante de teus olhos; em tudo o que fizeres ou disseres, tem ptesente as Escrituras; mores onde morares, não fujas».

segunda-feira, 25 de março de 2013

Domingo de Ramos: o que fazer com os ramos bentos?

Redação (Segunda-feira, 25-03-2013, Gaudium Press) Uma pergunta simples que, sem dúvida, muitos gostariam de vê-la respondida. A resposta nos é dada por Dom Andrés Azacarte, OSB, em seu "Missal para a América":

ramos_bentos.jpg
"Os ramos bentos no domingo de Ramos devem ser guardados com respeito e colocados em algum lugar descente do lar. Servem para proteger os cristãos contra raios e incêndios e para afugentar o demônio.
E alguns países fazem-se com eles cruzes pequenas que se cravam nos vinhedos, olivais, hortas e sementeiras, para preservá-los das pestes e saraivadas miúdas.
Efetivamente, podem-se usar para todos estes fins, uma vez que são coisas bentas e, como tais, veículos de celestial proteção, bem como indica a liturgia no cerimonial da benção:(1)
"Deus eterno e todo-poderoso, abençoai estes ramos, para que, seguindo com alegria o Cristo, nosso Rei, cheguemos por ele à eterna Jerusalém. Por Cristo, nosso Senhor. Amém"(2) (JS)
1) AZACARTE, Dom Andrés. Missal Diário para América. Ed. Espanhol-latim. Buenos Aires: Xila, 1946.
2)Missal Romano, 14ª edição . São Paulo: Paulus, 2010.

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/45174#ixzz2Ob8i9tWV
Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte. 

Partilha

Quão pequenina eu sou perante as maravilhas que o Senhor me oferece!!!..
Praia Grande , sábado 23 - 18,45h
Meditação
Subiste à cidade santa de Jerusalém com gritos de alegria e aclamação, coroado de glória para logo a seguir seres negado... humilhado... abandonado por grande parte do povo que Te aclamava... Isto sucedeu assim há 2000 anos... e HOJE ? Quantas vezes Te aclamamos e Te excluímos da nossa vida... Tal como há 2000 anos, hoje (já com a Tua mensagem sabida e decorada), nuns momentos seremos Pedros, noutros Tomés. ...Olhamos para o lado como quem não quer a coisa, desconhecemos-Te… e esquecemos que também Te aclamámos...?! Dentro de nós uma voz mais alta se eleva que não a Tua. Eles,  perante o Teu olhar amoroso, arrependeram-se... e...Tu perdoaste! E eu? tenho tempo para me arrepender, ou tudo gira a uma velocidade tão grande que me sinto incapaz de ver e sentir o Teu olhar amoroso do perdão pousado no meu coração?
Senhor Jesus eu quero subir, subir  à Cidade Santa, não à física, mas à espiritual, À Celestial! Contigo quero subir.  Eu quero subir bem alto pelos caminhos da Humildade e Fidelidade, da Tua Paz e do Amor do Pai... Vem Jesus fica comigo, como ficaste com Paulo, para que vivas em mim e eu em Ti, na humildade da entrega, como Tu nos transmitiste.
Nesta bendita Semana Santa,  em que os católicos celebram, meditando com o olhar da Ressurreição, mais intensamente nos mistérios da Tua Paixão e Morte, lembra-Te de nós, tal como do bom ladrão. Olha, eu estou aqui, olha para mim e diz-me como disseste a Zaqueu. Ajuda-me a deixar-Te entrar na minha "casa". Eu quero caminhar Contigo, mas preciso muito de Ti, tal um bebé precisa dos cuidados da mãe... Fica!  Só Tu tens Palavras de VIDA ETERNA. Quero tanto ter humildade para Te poder receber... Ajuda-me a ser um dos mais pequeninos do Teu Reino. Preciso tanto de Ti!
Ana Saldanha

Vaticano - Papa Francisco

«Um bom caminho a todos»: desejo do Papa Francisco para a Semana Santa | VÍDEO |

O papa Francisco desejou hoje «um bom caminho a todos» para a Semana Santa, que começa este domingo de Ramos, naquelas que foram as primeiras palavras públicas em português desde que foi eleito.
Os votos foram proferidos na oração mariana do Angelus, recitada depois da missa celebrada na praça de São Pedro, no Vaticano, perante milhares de pessoas.
Francisco entrou na praça pelas 9h20 locais (8h20 em Lisboa), dentro de um jipe descoberto, tendo percorrido sentado e em silêncio o percurso que o conduziu até ao local onde iniciou a celebração, abençoou os ramos e ouviu a primeira leitura bíblica da missa.
A seguir, também no papamóvel e em silêncio, foi para o altar principal, de onde presidiu à eucaristia em que três diáconos e o coro proclamaram a narrativa evangélica da morte de Jesus. [ Leia aqui os principais temas desenvolvidos na homilia ]
Após a missa e a oração do Angelus, Francisco subiu para a viatura. Durante o caminho beijou várias crianças e chegou a sair do jipe para cumprimentar os fiéis.

Espiritualidade

Quaresma, Domingo de Ramos: a verdadeira oração brota da profundidade
Durante anos, pensámos que a oração era o termo de certos esforços de reflexão ou de meditação sobre Deus. À força de pensar em Deus ou de ter piedosos sentimentos a seu respeito, poderíamos ser levados a falar-lhe ou a pedir-lhe qualquer coisa. Este esforço racional não é totalmente inútil, mas não deixa de ser superficial, porque não atinge a profundidade do coração, e arrisca-se a ficar no exterior da verdadeira oração. Acontece o mesmo com o papel da vontade na oração. Assim, para rezar de verdade com todo o nosso ser, não podemos deixar de passar aí, onde nos espera a única fonte de oração, isto é, a ferida na anca ou o aguilhão na carne. Aquele que encontrou a sua angústia mais secreta e a sua fraqueza mais escondida, como pérola digna de todas as buscas, descobriu ao mesmo tempo a fonte da verdadeira oração.
Quaresma, segunda-feira da Semana Santa: música contemporânea | VÍDEO |
Giacinto Sclesi (1905-1988): “Hymnos”.

Jésus pardonne

Perdoa-nos Senhor...

domingo, 24 de março de 2013

Vaticano - Domingo de Ramos

Vaticano: Papa alerta para «feridas» da humanidade e pede resposta dos católicos

Cidade do Vaticano, 24 mar 2013 (Ecclesia) – O Papa Francisco alertou hoje no Vaticano para as “feridas” que atingem a humanidade e pediu uma resposta dos católicos, a partir da “alegria” da sua fé.
“Olhemos à nossa volta…Tantas feridas infligidas pelo mal à humanidade: guerras, violências, conflitos económicos que atingem quem é mais fraco, sede de dinheiro, de poder, corrupção, divisões, crimes contra a vida humana e contra a criação”, disse, na homilia da missa do Domingo de Ramos, celebração que dá início à Semana Santa.
O Papa argentino sublinhou que “ninguém pode levar” o dinheiro consigo e, num tom pessoal, lembrou um ensinamento da sua avó a este respeito: “A mortalha não tem bolsos”.
Francisco recordou que Jesus despertou “muitas esperanças”, especialmente nas pessoas “humildes, simples, pobres, abandonadas, pessoas que não contam aos olhos do mundo” e soube compreender as “misérias humanas”.

Tríduo Pascal - 2013


Espiritualidade

Quaresma e Páscoa: rito, fé e cultura | IMAGENS |
Das Cinzas ao Compasso os ritos religiosos da Quaresma e Domingo de Páscoa deixam marcas na cultura, até porque muitos se expressam publicamente, fora das igrejas. Neste texto revemos os elementos essenciais da veneração a Cristo crucificado, a espiritualidade baseada na narrativa bíblica da Paixão, a sua leitura e representação dramatizada, a Via Sacra e as celebrações da Semana Santa – Domingo de Ramos, Quinta-feira, Sexta-feira e Sábado Santos, culminando na Vigília Pascal, a mais importante e solene celebração do ano litúrgico.

Papa Francisco e Bento XVI: o vídeo do abraço e da oração comum, num encontro para a História | VÍDEO |

sábado, 23 de março de 2013

«Pai do escutismo português»

CNE: Escuteiros de luto pela morte do monsenhor Américo Ferreira Alves


Lisboa, 23 mar 2013 (Ecclesia) – O Corpo Nacional de Escutas está de luto pelo falecimento do monsenhor Américo Ferreira Alves, considerado “o pai do escutismo português”.
Em comunicado publicado na sua página de internet, o CNE adianta que até dia 4 de abril, os membros do movimento vão homenagear o sacerdote com a colocação de “uma braçadeira estreita de crepe preto, no braço esquerdo”, e que durante as iniciativas coletivas as “bandeiras e bandeirolas” serão cobertas “por uma banda” da mesma cor.
O monsenhor Américo Ferreira Alves faleceu na última quarta-feira em Braga aos 97 anos, depois de uma vida dedicada àquela Arquidiocese, sobretudo aos mais novos.
De acordo com o arcebispo bracarense, em declarações prestadas à Rádio Renascença, o sacerdote tinha “uma paixão pela juventude”, na qual incutiu o ideal escutista “sempre alerta para servir”.
Pastor, ecónomo, professor, o monsenhor Américo Ferreira Alves “deixa como testamento” um projeto de proximidade com os mais novos que a Igreja Católica local “terá” de seguir, realça D. Jorge Ortiga  
RR/JCP

Espiritualidade

Quaresma, sábado da semana V: “O Evangelho segundo S. Mateus”, de Pier Paolo Pasolini | VÍDEOS |
Apresentado em 1964, o filme é dedicado à memória do papa João XXIII, que convocou o Concílio Vaticano II, iniciado em 1962, e morreu um ano depois. Rodado com atores não profissionais em várias povoações italianas.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Espiritualidade

Quaresma, quinta-feira da semana V: Santa Teresa do Menino Jesus
Como amou Jesus os seus discípulos, e porque os amou? Ah! não eram as qualidades naturais deles que O podiam atrair; havia entre eles e Ele uma distância infinita: Ele era a Ciência, a Sabedoria eterna; eles eram pobres pescadores, ignorantes e cheios de pensamentos terrestres. Apesar disso, Jesus chama-lhes seus amigos, seus irmãos. Ah! compreendo agora que a caridade perfeita consiste em suportar os defeitos dos outros, em não se escandalizar com as suas fraquezas, em edificar-se com os mais pequenos atos de virtude que se lhes vir praticar; mas compreendi, sobretudo, que a caridade não deve ficar encerrada no fundo do coração.
Quaresma, sexta-feira da semana V: Rui Chafes | IMAGENS |
Uma escultura que se esconde. Que revela escondendo. Que se apresenta como nuvem de fumo negro que rasga a terra em direção ao alto. Supreende-nos imediatamente a estranha contradição do material que se nega, o ferro que parece recusar o poder da gravidade e do seu peso, transformando-se em fumo imaterial. Ao aproximarmo-nos dela percebemos que vem de longe, de muito longe. Abre uma brecha de escuridão em direção a um abismo. Rasga uma fenda no mundo. O que vemos dela é apenas uma parte, uma pequena parte, porque ela está enterrada – e essa posição é-lhe fundamental. É constituída não apenas pelo ferro, mas por essa escuridão aberta – uma obscuridade que é o subsolo inacessível de toda a obra.

Roma

quinta-feira, 21 de março de 2013

Vaticano

Papa convida os pobres para a missa da Ceia do Senhor, Quinta-feira Santa
O papa Francisco determinou que sejam convidadas pessoas assistidas pela Cáritas de Roma e outras organizações de apoio social para a missa da Ceia do Senhor, celebrada na tarde de Quinta-feira Santa. Durante a audiência que teve esta quarta-feira no Vaticano com representantes de Igrejas cristãs, comunidades eclesiais e tradições religiosas, Francisco sublinhou que, em conjunto, «é possível fazer muito pelo bem de quem é mais pobre, de quem é fraco e de quem sofre, para favorecer a justiça, para promover a reconciliação, para construir a paz». Esta quinta-feira o papa recebe o argentino Adolfo Pèrez Esquivel (n. 1931), arquiteto, escultor e ativista dos direitos humanos que em 1980 foi distinguido com o Prémio Nobel da Paz.

Primavera

A primavera está por toda a parte. Até em nós?
A primavera está por toda a parte. Em nosso redor a natureza parece vencer a imobilidade do inverno e amontoa os traços insinuantes do seu reflorir. Há uma seiva que revitaliza a paisagem do mundo. Mesmo nos baldios, nos pátios e quintais abandonados, nos jardins mais desprovidos a primavera desponta com uma energia que arrebata. Penso muitas vezes nos versos do Cântico dos Cânticos, o mais primaveril poema da Bíblia.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Espiritualidade

Quaresma, quarta-feira da semana V: A alegria na frugalidade
Há toda uma arte de saber fazer festa com uma grande simplicidade de recursos. Existem famílias e outras comunidades que estão muito treinadas nesta arte. E o que impressiona é a alegria que testemunham. Tudo ganha outra intensidade quando os recursos para a festa não vêm tanto do exterior, mas são fruto da convocação do que há de melhor em cada um de nós. Amplia-se o espaço para a criatividade, para a espontaneidade e para a manifestação dos afetos. Importa romper com a lógica de que a alegria está no consumo e na apropriação. Não será legítimo esperar das comunidades cristãs o testemunho da alegria numa vida frugal que se traduza numa efetiva prática da solidariedade?

terça-feira, 19 de março de 2013

Mensagem

Envio um pedacinho das palavras do nosso Papa, na homilia de hoje…

Somos 'guardiões' da criação, do desígnio de Deus inscrito na natureza, guardiões do outro, do ambiente; não deixemos que sinais de destruição e morte acompanhem o caminho deste nosso mundo", "É guardar as pessoas, cuidar carinhosamente de todas elas e cada uma, especialmente das crianças, dos idosos, daqueles que são mais frágeis e que muitas vezes estão na periferia do nosso coração. É cuidar uns dos outros na família: os esposos guardam-se reciprocamente, depois, como pais, cuidam dos filhos, e, com o passar do tempo, os próprios filhos tornam-se guardiões dos pais. É viver com sinceridade as amizades, que são um mútuo guardar-se na intimidade, no respeito e no bem. Fundamentalmente tudo está confiado à guarda do homem, e é uma responsabilidade que nos diz respeito a todos. Sede guardiões dos dons de Deus"

“Quando o homem falha nesta responsabilidade, quando não cuidamos da criação e dos irmãos, então encontra lugar a destruição e o coração fica ressequido". "Guardar a criação, cada homem e cada mulher, com um olhar de ternura e amor, é abrir o horizonte da esperança, é abrir um rasgo de luz no meio de tantas nuvens, é levar o calor da esperança!"

Durante a homilia, o Papa referiu ainda que não se deve "ter medo" da bondade. "Para 'guardar', devemos também cuidar de nós mesmos. Lembremo-nos de que o ódio, a inveja, o orgulho sujam a vida; então guardar quer dizer vigiar sobre os nossos sentimentos, o nosso coração, porque é dele que saem as boas intenções e as más: aquelas que edificam e as que destroem. Não devemos ter medo de bondade, ou mesmo de ternura."

Feliz dia de S. José!

Que ele ensine cada um de nós a ser verdadeiro guardião da vida em todas as dimensões.
Ana Colares

“Por favor, rezem também por mim”

Fundação AIS 
http://www.fundacao-ais.pt/noticias/detail/id/2960

É uma simples carta de agradecimento. Tem apenas quatro parágrafos e nota-se logo a ausência de qualquer brasão cardinalício ou de qualquer elemento gráfico relevante. A carta do “Arzobispo de Buenos Aires”, …
A carta do Cardeal Bergoglio ao padre Werenfried van Straaten

Cultura e Ensino

Universidade Católica abre Academia de Estudos Livres com cursos breves sobre Cinema, Filosofia e Literatura
A Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, criou a Academia de Estudos Livres, «que pretende ser uma oportunidade para ajudar percursos de reflexão, aprendizagem e intercâmbio de experiências para quem deixou de frequentar o ensino superior. A iniciativa estende-se também a pessoas que nunca tendo passado pela universidade «têm interesse e curiosidade em dar início a novas experiências de contacto com o saber», lê-se no desdobrável do projeto. «Acreditamos que podemos contribuir para reavivar potenciar adormecido, repensar formas de estar, reconstruir valores e utilizar ferramentas disponíveis de forma útil e gratificante.»
Semanário Ecclesia: três mil páginas de informação multimédia por ano
O semanário Ecclesia assumiu no início de janeiro o formato exclusivamente digital, dando lugar a conteúdos multimédia que não podiam ser oferecidos na edição em papel. A revista publicada pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja Católica, geralmente com 60 páginas, inclui uma entrevista e colunas assinadas semanalmente pelos bispos D. José Cordeiro, D. Pio Alves, D. António Marcelino e D. Manuel Linda. Cada edição oferece uma síntese das principais notícias da Igreja em Portugal e no mundo, além do editorial, a “foto da semana”, citações recolhidas nos media e, ainda, espaços de opinião.

Quando Jesus diz “Pai Nosso”

Dia do Pai: um Pai que se torna nosso
Lapidares na sua clareza são as palavras de São Cipriano sobre o Pai-Nosso: «Não dizemos “Meu Pai, que estais nos céus” e de igual maneira “Dá-me hoje o pão de cada dia”. E nenhum de nós pede que venha perdoada apenas a sua ofensa, nem pede que só ele seja poupado à tentação ou liberto do mal. A nossa oração é pública e comunitária, e quando rezamos, rezamos por todo o povo, não apenas pelo indivíduo, por que todos formamos uma coisa só». Comovedores são igualmente os termos usados por Santo Agostinho: «”Pai-Nosso”, quanta bondade! Di-lo o imperador e di-lo o mendigo, declara-o o patrão e declara-o o criado, afirmam-no juntos…Compreendem assim que são irmãos, desde o momento em que têm o mesmo Pai, um só Pai». E, no mesmo registo, se alinha a meditação contemporânea do poeta Charles Péguy: «É necessário salvar-se conjuntamente, precisamos de chegar juntos ao Paraíso, precisamos apresentarmo-nos juntos no Paraíso. É necessário pensar nos outros, é necessário doar-se aos outros. O que é que Deus nos dirá, se chegarmos ao Paraíso sem os outros?».

Espiritualidade

Quaresma, terça-feira da semana V: Patrística
Os donativos dos ricos são amplos; menores, os daqueles que têm fortuna mediana, mas o efeito das obras não difere se idêntico for o afeto dos que as praticam. Nesta oportunidade, caríssimos, de exercermos as virtudes, existem outras coroas, não provenientes dos gastos dos depósitos, nem da diminuição do dinheiro.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Espiritualidade

Quaresma, segunda-feira da semana V: música contemporânea | VÍDEO + ÁUDIO |
O compositor João Madureira apresenta a peça “Proverb”, de Steve Reich (1936), criada em 1995 para três sopranos, dois tenores, dois vibrafones e dois órgãos elétricos.

domingo, 17 de março de 2013

Oração Mariana

SEGUNDA-FEIRA 18 às 21h00 nas Azenhas do Mar 

Solenidade de São José

TERÇA-FEIRA 19 às 19h00 - Missa em Colares às 19h00.

Destaques da semana

SEGUNDA-FEIRA: Oração Mariana Azenhas do Mar ás 21h.
TERÇA-FEIRA: Solenidade de São José, Missa em Colares às 19h00.
QUARTA-FEIRA: Confissões em Almoçageme às 10h00.
SEXTA-FEIRA: Confissões aos doentes e idosos de Colares a partir das 15h30.

Partilha


No silêncio do mar, Senhor, ouço a Tua voz que me fala de Ti e de mim... do mundo que Tu amas... dos Homens que Tu amas por igual seja rico ou pobre, branco ou preto, qualquer um...! É a Tua Criação! Tu amas-me Senhor, o Unício que me ama como eu sou, que me aceita com as minhas fragilidades, que espera por mim... Pela minha adesão à Sua Pessoa... Mesmo que eu tarde Tu estás sempre à minha espera! Tu amas-me.!!! O meu coração enche-se e fica leve, uma alegria imensa ilumina o meu ser. Obrigada Senhor por me amares e aceitares assim, como sou. Ajuda-me, dá-me um coração humildade para confiar em Ti, sem limites. 
Abraço Ana Saldanha

Passeio Paroquial a Coimbra

PROGRAMA

Espiritualidade

Quaresma, V Domingo: para uma espiritualidade da alegria
Não convém confundir a alegria corri as suas diversas expressões a todos os níveis: existe o prazer, o conforto, a alegria intelectual e artística, a alegria do trabalho bem feito ou do empreendimento conseguido; há, sobretudo, as. alegrias incontáveis das relações humanas, incluindo a alegria do amor, que deve acompanhar o homem ao longo de toda a sua vida. E, no entanto, todas essas experiências não passam de formas exteriores da alegria. Quanto mais importantes forem essas formas, mais profundas as suas raízes. A alegria verdadeira situa-se a uma grande profundidade, e deveríamos cavar profundamente em nós até fazê-la jorrar. É esse sem dúvida o sentido da expressão que costumamos usar quando queremos exprimir uma grande felicidade: Estou profundamente feliz. É por isso que qualquer. grande felicidade é também silenciosa. Não se pode exprimir. É indizível. Raramente aflora à superfície e nós seríamos incapazes de ostentá-la. Somos habitados por essa alegria na própria raiz do nosso ser.

sábado, 16 de março de 2013

Palavras do Papa Francisco.

"É preciso parar de criticar a figura do clero e voltar ao que nos ensina o Evangelho. Estamos todos nos esquecendo dos ensinamentos de Cristo e nos atendo apenas a julgar e condenar...
A Igreja Católica é Cristo e ele já foi julgado por aqueles que não o compreenderam e não o aceitaram. 
O clero é Humano, e como tal, não é perfeito. Não dá para aceitarmos perfeição de 100% dos seres humanos.
Cristo nos ensina isso quando diz:-"Atire a primeira pedra quem não tem pecados".

Não julguemos a Igreja Católica pelos seres humanos dentro dela, mas sim, pelos ensinamentos que Cristo nos deixou de Amor ao próximo, Perdão, Reconciliação, Caridade, Justiça, Paz... ♥♥

Diocese de Santarém

Jubileu Episcopal de D. Manuel Pelino
No mesmo dia 13-3-13 em que era anunciado o novo Papa ao mundo, em Santarém, o bispo diocesano, D. Manuel Pelino Domingues, celebrou os 25 anos de bispo!

Domingo 16 de Março

Este Domingo pelas 18horas, em direto da Sé Patriarcal de Lisboa, transmissão da 5ª Catequese Quaresmal de D. José Policarpo, lida por D. Nuno Brás. 
Acompanhe aqui: www.patriarcado-lisboa.pt ou no MeoKanal Patriarcado TV em 210021.

Espiritualidade

Quaresma, sábado da semana IV: cinema | VÍDEOS |
“Quo Vadis”, realizado em 1951 por Mervyn LeRoy: um general romano apaixona-se por uma cristã. Ao mesmo tempo que descobre a nova religião, começa a questionar a liderança tirânica de Nero, um dos imperadores que ordenou perseguições aos seguidores do cristianismo.
Jesus, o pecado e o perdão: meditação sobre o Evangelho do 5.º Domingo da Quaresma
«Na história da mulher apanhada em adultério, Jesus foi confrontado com uma pecadora cujo castigo estava claramente definido na Lei. A pergunta que o fariseu fez, relativa ao que se deveria fazer com ela, tinha uma resposta muito fácil. Jesus, se fosse religioso, devia tê-la condenado. Mas Jesus, o justo, não o fez. Certamente que este Evangelho vai muito além do que dizer-nos que nós também pecámos, coisa que sabemos muito bem, nas profundezas dos nossos próprios corações escurecidos. Talvez nos diga que, na verdade, se o mundo se está a deteriorar, a culpa, afinal de contas, pode não ser dos outros. Provavelmente, o que se está a desintegrar agora é a quantidade de amor e de atenção que são precisas para que o mundo seja de novo lançado numa existência santa, saudável, feliz, que nenhuma forma de poder ou de medo o podem levar a alcançar.»
Lorenzo Lotto (det.)

sexta-feira, 15 de março de 2013

Apelo contra o "pessimismo"

Vaticano: Papa recusa pessimismo e elogia «velhice»

Cidade do Vaticano, 15 mar 2013 (Ecclesia) – O Papa Francisco deixou hoje um apelo contra o “pessimismo” na Igreja, num encontro com os cardeais que se encontram no Vaticano, e elogiou a atualidade da mensagem cristã, bem como a “velhice”. “Não cedamos nunca ao pessimismo, à amargura que o diabo nos oferece todos os dias: não cedamos ao...


Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, nos cumprimentos ao Papa Francisco


Quaresma, sexta-feira da semana IV: arte contemporânea | VÍDEO |
Numa sociedade pragmática e preocupada com a produtividade, este trabalho inútil é um contrasenso. Para quê? O lema habitual é «mínimo esforço, máximo resultado». Isso é mais razoável. Mas o que move esta montanha não é a racionalidade nem a sensatez, mas a fé. Um acreditar ser possível contrariar a gravidade que nos empurra para baixo em direção ao visível, utilitário, rasteiro… E o que este esforço forma, aquilo a que dá origem, não é exterior ao próprio esforço. Improdutivos! – acusarão alguns. Mas nesse gesto inútil – gesto artístico autêntico -, estes voluntários deslocam o horizonte do mundo: substituem o utilitarismo pragmatista e egocêntrico pelo poder do comum. Apresentam o serviço como verdadeiro poder: agir «em prol de» é que nos humaniza.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Patriarca elogia aposta de simplicidade do Papa

Paulo Rocha, enviado da Agência ECCLESIA ao Vaticano

Roma, 14 mar 2013 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa disse hoje em Roma que o novo Papa vai ter de enfrentar no Vaticano uma “estrutura pesadíssima” e deixou votos de que Francisco a possa “simplificar”, admitindo que a escolha é surpreendente.

“Estas surpresas penso que têm o dedo de Deus, são o anúncio de um desafio para a Igreja de se purificar, de se simplificar”, disse D. José Policarpo, em conferência de imprensa, um dia após o final do Conclave

JMJ 2013

JMJ2013: Juventude portuguesa quer dizer ao Papa que pode contar com ela

Lisboa, 14 mar 2013 (Ecclesia) – O diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ) acredita que o novo Papa vai trazer novos desafios para a juventude e quer dizer a Francisco que pode contar com os portugueses. “Louvo a Deus por este novo Papa e espero poder colaborar e dizer-lhe de viva voz conte com a juventude de Portugal, com a nossa alegria e a nossa missão de colaborar...

Francisco I

Papa Francisco celebra Eucaristia com o Cardeais no encerramento do Conclave. Aos presentes deixou um repto: "Caminhar, edificar, confessar Jesus Cristo, com a Sua Cruz"

Francisco I


Francisco: novo papa vai inspirar «cultura de misericórdia no interior da Igreja e nas relações com o mundo», diz padre Tolentino Mendonça
O padre José Tolentino Mendonça está convicto de que o novo papa, Francisco, vai ser «um grande inspirador de uma cultura da misericórdia no interior da Igreja e nas relações com o mundo e a cultura». Para o diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura a «misericórdia» e a «alegria», temas que pontuaram a intervenção de Francisco I nas reuniões entre cardeais que antecederam o conclave sinalizam «uma primavera de esperança na Igreja». O responsável lembrou que na primeira aparição aos fiéis, na praça de São Pedro, o novo papa disse em tom de brincadeira que os cardeais o tinham ido buscar ao fim do mundo, numa alusão ao seu país de origem. «Às vezes é preciso fazer uma grande viagem para lançar para próximo de nós o caminho da esperança», realçou.

Quaresma, quinta-feira da semana IV: mensagem quaresmal do cardeal Jorge Bergoglio, papa Francisco
Rasguem o coração e não as roupas de uma penitência artificial sem garantias de futuro. Rasguem o coração e não as roupas de um jejum formal e de cumprimento que nos continua a manter satisfeitos. Rasguem o coração e não as roupas de uma oração superficial e egoísta que não chega às entranhas da própria vida para a deixar tocar por Deus. Este é o convite, frente a tantas feridas que nos magoam e que nos podem levar à tentação de endurecermos: Rasgai os corações para experimentar na oração silenciosa e serena a suavidade da ternura de Deus. Rasguem os corações para sentir o eco de tantas vidas rasgadas e que a indiferença não nos deixe inertes. Rasguem os corações para poder amar com o amor com que somos amados, consolar com o consolo que somos consolados e partilhar o que recebemos.

Roma 13 - 3 - 13

É jesuíta, nasceu em Buenos Aires, feito cardeal por João Paulo II. ...

quarta-feira, 13 de março de 2013

Papa Francisco I


       Felicitações ao Santo Padre

Bênção Apostólica "Urbi et Orbi":
Irmãos e irmãs, boa-noite!
Vós sabeis que o dever do Conclave era dar um Bispo a Roma. Parece que os meus irmãos Cardeais tenham ido buscá-lo quase ao fim do mundo… Eis-me aqui! Agradeço-vos o acolhimento: a comunidade diocesana de Roma tem o seu Bispo. Obrigado! E, antes de mais nada, quero fazer uma oração pelo nosso Bispo emérito Bento XVI. Rezemos todos juntos por ele, para que o Senhor o abençoe e Nossa Senhora o guarde.
[Recitação do Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai]
E agora iniciamos este caminho, Bispo e povo... este caminho da Igreja de Roma, que é aquela que preside a todas as Igrejas na caridade. Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós. Rezemos sempre uns pelos outros. Rezemos por todo o mundo, para que haja uma grande fraternidade. Espero que este caminho de Igreja, que hoje começamos e no qual me ajudará o meu Cardeal Vigário, aqui presente, seja frutuoso para a evangelização desta cidade tão bela!
E agora quero dar a Bênção, mas antes… antes, peço-vos um favor: antes de o Bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis ao Senhor para que me abençoe a mim; é a oração do povo, pedindo a Bênção para o seu Bispo. Façamos em silêncio esta oração vossa por mim.
[…]
Agora dar-vos-ei a Bênção, a vós e a todo o mundo, a todos os homens e mulheres de boa vontade.
[Bênção]
Irmãos e irmãs, tenho de vos deixar. Muito obrigado pelo acolhimento! Rezai por mim e até breve! Ver-nos-emos em breve: amanhã quero ir rezar aos pés de Nossa Senhora, para que guarde Roma inteira. Boa noite e bom descanso!

Oração pelo Papa Francisco I

"Ó Deus, que na vossa providência quisestes edificar a vossa Igreja sobre São Pedro, chefe dos apóstolos, fazei que o nosso Papa Francisco I, que constituístes sucessor de Pedro, seja para o vosso povo o princípio e o fundamento visível da unidade da fé e da comunhão na caridade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo.
Ó Deus, que escolhestes o vosso servo Francisco I sucessor do apóstolo Pedro como pastor de todo o rebanho, atendei as súplicas do vosso povo. Concedei ao que faz as vezes do Cristo na terra continuar na fé seus irmãos para que toda a Igreja se mantenha em comunhão com ele no vínculo da unidade, do amor e da paz até que, em vós, pastor das almas, cheguemos todos à verdade e à vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo."
Amém.

Cardeal Jorge Bergoglio é o Papa Francisco I

O cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, de 76 anos, é o novo Papa da Igreja Católica, o primeiro do continente Americano. 
Assumindo o nome de Francisco I, o novo Papa foi à varanda da Basílica de São Pedro quando eram 20h22 desta quarta-feira, 13 de março, para se dirigir aos milhares de fiéis que se encontravam na Praça de São Pedro. “Sabeis que o dever do Conclave era dar um bispo a Roma: parece que os meus irmãos cardeais foram buscá-lo quase ao fim do mundo”, afirmou o novo Papa que é religioso Jesuíta. 

Sexta-feira 15 de Março

 Encontro Pastoral Social. "A fé sem obras é morta" em Rio de Mouro às 21h30, saída de Colares às 21h00

Vaticano

O primeiro dia do conclave em 15 imagens | IMAGENS |
Na missa ritual que antecipou o início do processo eleitoral, celebrada na basílica de São Pedro, entre cardeais, bispos, padres e leigos, o decano do Colégio Cardinalício, Angelo Sodano, frisou que «a atitude fundamental de todo o bom pastor é (…) dar a vida pelas suas ovelhas». «Isto vale, sobretudo, para o Sucessor de Pedro, Pastor da Igreja universal. Porque quanto mais alto e mais universal é o ofício pastoral, tanto maior deve ser a caridade do Pastor», sublinhou. Na parte da tarde os cardeais eleitores entraram em procissão na Capela Sistina, onde a votação se vai realizar, entoando um canto que pedia a assistência do Espírito Santo e a intercessão dos santos. A seguir cada cardeal jurou manter segredo de tudo o que diz respeito ao conclave e desempenhar a sua missão caso seja eleito papa e aceite a escolha. Depois do juramento foi dada ordem de saída a todos os que não podem estar no conclave e o mestre das celebrações litúrgicas pontifícias encerrou a porta da Capela Sistina.

Pastoral da Cultura

Quaresma, quarta-feira da semana IV: Bíblia | VÍDEO |
«Depois de terem comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu amas-me mais do que estes?”». A biblista Luísa Almendra comenta uma passagem evangélica que se apropria a este momento da vida da Igreja, em que 115 cardeais começaram a escolher o novo papa, sucessor de S. Pedro. O apóstolo pescador apela ao conhecimento que Jesus tem da sua amizade (como se lhe dissesse “eu sei que te neguei mas tu também sabes que eu sou deveras teu amigo”). Humanamente Pedro falhou e traiu toda a confiança que o seu mestre havia depositado nele; nos tribunais humanos Pedro mereceria as capas de jornais. Mas Jesus restitui a sua confiança em Pedro através de um interrogatório que não questiona a coerência, o domínio de si ou a prudência, mas o amor.

terça-feira, 12 de março de 2013

Conclave

AMADOS/AS...
http://www.oratoriodamedalhamilagrosa.org.br/vela-pelo-papa/?origem=511

Conclave

Nomes e rostos dos cardeais eleitores: o próximo papa será provavelmente um deles | IMAGENS |É do grupo dos 115 cardeais que a partir desta terça-feira se reúne em conclave para eleger o sucessor de Bento XVI que, provavelmente, sairá o próximo papa. Os cardeais são escolhidos e criados pelo sumo pontífice, tornando-se seus conselheiros. Podem escolher o novo papa aqueles que não tenham completado 80 anos no dia de início da Sede Vacante, período entre a renúncia ou morte do papa e a eleição do sucessor. Conheça os nomes e os rostos dos cardeais que participam no conclave. No fim da lista descubra alguns dados gerais sobre o grupo de eleitores.

Espiritualidade

Quaresma, terça-feira da semana IV: poesia«Não chames ao mundo morada, não lhe dês um nome» (José Tolentino Mendonça).

Conclave: agenda dos cardeais e horário dos sinais de fumo
A missa que antecede o início do conclave para a eleição do novo Papa vai ser celebrada esta terça-feira às 9h00 (hora de Lisboa, mais uma no Vaticano). Às 14h45 deslocam-se para a Capela Paulina, no Palácio Apostólico do Vaticano. A procissão rumo à Capela Sistina, onde decorre a votação, tem início marcado para as 15h30, ao som do canto ‘Veni Creator’, para pedir a assistência do Espírito Santo. «Toda a Igreja, unida a nós na oração, invoca sem cessar a graça do Espírito Santo para que seja eleito por nós um Pastor digno de todo o rebanho de Cristo», lê-se na oração que acompanha a entrada na capela. A partir de quarta-feira o fumo que sairá da chaminé da Capela Sistina deve ser esperado às 11h00 (horas de Lisboa) e às 18h00. Se a eleição do novo papa ocorrer no primeiro escrutínio da manhã, o fumo branco deverá sair entre as 9h30 e as 10h00. Caso a escolha se realize na primeira votação da tarde, como aconteceu em 2005 com a eleição de Bento XVI, pode esperar-se fumo branco entre as 16h30 e as 17h00.

Quaresma, segunda-feira da semana IV: música contemporânea | ÁUDIO | “Judas (segundo Lucas, João, Mateus e Marcos)”, de António Pinho Vargas.

Oração da manhã

Meu Deus,
que estais no céu
e sempre presente na minha vida,
guiai-me e protegei-me.
Leva-me com o Teu amor para longe do mal,
e guia-me pelo caminho certo.
Obrigada pelo cuidado que Vós tendes por mim.
Que o Vosso Espírito inspire a Igreja
e nos faça um instrumento do Teu amor. Assim seja.
http://www.nospassosdemaria.com.br/

segunda-feira, 11 de março de 2013

Oração

Jesus Cristo, durante este caminho rumo à Páscoa gostaríamos de seguir a tua luz. E as nossas trevas deixam de nos assustar, pois tu podes transfigurá-las.

Destaques da semana

SEGUNDA-FEIRA: 21h00 missa na Igreja Paroquial pela eleição do novo Papa
TERÇA-FEIRA: Confissões aos doentes e idosos de Colares, a partir das 14h30.
QUARTA-FEIRA: Confissões em Almoçageme às 10h00.
QUINTA-FEIRA: Confissões aos doentes e idosos do Mucifal a partir das 10h00.
SEXTA-FEIRA: Via Sacra no Mucifal às 17h00 e em Colares às 18h15. Filme de temática espiritual sobre “a vida de São João Bosco” no CEDCRAM, nas Azenhas do Mar às 21h30.

domingo, 10 de março de 2013

Colares: Paróquia celebra missa pelo novo Papa

O nosso Pároco, celebra esta segunda-feira, véspera do início do Conclave que no Vaticano vai eleger o sucessor de Bento XVI, missa na Igreja Paroquial pela eleição do novo Papa.
A celebração, marcada para as 21h00, decorre “de acordo com instruções deixadas pelo Cardeal-Patriarca”, D. José Policarpo, membro eleitor do Conclave.
“Embora a eleição do novo Papa seja feita ‘à porta fechada’ ela implica a Igreja toda que é chamada a participar pela oração e pelo interesse, pedindo para os Senhores Cardeais a luz do Espírito Santo”.

Espiritualidade

Quaresma, IV Domingo: Patrística
Do próprio Senhor Jesus Cristo se disse que se fez para nós justiça e sabedoria. Eis que o manjar já está preparado. Cristo é justiça e nunca falta. Esse manjar não nos é preparado por nenhum cozinheiro, nem nos é trazido de além-mar por mercadores, como os frutos exóticos. É alimento que pode ser saboreado por todo aquele que tem sãs as faces do homem interior. É alimento que, referindo-se a si mesmo, diz: Eu sou o pão vivo que desceu do céu. É alimento que restabelece e que não se acaba. É alimento que não desaparece, quando se consome. É alimento que sacia os famintos e permanece inteiro. Quando fordes daqui para as vossas mesas, não podereis comer nada assim. Ora, uma vez que viestes para receber este manjar, comei-o bem. Mas quando fordes embora, digeri-o bem. Com efeito, come-o bem e digere-o mal, aquele que ouve a palavra de Deus e não a põe em prática.

sábado, 9 de março de 2013

Espiritualidade

Quaresma, sábado da semana III: cinema | VÍDEOS |
«Uma igreja. Um pároco. Uma empresa de mudanças. A igreja já não é utilizada, sendo esvaziada de todas as decorações sacras, incluindo o grande crucifixo sobre o altar. Restam apenas os bancos num espaço vazio. O velho padre parece não conseguir resignar-se a este destino e o sacristão apercebe-se disso. Mas, em pouco tempo, um grande grupo de clandestinos à procura de refúgio entra na igreja e, com os bancos e com cartões, instala aí uma pequena aldeia. O sacerdote vê a sua igreja ganhar de novo vida mas, de fora, os homens da Lei tornam-se ameaçadores.» “Aldeia de Carão” é um olhar profundo sobre um pároco que redescobre o sentido do mistério e, em particular, as virtudes da caridade.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Mulheres

«Padre, deixe lá as flores»: mulheres no Concílio Vaticano II
O contributo de Luz Maria Alvarez Icaza e do seu marido na subcomissão da “Gaudium et Spes” terá sido determinante para alterar a visão da sexualidade conjugal como «remédio para a concupiscência» e descrevê-la como ato e expressão de amor. E ficou célebre a resposta que a franzina Rosemary Goldie deu ao grande teólogo Yves Congar. No âmbito do debate sobre o esquema do apostolado dos leigos, ele estava pronto para inserir no documento uma elegante (mas condescendente) comparação das mulheres à delicadeza das flores. A australiana reagiu assim: «Padre, deixe lá as flores. O que as mulheres querem da Igreja é ser reconhecidas como pessoas plenamente humanas».

Espiritualidade

Quaresma, sexta-feira da semana III: arte contemporânea | IMAGENS |
Avançando silenciosamente para essas esculturas – porque é o silêncio que logo nos impõem -, deparamos com o tampo invertido da mesa superior e percebemos com surpresa que é atravessado, aqui e ali, por ervas verdes. A morte é fecunda. (Mas a vida é frágil. Essas ervas têm de ser cuidadas regularmente, não podem ser negligenciadas. Também elas secarão e outras nascerão…). Uma oração muda. Um memorial aos injustamente condenados, aos sem voz, para que não sejam esquecidos. Uma forma silenciosa, mas pregnante, de luto. Manifestação do poder ético da estética. Na deambulação por entre esta instalação, como não ser implicado e afetado pela violência serena da imagem e a consequente reflexão sobre a finitude, a fragilidade, a nossa própria vulnerabilidade? Mas como não nos alegrarmos também com a surpresa pascal da força renascente da vida?