segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Destaques da semana

QUARTA-FEIRA:
10h30 - Missa em Colares  pelo Aniversário do Centro Social Paroquial
21h00 - Reunião de Aprofundamento da Fé, no Centro Social Paroquial de  Colares.
QUINTA-FEIRA:
18h00 - 1ªquinta-feira - Oração Vocacional, no Mucifal .
SEXTA-FEIRA:
20h30 - 1ªsexta feira - Devoção ao S.C. de Jesus – Adoração ao SS.mo Sacramento e Confissões
21h00 - Missa.
DOMINGO:
15h00 - Missa em Almoçageme seguida de Procissão em honra de Nossa Senhora da Graça, Padroeira de Almoçageme.
OUTUBRO - Mês das Missões e do Rosário. Oração diária do Rosário no Mucifal às 18h00 e em Colares às 18h30.

sábado, 28 de setembro de 2013

Papa Francisco aos catequistas

«Se um catequista se deixa tomar pelo medo, é um covarde; se um catequista está sossegado, acaba por ser uma estátua de museu: e temos tantas. Temos tantas! Por favor, nada de estátuas de museu! Se um catequista é rígido, torna-se encarquilhado e estéril.» (Papa Francisco, Vaticano, 27.9.2013. Foto: REUTERS/Tony Gentile)

Apelo à participação

Patriarca de Lisboa apela à participação nas eleições e diz que financiamento à economia portuguesa está a falhar
O patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, apelou esta sexta-feira aos eleitores para não se absterem de votar no domingo, tendo-se também pronunciado sobre os problemas causados pela falta de financiamento à economia. «Que participem, isso é que eu espero. Deles e de mim próprio. Como cidadãos, que participem todos, porque a vida política é fundamental em qualquer sociedade. É onde ativamos a nossa responsabilidade, é onde decidimos o nosso futuro a nível local e a nível nacional», vincou o prelado sobre as eleições autárquicas. Em declarações aos jornalistas, o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa referiu-se também à situação económica em Portugal. «O que está a falhar é o financiamento à economia, esse é que é o grande problema, nós como povo, como sociedade, contraíamos uma dívida muitíssimo grande, neste momento não digo que estamos nas mãos dos nossos credores, mas quase, e isso condiciona necessariamente a disponibilidade para reconstruir o país», frisou.

Espiritualidade

Evangelho e 2.º leitura do 26.º domingo (29 de setembro): pistas para meditação
É duplamente terrível a última frase do Evangelho: «Tão-pouco se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dentre os mortos». Primeiro porque ela parece desesperada, como se nada pudesse forçar um coração de pedra a mudar. Mas é ainda mais terrível na boca de Jesus. Podemos perguntar se ele estaria a pensar nele próprio ao proferi-la – «Se alguém ressuscitar dentre os mortos»… E quando Lucas escreveu o seu evangelho, sabia muito bem que a ressurreição de Cristo não converteu toda a gente, longe disso; chegou mesmo a endurecer alguns. Centremo-nos na história do rico e do pobre Lázaro: do rico não sabemos muito, nem sequer o nome. Não se refere que era especialmente malvado; pelo contrário, dado que chega a pensar, mais tarde, em salvar os seus irmãos da infelicidade no além. Simplesmente, ele está no seu mundo, no seu conforto, «na sua torre de marfim», poder-se-ia dizer, como os samaritanos de quem falava Amós na primeira leitura. De tal forma estava encerrado na sua torre de marfim que nem sequer chega a ver, através do seu portão, o mendigo que morre de fome e que bem se contentaria com os seus restos.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

"Poder Local"

O que escreveram os bispos portugueses sobre as primeiras eleições autárquicas
«Em regime democrático, abster-se de votar significa sempre, no fundo, uma grave atitude de recusa em assumir as responsabilidades próprias, deixando apenas a um certo número de cidadãos o papel, que a todos pertence, de definir os rumos da vida nacional. No caso das presentes eleições, a gravidade de uma tal recusa deverá avaliar-se, simultaneamente, pela difícil situação actual do País, pela força das ideologias em presença e, ainda, pela importância dos órgãos do poder local, através dos quais as comunidades paroquiais e concelhias são chamadas a fazer ouvir a sua voz e a dar expressão aos seus direitos e agravos.» As primeiras eleições autárquicas em Portugal realizaram-se há 37 anos, a 12 de dezembro de 1976. Foram as últimas de um ciclo que começou com a transição para o regime democrático, com a revolução de 25 de abril de 1974. Recordamos alguns excertos de um comunicado do episcopado português sobre as eleições para o “Poder Local”, expressão então usada para designar as autarquias, seguindo-se dois editoriais do jornal “Nova Terra”, semanário ligado à Igreja editado entre 1975 e 1977.
Onde está o teu tesouro?
«Depois de anos e anos de dura miséria que, no entanto, não tinham beliscado a sua confiança em Deus, Eisik teve em sonhos a ordem de ir a Praga buscar um tesouro que estava enterrado debaixo da ponte do palácio real. Como o sonho se repetiu por três vezes, pôs-se a caminho e andou, andou, andou até que chegou a Praga. Mas a ponte era vigiada dia e noite pelas sentinelas que guardavam o palácio… E Eisik não teve coragem de escavar no local indicado. Todavia, voltava à ponte todas as manhãs e ficava ali às voltas até ao entardecer. Um dia, o capitão da guarda, que tinha notado as suas idas e voltas, aproximou-se e perguntou-lhe simpaticamente se tinha perdido alguma coisa ou se estava à espera de alguém. Eisik contou-lhe então o sonho que o tinha trazido da sua longínqua terra até ali. E o capitão desatou a rir: “E tu, pobre homem, por dar crédito a um sonho vieste a pé até aqui? Ah, ah, ah! Estás arrumado se te fias em sonhos!» A Cáritas Portuguesa lançou este mês o segundo número da segunda série da sua revista, onde lemos a história de um homem que deixa tudo à procura de um tesouro e que acaba por ser surpreendido…

Teste

Conhece bem a Bíblia? (5): tradução e composição
A quantas perguntas consegue responder acertadamente?

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Vaticano

«Deus espera sempre», lembra papa Francisco
O papa sublinhou esta terça-feira que Deus aguarda sempre pelo ser humano, e salientou que os sacramentos são um meio privilegiado para o encontro com Cristo. Francisco salientou igualmente a identidade dos sete sacramentos: «O Senhor Jesus acompanha-nos também na nossa vida pessoal: com os sacramentos. O sacramento não é um rito mágico: é um encontro com Jesus Cristo». «E se Ele entrou na nossa história, entremos também nós um pouco na história dEle», convidou.

Portugal

Igrejas, capelas e ermidas acolhem Jornadas Europeias do Património
Dezenas de igrejas, capelas e ermidas acolhem esta sexta-feira, sábado e domingo as Jornadas Europeias do Património, iniciativa comum do Conselho da Europa e da Comissão Europeia a que aderem 50 estados. A Santa Sé volta este ano a participar na iniciativa com o programa “As imagens da fé do património europeu”, elaborado pelo Pontifício Conselho da Cultura e pelos Museus do Vaticano, que no domingo podem ser visitados gratuitamente. Conheça as atividades previstas para Portugal, segundo os dados fornecidos pelo Igespar.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Almoçageme 4 a 8 de Outubro



Uma oração

Tudo vem no momento certo... É impressionante como Deus fala com a gente quando a gente mais precisa. 
Lembra-te de orares, pois é tudo que tens a fazer e acredita que DEUS te atenderá.
" Que hoje se realize tudo o que queres. Que a paz de DEUS e o frescor do ESPÍRITO SANTO, estejam nos teus pensamentos, dominem a noite nos teus sonhos e estejam sobre todos os teus medos.
Que DEUS se manifeste de uma maneira jamais experimentada por ti.
A minha oração é para que tenhas FÉ, pela paz, cura, saúde, felicidade, prosperidade, alegria, e um verdadeiro e eterno amor a DEUS ”.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Muito actual

Papa Francisco aos jovens: Não vendais a vossa juventude aos mercadores da morte | IMAGENS |
«Nunca cesseis de voltar ao jogo, como bons desportistas que sabem enfrentar a fadiga do treino para alcançar resultados: a dificuldade não deve assustar-nos, mas impulsionar-nos a avançar mais.» «Sois chamados a tornar-vos pescadores de homens; não hesiteis a gastar a vossa vida a testemunhar com alegria o Evangelho, especialmente aos vossos contemporâneos: o vosso contributo é indispensável para a missão da Igreja, que é a evangelização, os jovens apóstolos dos jovens.» «Tantos anos após ter ouvido a vocação junto do Senhor, não me arrependo; não porque me sinto forte – mas pensais que sou o Tarzan? Não, sinto-me forte porque nos momentos mais escuros, no pecado, na fragilidade, eu olho Jesus e ele nunca me deixou só; confiai nele, que nunca vos desiludireis.»
Papa Francisco aos desempregados: clamar por trabalho é uma «oração necessária»
«Deus quis que no centro do mundo não esteja um ídolo, mas o homem, o homem e a mulher, que com o próprio trabalho fazem avançar o mundo. Mas agora, neste sistema sem ética, ao centro está um ídolo e o mundo tornou-se idólatra deste “deus dinheiro”.» «Para defender este ídolo amontoam-se todos ao centro e caem os últimos, caem os idosos, porque neste mundo não há lugar para eles. (…) E caem os jovens que não encontram o trabalho, a dignidade. (…) Este mundo não tem futuro.» «Esta é a oração que gritais: “Trabalho”, “trabalho”, “trabalho”. É uma oração necessária. Trabalho quer dizer dignidade, trabalho quer dizer levar o pão para casa, trabalho quer dizer amar!» O papa Francisco deslocou-se este domingo à cidade de Cagliari, na ilha italiana da Sardenha, tendo centrado a sua primeira intervenção na «tragédia» do desemprego, causada pelo «deus dinheiro». Visivelmente emocionado pelo testemunho de três desempregados, Francisco falou de improviso, tendo entregado o discurso previamente escrito ao bispo local.

Mais um

Teste: conhece bem a Bíblia? (4): literatura sapiencial
Após os profetas, centramos agora a nossa atenção nos livros sapienciais. A quantas perguntas consegue responder acertadamente?

sábado, 21 de setembro de 2013

«Escutai bem, vós que espezinhais o pobre»;

Leituras do 25.º Domingo (22 de setembro): pistas para meditação
A nossa oração deve estender-se a todos os homens, porque Cristo morreu em resgate por todos eles, sem exclusividade, mesmo pelos nossos inimigos, mesmo se o chefe de Estado se chama Nero, o perseguidor contemporâneo de S. Paulo, que será seu mártir (2.ª leitura). No dia em que dedicarmos tanto tempo e massa cinzenta a inventar soluções de paz, de justiça e de partilha como a ganhar dinheiro para além do necessário, a face do mundo mudará. E se já passássemos tanto tempo a falar de solidariedade e de partilha como a falar de dinheiro, provavelmente muitas coisas mudariam. No fundo, a moral da história poderia escrever-se assim: escolhei Deus, resolutamente, e colocai ao serviço do Reino a aptidão que usaríeis para fazer dinheiro (Evangelho).

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Para ler e meditar

Papa Francisco na primeira grande entrevista após a eleição: do que a Igreja mais precisa é curar as feridas e aquecer os corações dos fiéis
A revista “Brotéria”, propriedade dos Jesuítas Portugueses, publica esta quinta-feira no seu site uma entrevista exclusiva que o papa Francisco concedeu a 16 publicações periódicas da Companhia de Jesus ao longo de três encontros, a 19, 23 e 29 de agosto, no Vaticano. “Quem é Jorge Mario Bergoglio?”, “viver em comunidade”, “ouvir os outros”, “santidade para todos”, Igreja de portas abertas”, “o que a Igreja mais precisa”, “uma Igreja à procura de novos caminhos”, “Igreja e homossexualidade”, “aborto, casamento homossexual e métodos contracetivos”, “anunciar o essencial está primeiro do que as normas morais”, “sinodalidade”, “mulher na Igreja”, “perigo da instrumentalização do rito litúrgico anterior ao Concílio Vaticano II”, “encontrar Deus no dia a dia, “paciência com Deus”, “desconfiar de quem diz saber tudo de Deus”, “a surpresa de Deus”, “soluções disciplinares e segurança doutrinal”, “referências culturais”, “fé de fronteira”, “pensamento da Igreja” e “oração”, são alguns dos temas e questões abordadas na entrevista, de que apresentamos alguns excertos.
Bispos precisam de bom humor, diz papa Francisco
«Perguntai-vos: aqueles que batem à porta da minha casa, como é que a encontram? Se a encontram aberta, através da vossa bondade, da vossa disponibilidade, experimentarão a paternidade de Deus e compreenderão como a Igreja é uma boa mãe que acolhe e ama sempre.» «Nós, pastores, não somos (…) homens ambiciosos, esposos de uma Igreja na expetativa de outra mais bela, mais importante ou mais rica. Isto é um escândalo. (…) Estai bem atentos para não cairdes no espírito do carreirismo. É um cancro. Não é só com a palavra, mas também e sobretudo com o testemunho concreto de vida, que somos mestres e educadores do nosso povo. O anúncio da fé pede que se conforme a vida ao que se ensina. Missão e vida são inseparáveis. Há uma pergunta a fazer a cada dia: o que vivo corresponde ao que ensino?» O papa Francisco dirigiu esta quinta-feira alguns conselhos a prelados recentemente nomeados, a quem pediu para não se tornarem «bispos de aeroporto», sempre em viagem e distantes da proximidade com os fiéis que lhe estão confiados, tendo-lhes também sugerido que cultivem o bom humor.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Bom dia!

Uma saudação amiga na PAZ de CRISTO.
Quero convosco partilhar um pensamento de Sª  Teresa do Menino Jesus e que para mim me transmitiu tanta "ternura":
" A oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o céu, é um grito de gratidão e de amor, tanto no meio da provação como no meio da alegria".

Pergunto-me quantas vezes durante o meu dia isto me sucede?  Algumas, umas conscientes outras nem por isso....
Um abraço em Cristo,  
Ana  Saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

A oliveira


▃ ▅ ▆ DIA’21 – O CARÁCTER DA OLIVEIRA ▆ ▅ ▃

①► || REFLEXÃO ||
“As árvores disseram, então, à oliveira: Reina sobre nós.” [Jz 9, 8]
A oliveira é uma árvore linda. Desde o antigo testamento a oliveira é símbolo de determinação, ao crescer em condições agrestes e muitas vezes inóspitas mantém sempre as suas folhas verdes, e fidelidade, pois debaixo do seu tronco velho e retorcido corre a seiva de um objectivo: ser alimento, luz, higiene e cura para os outros. Possamos nós herdar este carácter da oliveira na nossa relação com Deus e com os nossos irmãos.

②► || ORAÇÃO ||
Hoje, Senhor, peço-te que fortaleças a minha vocação com a determinação e fidelidade da oliveira. Ámen.

③► || ACÇÃO ||
Hoje, quero ser mais determinado e fiel ao essencial.
____
④► || AVALIAÇÃO ||
- [Logo à noite, ao deitar, avalio, diante de Deus, como pratiquei a minha acção: agradeço pela força concedida e peço perdão pelas debilidades ao realizar a “acção”.]

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Agradecimento ao Padre José António

Faz hoje sete anos que Deus pôs no nosso caminho um novo Pastor, para nos conduzir no caminho da salvação, por isso lhe devemos rezar pedindo para que nunca nos abandone e ao nosso Pároco.
Agradeçamos ao Pe. José António por mais um ano na nossa Paróquia, por toda a sua dedicação, que o Senhor o ajude e recompense, com muita saúde, paz e amor.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Festa da Padroeira N.S.da Assunção

 O sorteio de rifas saiu aos seguintes números. 1º prémio nº2867; 2º prémio nº 7099, 3º prémio nº 1582.
A Comissão da Festa agradece a todos os que colaboraram na venda e na aquisição das rifas.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Para quem não crê

Papa Francisco escreve carta a quem não crê em Deus
Ir ao encontro dos outros e dialogar com os que não partilham a mesma fé e as mesmas crenças tem sido uma proposta do papa Francisco, desde o início do seu pontificado. Esta atitude foi uma vez mais manifestada numa carta que endereçou ao jornalista fundador do diário “La Reppublica”, um dos mais importantes jornais de Itália. «Pergunta-me se o Deus dos cristãos perdoa àqueles que não creem e não procuraram a fé», escreve o papa, que coloca como premissa o facto de que «a misericórdia de Deus não tem limites, se uma pessoa se Lhe dirige com coração sincero e contrito». «Entre a Igreja e a cultura de inspiração cristã, de um lado, e a cultura moderna de inspiração iluminista, de outro, instaurou-se a incomunicabilidade. Chegou o tempo, e o Vaticano II inaugurou esta nova estação, de um diálogo aberto e sem preconceitos capaz de reabrir as portas para um verdadeiro e fecundo encontro», frisa Francisco.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Teste

Conhece bem a Bíblia? (1)
Dez perguntas sobre a Bíblia… Quantas consegue responder correctamente?

Politica

Eleições autárquicas: Bispos pedem «honestidade» aos candidatos e lembram que cristãos não devem «lavar as mãos» da políticaO Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa divulgou esta terça-feira um comunicado sobre as eleições autárquicas de 29 de setembro, em que apela à retidão dos candidatos e pede aos eleitores para não se absterem. «Mais do que fazer prevalecer uma determinada cor política e partidária, está em jogo a capacidade dos candidatos servirem com honestidade e competência o povo da sua zona», refere a nota distribuída no final da reunião do Conselho, realizada em Fátima. O documento sublinha que «a abstenção acaba sempre no beco sem saída da desistência de contribuir para melhorar a vida da comunidade», e lembra as palavras que o papa pronunciou quanto ao envolvimento dos fiéis na política.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

D. Manuel Clemente

Foto oficial do novo Patriarca disponível no Patriarcado
Já se encontra disponível na Livraria Nova Terra, no Patriarcado de Lisboa (Mosteiro de São Vicente de Fora), a fotografia oficial do novo Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

O retrato está disponível em dois tamanhos: em formato A4 e num formato um pouco maior do que o tamanho A3.
Informações: 218810524/68 e livraria.nt@patriarcado‑lisboa.pt

Mucifal - Nossa Senhora das Dores

QUINTA-FEIRA:
Triduo de preparação para a Festa de N. S. das Dores, no Mucifal na Missa das 19h00.

SEXTA-FEIRA:
Triduo de preparação para a Festa de N. S. das Dores, Oração Mariana no Mucifal às 21h30.

SÁBADO:
Missa da Festa de Nossa Senhora das Dores no Mucifal às 19h30, seguida de Procissão de velas.

Pastoral da Cultura

A atitude de se retirar de um mundo julgado decadente ou corrupto, aliás de condenação de uma sociedade da qual o cristão se deve afastar, tem expressões muito diferentes. Evidenciam, contudo, o que eu chamaria uma tentação forte, ou uma reativação de um comportamento intelectual e prático que favorece a construção e o reforço de uma Igreja à distância, essencialmente crítica, que vive numa margem contestadora, como uma contrassociedade que tem em si mesma os próprios recursos. Tentação que, na minha opinião, como tal, se pode e se deve compreender, mas exatamente para dela se afastar. De facto, há o temor de que esta atitude leve só à esterilidade e ao desprezo da mensagem evangélica.

Martin Heidegger, falando sobre a «noite do mundo» na qual nos encontramos, diz que a doença do homem moderno é a ausência de pátria, e que o drama da nossa época não é a falta de Deus, mas o facto de que os homens já não sofrem esta falta, e por conseguinte já não sentem a necessidade de superar a dor infinita da morte, considerando o presente como exílio e não pátria. A ilusão de se sentir realizado, a pretensão de estar saciado, completo na própria vicissitude, esta é a doença mortal. Seremos prisioneiros dela quando o coração já não viver a inquietação e a paixão de se questionar, o desejo de encontrar para poder, ainda e novamente, questionar e buscar. Isto é válido inclusive para o caminho de Deus.

domingo, 8 de setembro de 2013

Oração pela paz

Papa Francisco pede perdão, diálogo e reconciliação na vigília de oração pela paz na Síria e no mundo
«Aperfeiçoámos as nossas armas, a nossa consciência adormeceu, tornámos mais subtis as nossas razões para nos justificarmos. Como se fosse uma coisa normal, continuamos a semear destruição, dor, morte. A violência, a guerra só trazem morte, falam da morte. A violência e a guerra têm a linguagem da morte.» «Olha para a dor do teu irmão… penso nas crianças… e não acrescentes mais dor, fecha a tua mão, reconstrói a harmonia que se rompeu; faz isto não com o confronto, mas com o encontro. Termine o rumor das armas! A guerra marca sempre o fracasso da paz, é sempre uma derrota da humanidade.». Excertos da intervenção do papa Francisco na vigília de oração pela paz na Síria e no mundo, que decorreu na noite deste sábado no Vaticano.
Oração pela paz na Síria com o papa Francisco: textos das meditações
«Possa uma corrente de compromisso pela paz unir todos os homens e mulheres de boa vontade! Trata-se de um forte e premente convite que dirijo a toda a Igreja Católica, mas que estendo a todos os cristãos de outras confissões, aos homens e mulheres de todas as religiões e também àqueles irmãos e irmãs que não creem: a paz é um bem que supera qualquer barreira, porque é um bem de toda a humanidade.» Apresentamos alguns dos textos lidos na noite de sábado, início da festa da Natividade da Virgem Maria (8 de setembro), na Praça de S. Pedro, no Vaticano, durante a vigília de oração pela paz na Síria, no Médio Oriente e no mundo, convocada e presidida pelo papa. Os textos, que não incluem a intervenção de Francisco, foram traduzidos a partir do guião da celebração, e são intercalados por imagens do conflito na Síria.

sábado, 7 de setembro de 2013

Espiritualidade

Evangelho do 23.º Domingo: teologia e espiritualidade
Primeira frase de Jesus: «Se alguém vem ter comigo, e não Me preferir ao pai, à mãe … não pode ser meu discípulo». Isto será ecoado na última frase: «Quem de entre vós não renunciar a todos os seus bens, não pode ser meu discípulo». Entre estas duas frases, duas pequenas parábolas: a do homem que quer construir uma torre, e a do rei que parte para a guerra. As suas lições assemelham-se: quando se quer erguer uma torre, é preciso começar por fazer contas, a mesmos que se queira embarcar numa loucura; quanto ao rei que planeia uma guerra, também ele fará bem em antes de tudo inventariar as suas possibilidades. A sabedoria consiste em ajustar as ambições ao nível dos meios; isto é verdade em todos os domínios, aparentemente. Quantos empreendimentos foram interrompidos por terem sido lançados demasiado rapidamente, sem refletir… Saber fazer contas, saber prever, saber calcular os riscos é a sabedoria elementar, o segredo do sucesso.
Bombeiros: generosidade, risco, abnegação, sacrifício
Numa sociedade atravessada por numerosos fenómenos do egoísmo e crueldade contra o homem, o voluntariado no serviço do próximo constitui uma força de primeira ordem, um autêntico valor. É um dos sinais positivos do nosso tempo, o sinal de que a abertura da vontade e do coração ao bem comum é cuidadosamente cultivada e vivida. Precisamente por esta razão, o voluntariado é um bom coeficiente de civilização e de fraternidade. Nunca será suficiente elogiar o sentido de dedicação, prontidão, altruísmo, coragem, disponibilidade para o sacrifício que a vossa “missão” requer, não poucas vezes em situações de grave perigo pessoal e, por vezes, de risco para a própria vida. Usei a palavra “missão”. Ela é válida também, e mais ainda, em caso de escolha individual. É na verdade um serviço ao homem, à sua vida e à sua segurança; uma tarefa que Deus confiou a todos em favor dos próprios semelhantes, especialmente quando estão em necessidade.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

A rotina diária da meditação
Temos poucos momentos livres. Temos poucos espaços na vida em que não sabemos o que fazer. Ou, então, temos tempo de mais e também não sabemos como ocupá-lo. Não raramente se vivencia a experiência de que quanto mais tempo se tem mais tempo se perde. No entanto, todos sabemos que são os que mais ocupação têm que mais solicitações «sofrem». E, quase sempre, arranjam forma de lhes responder afirmativamente.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Pela paz no mundo

Papa Francisco anuncia jornada de jejum e oração pela paz na Síria e no mundo
O papa anunciou este domingo uma jornada de jejum e oração pela paz na Síria, Médio Oriente e em todo o mundo, a decorrer este sábado, 7 de setembro, na vigília do dia em que a Igreja católica assinala a festa do nascimento da Virgem Maria. O papa convidou os cristãos não católicos, fiéis de outras religiões e «pessoas de boa vontade» a envolverem-se nesta jornada, e solicitou a todas as Igrejas particulares (dioceses) para organizarem celebrações litúrgicas em comunhão com este encontro. Francisco condenou o uso das armas químicas na Síria e falou do «juízo de Deus» e da «história».