quinta-feira, 22 de junho de 2017

Oração pelo eterno descanso dos falecidos

ORAÇÃO & VIDA INTERIOR


Unamo-nos em oração pela alma de quem foi chamado à eternidade

ORAÇÃO PELOS FALECIDOS

Pai Santo, Deus Eterno e Todo-Poderoso,

nós vos pedimos por aqueles

a quem chamastes deste mundo.

Dai-lhes a felicidade, a luz e a paz.

Que eles, tendo passado pela morte,

participem do convívio de vossos santos na luz eterna,

como prometestes a Abraão e à sua descendência.

Que a sua alma nada sofra,

e vos digneis ressuscitá-los com os vossos santos

no dia da ressurreição e da recompensa.

Perdoai-lhes os pecados,

para que alcancem junto a Vós

a vida imortal no Reino eterno.

Por Jesus Cristo, Vosso Filho,

na unidade do Espírito Santo.

Amém.

(Rezar Pai-Nosso e Ave-Maria)

Dai-lhes, Senhor, o repouso eterno

e brilhe para eles a vossa luz! (3 vezes).

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Conferência Episcopal Portuguesa

17-05-27e28 Peregrinação Paroquial a Fátima

Ver album:

Penedo - Sexta-feira 23 de Junho - 21h00

Colares - Sexta-feira 23 de Junho - 19h00


17-06-15 20º Aniversário Ordenação Pe José António

 
ver fotos:

quinta-feira, 15 de junho de 2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017

4 sinais para saber se o seu trabalho na Igreja é por amor a Deus ou por vaidade

Uma reflexão curtinha e fantástica: Santo Afonso Maria de Ligório vai direto ao nosso coração

Primeiro: quem age só para Deus não se perturba em caso de fracasso, porque Deus não querendo, ele também não quer.
Segundo: alegra-se com o bem que os outros fazem, como se ele mesmo o tivesse feito.
Terceiro: sem preferências para trabalhos, aceita de boa vontade o que a obediência lhe pede.
Quarto: tendo cumprido o seu dever, não fica à espera de louvores nem aprovações dos outros. Por isso, não fica triste se o criticam ou desaprovam, alegrando-se somente em ter contentado a Deus. Se, por acaso, recebe qualquer elogio do mundo, não se envaidece, mas afasta a vanglória, dizendo-lhe: Segue o teu caminho, chegaste tarde porque o meu trabalho já está dado todo a Deus.
(Santo Afonso Maria de Ligório, em “A Prática do amor a Jesus Cristo”)

sexta-feira, 26 de maio de 2017

quinta-feira, 25 de maio de 2017

RELIGIÃO

Só existem 3 aniversários celebrados pela liturgia da Igreja. Sabe quais?

Todos os santos são celebrados no dia de sua morte, por ser a sua entrada na vida eterna. Mas existem estas três exceções.

A Igreja católica celebra numerosas festas de santos ao longo do calendário litúrgico – e essas festas não são celebradas no dia do nascimento do santo, mas sim no da sua morte nesta vida: afinal, essa é a data do seu nascimento para a vida eterna!

No entanto, existem três notórias datas de nascimento que nós, católicos, comemoramos liturgicamente:

- o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo;
- o nascimento de São João Batista;
- a natividade da Santíssima Virgem Maria.

O Natal de Jesus Cristo é uma festa central da fé cristã porque celebra o nascimento do próprio Deus feito homem, na gruta de Belém. Nem é preciso dizer mais!

Já o caso de São João Batista precisa de um esclarecimento: ele foi concebido no pecado original, como todos os homens, mas ficou purificado antes ainda de nascer, quando sua mãe, Santa Isabel, foi visitada pela Santíssima Virgem Maria, que, por sua vez, já portava em seu seio o Salvador, Jesus Cristo. Santo Agostinho observou que a Igreja sempre celebra a festa dos santos na dia de sua morte, mas, no caso de São João Batista, santificado já no ventre da mãe, ele é celebrado também no dia de seu nascimento. Sua festa é no dia 24 de junho.

E a natividade de Nossa Senhora é celebrada porque ela sim foi concebida livre do pecado original, por especialíssima graça concedida por Deus à mulher escolhida para ser a Mãe Puríssima do Redentor. Este é o dogma da Imaculada Conceição: a Virgem Maria Santíssima foi concebida sem pecado. A festa da natividade de Nossa Senhora é celebrada em 8 de setembro, precisamente nove meses depois da celebração da Imaculada Conceição, em 8 de dezembro.

A propósito: a festa da Natividade de Maria já era celebrada no Oriente católico muito antes de ser instituída no Ocidente. Segundo uma bela tradição, ela teve início quando São Maurílio a introduziu na diocese de Angers, na França, em consequência de uma revelação no ano de 430:

“Um senhor de Angers se encontrava na pradaria de Marillais, na noite de 8 de setembro daquele ano, quando ouviu os anjos cantarem no céu. Perguntou-lhes qual o motivo do cântico. Responderam-lhe que cantavam de alegria pelo nascimento de Nossa Senhora naquela noite” (cf. La fête angevine N.D. de France, IV, Paris, 1864, 188).

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Mensagem do Cardeal-Patriarca de Lisboa para a Festa da Família

Caríssimas famílias do Patriarcado de Lisboa
No Domingo 28 de maio vamos celebrar em Alcobaça a festa diocesana da Família. Este ano com o tema que o Papa Francisco desenvolveu na sua exortação pós-sinodal: A Alegria do Amor.
Porque disso mesmo se trata, ou seja, da verdadeira alegria que apenas se alcança vivendo com os outros e para os outros, na permanente atenção recíproca, na constante dádiva de si. Porque «é dando que se recebe», como Jesus viveu e ensinou.
A proposta familiar cristã - a mesma que Jesus enunciou - é isso mesmo, uma proposta de alegria que perdura no amor que persiste. Que persiste porque supera todo o egoísmo e assim se faz comunhão autêntica, sempre com os outros, sempre mais além no conjunto, sempre mais eterna em Deus e com a sua graça renovadora.
Por isso mesmo, preparar e acompanhar a vida familiar é tarefa prioritária das comunidades cristãs, para se tornarem autênticas “famílias de famílias”. E isto mesmo se conseguirá, com o testemunho e a colaboração dos casais e famílias que vivem a proposta evangélica.
Será esta também a experiência de convívio, partilha e celebração que viveremos intensamente em Alcobaça no Domingo 28 de maio - e muito especialmente com os casais que celebram datas marcantes do seu matrimónio.
- Lá vos espero a todos!

+ Manuel, Cardeal-Patriarca

Pensamento do dia

É preciso viver com a certeza de que Deus se compadece das nossas fraquezas e desculpa as nossas faltas; só deseja é que mostremos um pouco de boa vontade.

Fátima Missionária

Fome ameaça de morte 700 mil crianças 

Organização cristã de ajuda humanitária está preocupada com a situação de crise alimentar que se vive em África, onde 25 milhões de pessoas necessitam de ajuda urgente. Milhares de menores estão em risco de vida


A seca severa que afeta a zona este de África está a causar a falta de água e de pasto, que tem como consequência uma drástica diminuição do gado. A produção de leite e carne é muito escassa e os preços dos cereais nos mercados aumentaram consideravelmente. Esta redução geral do acesso aos alimentos, associada à falta de água, provocou um aumento dos surtos de doenças e da taxa de mortalidade», alerta a organização cristã World Vision, em comunicado.

Segundo os responsáveis da instituição, há neste momento 25 milhões de pessoas a necessitar de «ajuda imediata» e 700 mil crianças à beira da morte, por falta de comida. Para assegurar assistência humanitária de emergência na zona seriam necessários 98 milhões de euros com urgência.

«As crianças estão a morrer no Sudão do Sul e na Somália e muitas estão à beira da morte no Quénia e Etiópia. Não podemos esperar mais. É necessária ajuda rápida para obter alimentos e água e poder salvar vidas e reverter esta ameaça», sublinha o diretor da Resposta Humanitária da World Vision, Christopher Hoffman.

A organização calcula que mais de 3,5 milhões de crianças sofrem de má nutrição grave nestes países, uma taxa muito acima do aceitável, e 700 mil sofrem de desnutrição aguda, estando por isso em perigo de vida.

Penedo - Sexta-feira 26 de Maio


Azenhas do Mar - Quinta-feira 25 de Maio


300 anos PATRIARCADO DE LISBOA


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Pastorinhos de Fátima

Santo Francisco Marto
Santa Jacinta Marto


Lisboa: Cardeal-patriarca desafia estudantes finalistas à «criatividade»

Cidade Universitária recebeu milhares de jovens que se preparam para um nova etapa de vida 

Lisboa, 20 mai 2017 (Ecclesia) - O cardeal-patriarca de Lisboa apelou hoje à "criatividade" dos jovens, para fazerem face aos desafios no mundo laboral, durante a cerimónia da bênção dos finalistas de todas as instituições académicas da diocese.

Numa intervenção lida no início da celebração, por motivos de se encontrar em "serviço fora do país", D. Manuel Clemente fez votos de que todos possam encontrar "feliz realização nas suas vidas e nos seus projetos", na "complexidade do mundo atual".

Para isso, é preciso "competência criativa" dos mais novos, e ao mesmo tempo que estes "participem" também "na criativade divina", na realização do projeto que Deus tem para cada um.

"Não há maior  bênção do que aceitar e cumprir a vontade de Deus, como fez e nos ensina a fazer Nossa Senhora. E a vontade de Deus é alcançar o bem de todos, com os talentos que dá a cada um. Deus vos abençoe sempre", escreveu D. Manuel Clemente. 

A cerimónia de bênção, presidida por D. Nuno Brás, bispo-auxiliar de Lisboa, reuniu milhares de finalistas, acompanhados dos familiares e amigos, e também dos docentes e funcionários das várias instituições.

JCP 

sábado, 20 de maio de 2017

O que fazer quando perdemos a vontade de rezar?

Oração & Vida Interior 

Perdi a vontade de rezar. E agora?

Há horas em que não sinto a menor vontade de dialogar c
om algumas pessoas, mas, porque preciso, acabo deixando minha vontade de lado e vou ao encontro delas, converso, trabalho, convivo e sigo em frente. Com Deus não é diferente. Às vezes, envolvo-me tanto com as coisas, que não sinto vontade de falar com Ele, ou seja, de rezar, mas porque sei que preciso e, até mais, dependo da Sua graça, vou ao Seu encontro por meio da oração.

É claro que isso exige empenho e perseverança, porque, na verdade, a vida de oração é um conquista diária; e como nenhuma conquista é isenta de lutas, é preciso lutar para ser orante. Aliás, Santa Teresa de Jesus afirma, em sua autobiografia, que oração e vida cômoda não combinam em nada; ela lembra ainda que uma das maiores vitórias do demônio é convencer alguém de que não é preciso rezar. Ou seja, quando o assunto é vida de oração, é preciso ter consciência de que se trata de um luta espiritual, e para vencer o único caminho é rezar com ou sem vontade. Até porque, como diz o ditado popular, “vontade dá e passa”. Se eu escolho deixar-me guiar apenas pelo meu querer, corro o risco de ser vazia, sem sentido.

Deserto espiritual
Eu sei que, com o passar do tempo e o acúmulo de atividades, corremos o sério risco de, aos poucos, irmos deixando a oração de lado ou rezarmos de qualquer jeito, até chegarmos a um “deserto espiritual” e termos uma certa apatia quando o assunto é oração. Mas é justamente, nesta hora, que precisamos ir além dos sentimentos e considerarmos que o “deserto também é fecundo” quando vivido em Deus, e pela sua misericórdia em nossa vida tudo é graça!

Consolações e desolações, alegria e tristeza, perdas e ganhos, tudo é fruto do amor de Deus, o qual permite vivermos as provas enquanto nos chama a crescermos e frutificarmos em toda e qualquer situação. Portanto, no ponto em que você está agora, volte a fixar sua alma em Deus e permita que Ele lhe devolva a si mesmo, pela força da oração.

Ao absorvermos tanta agitação e estímulos em nossos dias, acabamos perdendo o contato com nossa verdadeira essência, e ficamos tão distraídos e preocupados com tudo o que está acontecendo a nossa volta, que acabamos fragmentados, confusos e inseguros, sem nos lembrarmos de onde viemos, onde estamos e menos ainda para onde vamos. Só Deus pode nos reorientar.

Jesus tinha consciência disso quando disse a Seus discípulos: “Vigiai e orai, para não cairdes em tentação” (Mateus 26,41); eu diria, principalmente, a tentação de esquecer quem é você e qual é o seu papel neste mundo.

Então, vamos rezar?
Deixo aqui algumas pistas que podem servir para abrir caminho no seu relacionamento com Deus. Quando encontrar sua própria trilha, caminhará livremente e cada vez mais experimentará a alegria, que está na presença d’Ele por meio da oração.

1- Escolha o horário e o tempo que quer dedicar à sua oração e procure ser fiel a esse propósito. Assim como nos alimentamos diariamente, a oração deve ser o alimento diário da alma, aconteça o que acontecer.

2- Fundamente sua oração na Palavra de Deus e na Sua verdade. Fale com Ele com confiança e sem reservas, como quem fala com um amigo. Agindo assim, encontrará a paz e a harmonia interior que tanto procura, pois, como ensina São João da Cruz, “o conhecimento de si mesmo é fruto da intimidade com Deus, e é o meio essencial para a liberdade interior”.

3- Reze com humildade, detendo-se sempre na palavra: “Seja feita a vossa vontade”. Lembre-se de que sua oração não pode ser movida simplesmente por gosto ou exigência, mas, acima de tudo, por gratuidade e confiança na misericórdia de Deus.

4- Pratique o que você rezou e não desvincule suas obras da oração, pois uma coisa tem tudo a ver com a outra. Caridade, perdão, alegria, confiança, fraternidade e paciência são características de quem reza.

5- Tenha seu próprio ritmo de oração. A imitação e a comparação não ajudam em nada. A vida dos santos, por exemplo, são setas que apontam para o céu, mas é você quem deve dar seus próprios passos para chegar até lá. Desejo que em cada amanhecer e também nas “noites escuras” você experimente pela oração o amor e a verdadeira felicidade, uma vez que esta consiste em amar e sentir-se amado. E ninguém nos ama tanto quanto Deus. Se alguma vez você perder a vontade de rezar, já sabe o que deve fazer: reze assim mesmo e seja feliz!

Procissão de velas

- SÁBADO: Missa nas Azenhas do Mar às 21h00, seguida de Procissão de velas em honra de Nossa Senhora.
- DOMINGO: Celebração Mariana às 21h00, seguida de Procissão de velas em Honra de Nossa Senhora em A
lmoçageme.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Hoje SEXTA-FEIRA:

-  Procissão de velas em Honra de Nossa Senhora na Azóia às 21h00.
- Conferência Vicarial sobre a “Eutanásia” em Rio de Mouro às 21h30, com a Dra. Isabel Galriça e o Professor Fausto Quadros. Quem desejar participar encontramo-nos na Igreja de Colares às 21h00.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Fátima 2017: Vaticano divulga oração que o Papa vai fazer na Capelinha das Aparições

Cidade do Vaticano, 08 mai 2017 (Ecclesia) - O Vaticano divulgou hoje a oração que o Papa vai fazer na Capelinha das Aparições, a 12 de maio, na sua primeira intervenção pública em Fátima, pelas 18h15.

Francisco começa por evocar a “Senhora da veste branca”, no local onde há cem anos mostrou “os desígnios da misericórdia do nosso Deus”, e apresenta-se como “bispo vestido de branco”.

“Seremos, na alegria do Evangelho, a Igreja vestida de branco, da alvura branqueada no sangue do Cordeiro derramado ainda em todas as guerras que destroem o mundo em que vivemos”, vai recitar o Papa.

A oração, disponível no Missal oficial da viagem, da responsabilidade do Departamento das Celebrações Litúrgicas do Sumo Pontífice (Santa Sé) apresenta as causas da paz e as “dores da família humana.

O Papa recorda o exemplo dos “bem-aventurados Francisco e Jacinta”, os pastorinhos que vai canonizar a 13 de maio, e de todos os que se entregam à mensagem do Evangelho.

“Percorreremos, assim, todas as rotas, seremos peregrinos de todos os caminhos, derrubaremos todos os muros e venceremos todas as fronteiras, saindo em direção a todas as periferias, aí revelando a justiça e a paz de Deus”, acrescenta o texto.

A oração conclui-se com uma consagração do Papa à “Virgem do Rosário de Fátima”, antes de venerar a imagem da Capelinha e ali depositar um presente de homenagem.

Francisco vai estar em “oração silenciosa” antes de se retirar para a Casa de Nossa Senhora das Dores.

O Papa regressa ao local, às 21h30, para a bênção das velas antes da recitação do rosário, acendendo ele próprio uma vela.

“Dignai-Vos abençoar estas velas, que acendemos em Vosso louvor; e por intercessão da Virgem Mãe, que aqui se manifestou revestida da Vossa luz, fazei que perseveremos na fé, até que um dia, quando o Senhor vier, possamos ir ao Seu encontro, com todos os Santos, no Reino dos Céus”, vai rezar com os peregrinos.

Francisco vai fazer então a sua segunda intervenção em Fátima, antes da recitação do rosário, seguindo-se a procissão das velas e a Missa presidida pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano.

OC

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Colóquio organizado pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa


INSCRIÇÕES em www.ft.lisboa.ucp.pt  
                                           PROGRAMA

TOTUS TUUS MARIA

Caríssimos,
hoje vimos lembrá-los dos vários pontos que a irmã Antonella referiu no retiro que fizemos, para o dia da Consagração que será já neste Domingo, dia 07 de Maio, na Missa das 12.00h, na igreja Paroquial de Colares:

1. Chegar com alguma antecedência (de preferência 11:30h) para fazer uma boa preparação  e ir ao encontro das irmãs que estarão à porta da igreja para entregar o "kit da Consagração".

2. O "kit consagração" é composto por uma cadeiazinha (tipo pulseira), uma vela (para renovar as promessas Baptismais), uma medalha e a fórmula da Consagração. O kit não tem nenhum preço, mas quem quiser poderá fazer a sua contribuição para diminuir o encargo deste custo às irmãs.

3. Quem preferir, pode levar a sua vela Baptismal para renovar as promessas do Baptismo.

4. Cada pessoa que se vai consagrar deve levar uma flor para oferecer a Nossa Senhora.

5. Devem levar vestida uma peça de roupa branca, de forma a relembrar o Baptismo.

6. Quem preferir pode escrever com o seu próprio punho a fórmula de consagração (deve levar esta já preparada), em vez de utilizar a fórmula que já está impressa, para tal pode copiá-la do livro TRATADO DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM, se for o que as irmãs trouxeram está na página 222, se for outra edição terá um titulo idêntico a:  CONSAGRAÇÃO A JESUS CRISTO, A SABEDORIA ENCARNADA, PELAS MÃOS DE MARIA. Ou no livro dos Exercícios Espirituais para a consagração, encontra-se na página 124 com o mesmo titulo.

7. As pessoas que se irão consagrar devem sentar-se nos bancos mais à frente que estarão reservados para o efeito.


Antes de terminar gostávamos de vos fazer uma proposta.
Como sabem as irmãs moram em Vila Viçosa e foi de lá que vieram todos os sábados para nos prepararem para a consagração. Evidentemente que os gastos de gasolina e portagens são enormes. Além destes gastos há ainda a necessidade de se sustentarem (alimentação, luz, gás, etc) mesmo tendo vendido os livros, com o preço que tinham não sobrará muito...
A proposta seria:  As irmãs cuidaram de nós, agora nós queremos cuidar delas.
Então, vamos colocar nas portas da Igreja de Colares, no dia da Consagração um cesto para quem quiser ajudar deixando alimentos para as irmãs levarem para o Convento e  uma caixa com a indicação de "Irmãs" para quem preferir deixar a sua ajuda em dinheiro. Claro que não é obrigatório, mas fica entregue à boa vontade de cada um, sabendo que do pouco se faz muito.

Foi muito bom esta caminhada que fizemos juntos. Foi muito bom estreitar laços com quem já conhecíamos e uma alegria poder conviver com quem ainda não nos tínhamos cruzado. É bom ver como Cristo e Nossa Senhora nos juntam, nos fazem sentir e ser  família.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo,
para sempre seja louvado com Sua Mãe Maria Santíssima.

Até Domingo se Deus quiser.