segunda-feira, 30 de junho de 2014

Partilha - A CHATINHA JÁ ESTÁ DE VOLTA!

As férias acabaram mas..... Alegria porque outras virão!
Porto Santo estava ...ÓPTIMO!
Para os que não se lembraram, ontem, a Igreja Católica festejou o S. Pedro e S. Paulo.
Estes dois homens foram os pilares da Igreja de Cristo nascente, a qual, passando através dos séculos chega até nós. Personalidades diferentes, chamamentos de formas diferentes mas.... a mesma resposta! Depois de O descobrirem, seguiram Jesus incondicionalmente. "Escancararam as portas" dos seus corações ao AMOR infinito de Jesus.
Ambos morreram em prol duma causa maior passando pelo martírio: um da cruz e o outro da decapitação.
Que eles intercedam junto do Pai, para que a Humanidade, tão dispersa, se reconcilie com Deus.
Por isso, aqui partilho uma das minhas preces, que S. Francisco de Assis me ensinou:
"Altíssimo e Glorioso Deus, iluminai as trevas do meu coração, dai-me uma fé recta, esperança certa, caridade perfeita, e uma profunda humildade. Dai-me bom senso e discernimento, para fazer a Vossa verdadeira e Santa vontade. Amém"
Curiosidade S. Francisco rezava esta oração junto ao cruxifixo.

Com isto me despeço, uma saudação amiga em Cristo Jesus, 
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

domingo, 29 de junho de 2014

Sínodo 2014: Bispos assumem dificuldades na transmissão da «visão cristã» da sexualidade

Abertura e defesa da vida enfrentam resistências na sociedade

Cidade do Vaticano, 26 jun 2014 (Ecclesia) – O documento de trabalho (instrumentum laboris) da próxima assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para outubro, convida a Igreja a enfrentar os desafios que decorrem da “contraceção” e da falta de “abertura à vida” em várias famílias.

“Neste campo tocam-se dimensões e aspetos muito íntimos da existência, acerca dos quais se salientam as diferenças substanciais entre uma visão cristã da vida e da sexualidade, e um delineamento fortemente secularizado”, refere o texto, apresentado hoje pelo Vaticano.

O próximo Sínodo tem como tema os “desafios pastorais sobre a família” e será seguido por uma assembleia ordinária em 2015.

O documento de trabalho fala em “
objeções radicais” ao ensinamento da Igreja, destacando a encíclica ‘Humanae Vitae’ (1968), de Paulo VI, na qual se reafirmou a “união inseparável entre o amor conjugal e a transmissão da vida”.

Na preparação para este Sínodo, foi enviado às conferências episcopais de todo o mundo um questionário com 38 perguntas para promover uma consulta alargada às comunidades católicas sobre as principais questões ligadas à família e ao casamento.

“Muitas das dificuldades evidenciadas por respostas e observações põem em evidência a dificuldade do homem contemporâneo no que diz respeito ao tema dos afetos, da geração da vida, da reciprocidade entre o homem e a mulher, da paternidade e da maternidade”, pode ler-se no ‘instrumentum laboris’.

O texto admite que a doutrina da Igreja sobre a “abertura dos esposos à vida” não é conhecida na sua “dimensão positiva” e que a avaliação moral dos diferentes métodos de regulação dos nascimentos “é hoje entendida pela mentalidade comum como uma ingerência na vida íntima do casal”.

"A maior parte das respostas dão a impressão de que para muitos católicos o conceito de 'paternidade e maternidade responsável' inclui a responsabilidade partilhada de escolher conscientemente o método mais adequado para a regulação dos nascimentos", alertam os bispos.

A este respeito observa-se que muitos casais “não consideram um pecado o recurso aos métodos anticoncecionais” e, por conseguinte, “tende-se a não fazer disto matéria de confissão e a aproximar-se da Eucaristia sem qualquer problema”.

Pelo contrário, existe a consciência do aborto como “pecado extremamente grave”.

O texto apela à promoção de “leis justas”, como as que “garantem a defesa da vida humana desde a sua conceção” e as que “promovem a bondade social do matrimónio autêntico entre o homem e a mulher”.

Além da “mentalidade contracetiva”, o documento de trabalho critica também a “a presença maciça da ideologia do género”, que “tende a modificar algumas estruturas fundamentais da antropologia, entre as quais o sentido do corpo e da diferença sexual”.

Os bispos afirmam que esta mentalidade e a difusão de um “modelo antropológico individualista” levaram a uma “acentuada diminuição demográfica” e que a Igreja tem de promover uma reflexão sobre o modo de apoiar “uma mentalidade mais aberta à vida”, também com mudanças sociais e laborais.

“Jardins-de-infância, horários de trabalho flexíveis, licenças parentais e facilidade de uma nova inserção na situação de trabalho parecem ser condições decisivas a tal propósito”, pode ler-se.

O texto recorda, por isso, a responsabilidade civil dos cristãos na “promoção de leis e de estruturas que favoreçam uma abordagem positiva em relação à vida nascente”.

Noutro ponto assume-se a insatisfação em relação a “alguns sacerdotes que parecem indiferentes em relação a alguns ensinamentos morais” da Igreja, uma situação que “gera confusão”.

A terceira assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos vai decorrer no Vaticano entre os dias 5 e 19 de outubro.

OC

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Vaticano: Papa rejeita «cristãos de laboratório» que vivam a fé sem a Igreja

Francisco apresenta catequese sobre a importância da comunidade para conhecer Jesus Cristo

Cidade do Vaticano, 25 jun 2014 (Ecclesia) – O Papa alertou hoje no Vaticano para o que chamou de “cristãos de laboratório” e disse que a vivência da fé em Jesus exige uma “pertença” à Igreja.

Na segunda catequese semanal do novo ciclo dedicado ao tema, Francisco falou na “tentação” de prescindir dos outros para se salvar “sozinho”.

“Há quem julgue ter uma relação pessoal, direta, imediata com Jesus Cristo, fora da comunhão e da mediação da Igreja. São tentações perigosas e prejudiciais; são, como dizia o grande Paulo VI, dicotomias absurdas”, declarou, na audiência pública desta quarta-feira, perante dezenas de milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

O Papa realçou que na Igreja não existe o ‘faça você mesmo’ ou ‘freelancers’, citando o seu predecessor, Bento XV, que descreveu a Igreja como “um ‘nós’ eclesial”, e lamentou que alguns digam: ‘Eu acredito em Deus, acredito em Jesus, mas a Igreja não me interessa’.

Francisco sublinhou que esta Igreja é composta por pessoas “com os seus dons e os seus limites”, mas deixou claro que “ninguém é cristão só por si”.

“Está claro, isto? Ninguém é cristão só por si! Não se fazem cristãos de laboratório”, disse.

O Papa afirmou que “o cristão pertence a um povo que se chama Igreja” e que outros transmitiram a fé que cada um dos seus membros professa hoje.

“Eu lembro-me sempre muito do rosto da irmã que me ensinou o Catecismo”, observou.

A Igreja, prosseguiu, é “uma grande família”, em que ninguém vive “a título individual” ou por “conta própria”.

“A nossa identidade é a pertença, somos cristãos porque pertencemos à Igreja”, precisou.

Segundo o Papa, “não se pode amar sem amar os irmãos” ou estar “em comunhão com Deus sem estar em comunhão com a Igreja”.

“Não podemos ser bons cristãos se não estivermos unidos a todos os que procuram seguir o Senhor Jesus como um único povo”, insistiu.

Francisco deixou a tradicional saudação aos peregrinos de língua portuguesa, em especial aos fiéis do Santuário de Nossa Senhora do Porto d'Ave, paróquia de Taíde (Póvoa de Lanhoso, Arquidiocese de Braga).

“Irmãos e amigos, estais em boas mãos, estais nas mãos da Virgem Maria. Ela vos proteja da tentação de prescindir dos outros, de pôr a Igreja de lado, de pensar em salvar-vos sozinhos. Rezai por mim! Que Deus vos abençoe”, referiu.

Antes do encontro, o Papa cumprimentou durante vários minutos um grupo de crianças doentes que acompanhou a audiência através de ecrãs gigantes, na sala Paulo VI.

Durante o mês de julho não se realizará a audiência geral de quarta-feira, mantendo-se o encontro dominical com o Papa Francisco na oração do ângelus.
OC

Evocação

Posted: 24 Jun 2014 08:09 AM PDT


Quem é João Batista? Em primeiro lugar, é um crente empenhado em primeira pessoa num exigente caminho espiritual, feito de escuta atenta e constante da Palavra de salvação. Além disso, ele testemunha um estilo de vida desapegado e pobre; demonstra grande coragem ao proclamar a todos a vontade de Deus, até às extremas consequências. Não cede à fácil tentação de assumir um papel fundamental, mas com submissão humilha-se a si próprio para exaltar Jesus. Continuar a ler…

(El Greco)

sábado, 21 de junho de 2014

Partilha, da chatinha...

"Já não sou eu que vivo mas é Cristo que vive em mim" palavras de Paulo na epístola aos Galatas  (GL l2,2).


Hoje festejamos o Corpo e Sangue do Senhor .
O Evangelho que somos convidados a escutar - João 6, 51-58-, constitui a parte conclusiva do chamado "Discurso do Pão da Vida", feito em Cafarnaúm, após a multiplicação dos pães e dos peixes... Jesus apresenta-se à multidão como o PÃO DA VIDA DESCIDO DOS CÉUS.
É este o único PÃO partilhado que faz de nós, crentes, uma comunidade universal "num só coração e numa só alma" (Actos  4,32).
Esta passagem do Evangelho, principalmente para os Judeus, é desconcertante, mas Jesus não podia dizer doutra forma que era (é) Ele próprio que se oferece como alimento para que nós tivéssemos vida e vida eterna. Não é por acaso que no texto proposto Jesus repete 7 vezes que comer a sua Carne faz Viver. É algo de novo que Ele nos traz sem o qual não podemos passar, algo que inverte a direcção da vida, orientando-a já não para a morte, mas para a eternidade. Esse algo é a Vida de Deus.
Jesus não diz tomai e comei a minha sabedoria, a minha santidade, a minha divindade, mas sim tomai e comei a minha carne, o meu sangue.
A carne e o sangue são a totalidade da Sua Humanidade, como Jesus nos dissesse tomai como alimento o amor e a dor, energia e luz, debilidade e liberdade. Vede como eu mostrei com a vida!
Jesus faz-nos ricos da sua Humanidade. O meu Jesus conhece-me, conhece os meus sentimentos, porque fez a experiência do medo e da alegria, foi traído e rejeitado. É o meu Deus! Se eu O acolher toda a minha vida se transforma.  Posso comer o Seu Corpo e sentir que faço um acto ude comunhão com Deus, com os homens, com a criação, assim se tornando sagrados os gestos de solicitude e de amor.
É a pobreza e humildade do pão e do vinho na mesa do altar que, com um pouco de água e pelo poder do Espírito Santo, se consagram no CORPO E SANGUE DE JESUS.
EU CREIO!
Relembro o dia da minha Primeira Comunhão com muita alegria. Foi um sonho de menina realizado naquele dia... Naquela altura e ainda hoje, não conseguia abarcar o grandioso e maravilhoso gesto da COMUNHÃO com Cristo, em Cristo e por Cristo, que forçosamente, passa pela comunhão com o Homem.
Para mim, hoje, é no Corpo de Cristo que eu sinto e percebo melhor a Unidade da Igreja. Um gesto sentido interiormente que me põe em presença do nosso Salvador, vivendo a Unidade de um Corpo, onde eu sou um pequenino membro, pois não importa o tamanho, importa transformar o querer ser, em Ser, e essa transformação é constante.... constrói-se na nossa vida. Vida que um dia será, não sei como ou onde, mas eterna na plenitude dos tempos e.... na eterna Misericórdia do Pai.
Quando tomo o Corpo de Cristo acredito que é Ele próprio que está presente em mim oferecendo-se....
Hoje falei muito..... mas nada disse acreditem! Nada do que eu diga consegue transmitir a minha alegria e muito menos..... JESUS CRISTO, O CORDEIRO DE DEUS que a todo o momento se oferece a nós por nós e para nós. Sempre com a mesma Humildade do Seu Nascimento, da Sua Vida, da Sua Paixão e  Morte.... e na Sua gloriosa Ressurreição e Ascenção.
Um abraço na PAZ de Cristo e para quem vai ou está de férias como eu, boas férias com a bênção de Deus Pai, Deus Filho e Deus Esp. Santo. 
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

- Partilha -

Porto Santo, 21.06.14 - 7 h 30 m (da manhã) partilhando convosco esta "conversa" com o meu Deus. Já sei chata em férias... é mais perigosa... chateia +++++!!!!!!!!
Bom dia meu Deus e Senhor!
Aqui estou junto ao mar, para te agradecer esta maravilha da Tua Criação. Obrigada porque eu a posso ver, não só com os olhos físicos com que me presenteaste, mas principalmente com os olhos do coração. 
É aqui, junto ao mar, onde me sinto em completa sintonia Contigo. Obrigada por tão belo momento de Paz. 
Só, nesta  imensidão, eu ergo os olhos ao céu e... sorriu!  Te peço Senhor, que  tal como este raio de sol nascente ilumina este mar, Tu sejas para mim também o Raio de Luz que ilumina a minha alma, mas... não só a minha, a de toda a Humanidade!
Fica connosco meu Jesus! 
Esp. Santo, fonte de Amor,  vinde a cada Homem e abre os nossos corações humanos ao acolhimento dessa Dádiva!
Vou dar mais uma voltinha na  praia deserta e molhar o meu pé mais uma vez, nesta água, a esta hora, já morna.
Até logo meu Deus, de uma "Tua fã" que, na sua pequenez, Te quer amar, 
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

quinta-feira, 19 de junho de 2014

quarta-feira, 18 de junho de 2014

- Urgente -

Posted: 17 Jun 2014 01:31 PM PDT

É verdade que a vida não se transforma por decreto, mas há muito que vivo pessoalmente convencido de que as leis, pela “(des)ordem” social que vão permitindo, ainda que pouco ou muito consensual, também nos podem ajudar a olhar a pobreza não com a indiferença de um encolher de ombros, típica da grande maioria dos portugueses e fator causal da sua persistência, mas com a total intolerância de quem a olha como um atentado criminoso contra a dignidade humana. Continuar a ler…

SÍNODO - LISBOA 2016

ORAÇÃO OFICIAL

terça-feira, 17 de junho de 2014

Para que não fiquemos inactivos

Posted: 16 Jun 2014 10:53 AM PDT
A Cova da Teresa (que também é/foi a da Iria), tornou-se numa via sacra de dor e de humilhação, de violência e de ultraje. Todos sabemos que “sagrado é o ser humano”; sagrada é a vida inocente, mesmo que vilipendiada; sagrada é a liberdade de poder fazer escolhas contra a exploração de quem que seja. Quando vemos, ouvimos e lemos sobre a exploração infantil (laboral e sexual) algures em países asiáticos, respiramos fundo e ficamos com a consciência pacificada, pois a distância geográfica põe-nos essa triste realidade – loin des yeus, loin du coeur. Continuar a ler…
Posted: 16 Jun 2014 07:43 AM PDT
Os cristãos são chamados a redescobrir, viver e anunciar a todos esta preciosa e originária unidade entre lucro e solidariedade. Quanto o mundo contemporâneo tem necessidade de redescobrir esta bela verdade! Precisamos realmente disso. É importante que a ética reencontre o seu espaço na finança e que os mercados se coloquem ao serviço dos interesses dos povos e do bem comum da humanidade. Não podemos continuar a tolerar que os mercados financeiros governem o destino de povos em vez de servirem as suas necessidades, ou que poucos prosperem recorrendo à especulação financeira, enquanto muitos sofrem pesadamente as consequências. Continuar a ler…

Corpo de Deus

No próximo Domingo, 22 de junho, a Sé Patriarcal de Lisboa acolhe, às 11h30, a celebração da Eucaristia na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, popularmente conhecida como Corpo de Deus, presidida pelo Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.
 Após a celebração, haverá, entre as 13h e as 16h, Adoração do Santíssimo Sacramento. A partir das 17h, decorre a Solene Procissão do Corpo de Deus, que vai percorrer diversas ruas da cidade de Lisboa (Rua das Pedras Negras, Rua da Madalena, Rua dos Condes de Monsanto, Praça da Figueira, Rua da Prata, Rua da Conceição, Rua de Santo António à Sé) e que termina, no Largo da Sé, pelas 18h30, com a tradicional bênção pelo Patriarca de Lisboa

- Partilha -

Olá! A Chata está de novo, mas eu preciso de vos dizer que Hoje festejamos a SANTISSÍMA TRINDADE
TRINDADE: UM SÓ DEUS EM TRÊS PESSOAS DISTINTAS:
                                          PAI - FILHO - ESPÍRITO SANTO
DEUS não é em si mesmo solidão, mas comunhão. È a comunhão perfeita entre estas TRÊS PESSOAS.
Quando no princípio Deus diz (Gn 1,26) "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança", a semelhança de que fala  não é a de Deus Criador, não é a do Espírito Santo, nem a de Jesus, mas todas estas realidades juntas. É a TRINDADE! è a relação como essência do coração de Deus e do homem. Que maravilha eu, sou criado à imagem da Trindade! Quanta expressão de Amor tem este Deus Trinitário para comigo.!.... para contigo!
Hoje o Evangelista João (Jo 3,16-18), diz-nos que "Deus amou tanto o mundo que lhe entregou o seu FILHO UNIGÉNITO, para que todo o homem que acredita n'Ele não padeça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o Seu Filho para condenar o mundo..."
É como se tudo partisse daqui "DEUS AMOU TANTO"... E isto é hoje para mim e para ti também.
Na minha pequenez, não sei explicar a TRINDADE. Quando me debruço sobre Ela, sinto que quase a entendo, é como se me esticasse (já sei, estão alguns dos meus amigos a pensar, deixava de ser pequena e ultrapassava o meu 1,50 m - mas não é destes que eu falo!) e não conseguisse descobrir a pontinha do véu e então penso : - como quero explicar o inexplicável ? Sim, o inexplicável é a FONTE INFINITA DE AMOR que OS une, fazendo uma Comunhão Perfeita de TRÊS PESSOAS, com missões diferentes,  NUMA SÓ e que esse AMOR transborda para mim... (apesar de eu nem sempre compreender muito bem).
Acreditar, é abrir as portas do meu coração a esse Amor incondicional e deixar-me inundar por Ele.
TRINDADE SANTA EU TE ADORO!
Um resto de santo domingo, ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

São os pobres que pagam a corrupção dos políticos e do clero, diz papa Francisco

O papa Francisco afirmou hoje, no Vaticano, que as pessoas mais desfavorecidas são as primeiras prejudicadas pela corrupção exercida por pessoas que detêm o poder, desde políticos a membros do clero católico.

«Se falamos dos corruptos políticos ou dos corruptos económicos, quem paga isso? Pagam os hospitais sem medicamentos, os doentes que não têm tratamento, as crianças sem educação», vincou, citado pela Rádio Vaticano.

Na homilia da missa a que presidiu, Francisco referiu-se também à dissolução que ocorre dentro da Igreja: «Quem paga a corrupção de um prelado? Pagam-na as crianças, que não sabem fazer sobre si o sinal da cruz, que não sabem a catequese, que não são acompanhadas».
«Pagam-na os doentes que não são visitados, pagam-na os presos que não têm atenções espirituais. Os pobres pagam. A corrupção é paga pelos pobres: pobres materiais, pobres espirituais», acentuou.

A sedução do dinheiro em detrimento é um fenómeno que se alastra a vários níveis da sociedade: «Lemos muitas vezes nos jornais: foi a tribunal aquele político que se enriqueceu por magia. Foi a tribunal, foi levado ao tribunal aquele diretor de empresa que se enriqueceu por magia, isto é, explorando os seus trabalhadores».

«Fala-se em demasia de um prelado que se enriqueceu demais e deixou o seu dever pastoral para tratar do seu poder. Assim são os corruptos políticos, os corruptos dos negócios e os corruptos eclesiásticos. Estão em todo o lado», acrescentou.

Para Francisco, a corrupção é um «pecado» fácil de cometer por quem tem «autoridade sobre os outros, seja económica, seja política, seja eclesiástica», porque «quando alguém tem autoridade sente-se poderoso, sente-se quase Deus».

O único caminho para «vencer a tentação» do «bem-estar», do «dinheiro», da «vaidade» e do «orgulho», que pode até levar a «matar», consiste no «serviço»: «A corrupção vem do orgulho, da soberba, e o serviço humilha-te», enquanto «caridade humilde para ajudar os outros».

«Hoje, ofereçamos a missa por aquele, tantos, tantos, que pagam a corrupção, que pagam a vida dos corruptos. Estes mártires da corrupção política, da corrupção económica e da corrupção eclesiástica. Rezemos por eles. Que o Senhor esteja perto deles (...) e lhes dê força para continuar no seu testemunho», concluiu.

O Vaticano anunciou no sábado que o papa vai suspender as missas matinais com fiéis durante os meses de julho
e agosto. Em julho vão também ser interrompidas as audiências gerais que decorrem às quartas-feiras na Praça de S. Pedro.
Posted: 15 Jun 2014 04:24 PM PDT

O patriarca de Lisboa afirmou este domingo que as palavras «saída» e «periferias» vão marcar o processo de preparação para o sínodo da diocese, marcado para o final de 2016. Frisando que não há espaço «para recuos ou alheamentos», D. Manuel Clemente sublinhou que «as grandes dificuldades que persistem na sociedade portuguesa, no campo socioeconómico e do trabalho» devem levar os católicos a «redobrar os esforços» para estarem «presentes e solidariamente comprometidos». Continuar a ler…

sexta-feira, 13 de junho de 2014

- Agenda para hoje -

Dia de Santo António
- SEXTA-FEIRA:
 Arraial de Santo António, em Colares, organizado pelo Centro Social Paroquial de Colares.

A Igreja comemora hoje 13 de Junho, o dia de Santo António

Posted: 12 Jun 2014 07:30 AM PDT
A sua cultura humanista e clássica está demonstrada nos seus textos. A linguagem é estudada e a expressão, muitas vezes, além de erudita, é dramática e é poética. Temos disso um exemplo no belíssimo passo que diz: «Se a rola perder a companheira, dela carecerá sempre; caminha sozinha e vagabunda, não bebe água clara, não sobe a ramo verde. Por seu lado, a pomba é simples, tem um ninho mais áspero e pobre do que as demais aves, não fere a ninguém com o bico ou com as unhas, não vive da rapina…». «Não bebe água clara, não sobe a ramo verde.» A correção do ritmo é acompanhada pela doçura da imagem. Os jogos de palavras, os paralelismos, as antíteses, os recursos da improvisação imagística, a elegância da metáfora, a vivacidade das apóstrofes, tudo isso faz de Santo António um grande escritor medievo. Continuar a ler…
Posted: 12 Jun 2014 07:00 AM PDT
Entrevista ao reitor da Igreja de Santo António, Lisboa. Continuar a ver (vídeo e imagens)…
Posted: 12 Jun 2014 06:30 AM PDT
«Vinham multidões quase inumeráveis de ambos os sexos das cidades, castelos e aldeias de à volta de Pádua, todos sequiosos de ouvir com a maior devoção a palavra de vida». Mais adiante: «Estavam presentes velhos, acorriam jovens, homens e mulheres, de todas as idades e condições, vestidos como se fossem religiosos, o próprio Bispo de Pádua [Tiago de Corrado] e o seu clero». Continuar a ler…
Posted: 12 Jun 2014 05:55 AM PDT
A humildade de Santo António – será preciso demonstrá-lo ainda? – não tem nada a ver com a timidez. É uma força afável: «O pregador, portanto, deve sentar-se na cadeira da humildade (…). (Há de ser) príncipe pela constância do espírito, para que, à semelhança. do leão fortíssimo, não tema a investida de alguma das bestas (…). Deve tocar duramente os corações dos ouvintes; se, porém, ele em pessoa é tocado pela afronta, deve ser doce e afável». Continuar a ler…

terça-feira, 10 de junho de 2014

URGENTE - INSCRIÇÕES - DIA DA IGREJA DIOCESANA

Todas as pessoas poderão participar no programa da tarde. Para esses eventuais participantes não é necessária qualquer inscrição. Sensibilize a sua comunidade para essa participação.

Caríssimos Amigos

Volto a relembrar o Dia da Igreja Diocesana e pedir que se inscrevam o mais brevemente possível, o tempo urge e para uma questão de organização da manhã precisamos de saber o número de participantes.
Mesmo que não almocem peço-vos que se inscrevam.
Sabemos que o nosso Departamento movimenta muitos milhares de pessoas entre Direções, funcionários, utentes e famílias, por isso não deveria ser difícil enchermos o auditório do Estoril que tem capacidade para 600 pessoas.
Depois porque queremos, tal como é desejo do Sr Patriarca fazer uma boa caminhada de formação espiritual preparando o Sínodo Diocesano, cujo programa será apresentado também nesse dia à tarde pelo próprio Sr Patriarca.

Para o próximo ano pastoral já traçamos as linhas mestras do nosso programa que, como vereis também nesse dia, vai ser muito empenhativo, mas esperamos eficaz, para o bom espírito das nossas instituições, como verdadeira expressão da caridade da nossa igreja.
 Todos estamos confiantes que ireis fazer todos os possíveis para participar no dia da Igreja Diocesana e que vai ter um grande êxito seja para cada participante como para todo o Departamento da Pastoral Sócio-Caritativa do Patriarcado.
Saúda-vos com muita amizade,

Cón. Francisco Pereira Crespo
(Diretor do Departamento da Pastoral Sócio-Caritativa do Patriarcado)

PROGRAMA DO DIA DA IGREJA DIOCESANA

Auditório da Boa Nova
9h30 – Acolhimento
10h00 – Oração de Laudes
10h30 – Abertura dos trabalhos da manhã por Sua Eminência, D. Manuel Clemente
10h45 – Conferência “Dai-lhes vós mesmos de comer” – Dr.ª Ana Oliveira (Professora da U. C. P.)
11h30 – Pausa para café
11h45 – Mesa Redonda com testemunhos:
                        “Ceias de Santa Isabel” – Dr.ª Maria Cortez Lobão
                        “Projeto Igreja Solidária” – Eng.º José Frias Gomes
12h30 – Intervenções livres
12h45 – Palavra final de Sua Eminência, o Sr. Patriarca
13h00 – Almoço

Igreja da Boa Nova
15h00 – Apresentação e Lançamento do Sínodo Diocesano e do Programa Pastoral Diocesano para o ano 2014-2015
16h30 – Missa de Encerramento presidida pelo Sr. Patriarca


segunda-feira, 9 de junho de 2014

Ajuda aos Cristãos da Terra Santa

 “Que Deus abençoe este povo acolhedor!”, disse o Papa na sua visita à Terra Santa, pedindo que a comunidade internacional ajude o país nesse trabalho de acolhimento.

Ajude a Ordem do Santo Sepulcro no seu principal objectivo: ajudar as obras e os Cristãos da Terra Santa. Venha ao nosso arraial!

Partilha da Chata...

Deste DOM DO RESSUSCITADO, fechando assim,o ciclo do Tempo Pascal, o qual abrange a Morte, Ressurreição, Ascenção e o dom do Espírito (o Espírito Santo connosco).

Apenas uma curiosidade, segundo o texto do livro dos Actos dos Apóstolos, os discípulos encontravam-se reunidos no Cenáculo. O Cenáculo é a sala da Primeira Ceia (da última refeição de Jesus com os Seus discípulos), e não só mas também, da aparição do Senhor os Seus apóstolos, da eleição de Matias para o lugar de Judas e agora para a descida do Esp. Santo. Segundo a tradição, o Cenáculo, é o lugar de encontro da primeira comunidade cristã reunida em oração com Maria (Actos 1,13-14), ou seja a primeira sede da Igreja nascente. Deixando isto, falemos de....

Descida do Espírito Santo!... Um sopro divino que pousou sobre os Apóstolos, fazendo-me lembrar o acto da Criação, quando Deus ao criar o homem lhe insuflou o sopro da vida (Gn 2,7).  Jesus cria o homem novo, animado por uma força nova que o leva ao encontro do outro para que, unidos no mesmo Espírito, construam pontes de amor, onde o ódio, a guerra, a fome, a violência sejam transformados em caminhos de PAZ. Esta efusão do Esp. Santo iria renovar o Mundo, aliás, constantemente o renova.                                 "Recebei o Esp. Santo"- palavras de Jesus aos Apóstolos. Pelo Batismo também nós recebemos este sopro divino. É o Espírito Santo que entra pacientemente e continuamente em nós, aguardando que O escutemos. E eu que faço? Como organizo a minha vida? Segundo este Espírito de Verdade e Amor? De Jesus O recebi, como O acolho? Sei que é urgente acolhe-Lo (E.S.) no mais íntimo do meu coração, para que possa trazer Jesus Cristo para perto de mim, tão perto, como diz o cântico: "como o o ar que respiro" .Sei que é com Cristo, através do Espírito Santo, que em mim crescem as sementes dos dons do Amor do Pai que Jesus tão bem nos transmitiu, através desse mesmo Espírito.

Como O posso fazer viver em mim? O primeiro passo é ACOLHE-LO. Deixar que Ele tome conta do meu dia (Nem sempre! às vezes é incomodo!) e depois, como posso te-LO se não perdoar? Amar também é perdoar Perdoar...! Perdoar às vezes é difícil. É o meu amor próprio tantas vezes ferido... é o que não esperava que me dissessem ou fizessem... são as minhas fragilidades que são abanadas, às vezes, não por um vento, mas por um furacão, deixando-me numa posição de desconforto às vezes ao ponto de me fazerem questionar a minha auto estima e confiança. Às vezes doí, mas também o fazemos aos outros....e quando nós tomamos consciência  e  não nos perdoamos a nós próprios, apesar de o outro nos abrir os braços, ou não?    Penso que perdoar não é um estalar de dedos, aprende-se, tal como AMAR ! Faz parte de uma caminhada que se vai construindo, com avanços e recuos....  caminhando. nunca perdendo de vista"  Aquele Jesus que me ama e como eu às vezes digo. -: vá lá Espírito Santo, Tu que estás aí, não me deixes só, ajuda-me,  faz "alguma coisinha" també. Sei que Ele faz sempre, mas pô-Lo no meu dia a dia como Aquele que trabalha comigo, conforta-me. É não estar só! (tenho um Companheiro de viagem!)

Filhos de um DEUS de MISERICÓRDIA INFINITA, Te pedimos ó Pai, ensina-nos a perdoar!

A Chata acaba aqui, desejando de verdade que a PAZ DE CRISTO esteja com todos nós, que Ele no-la dê, como aos Apóstolos, e nós a saibamos acolher,
ana saldanha ((elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Solidariedade: Fundação católica convida a disputar outro Campeonato do Mundo

Ajuda à Igreja que Sofre recorda trabalho junto de crianças desfavorecidas
Lisboa, 05 jun 2014 (Ecclesia) - A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) lançou uma campanha em que chama a atenção para "outro" Campeonato do Mundo, que se disputa diariamente junto das crianças desfavorecidas, sob o lema 'Ajude-nos a vencer este campeonato'.
"Quando milhões de telespetadores estão concentrados no Campeonato Mundial de Futebol, que vai decorrer no Brasil, a Fundação AIS lembra que, todos os dias, há pequenos campeonatos de futebol, entre crianças e jovens, nos bairros de lata de Angola, escondidos atrás do muro que divide a Palestina, nas ruínas da Síria ou do Iraque, em pátios de escolas, de orfanatos e em campos de refugiados", refere uma nota enviada hoje à Agência ECCLESIA.
A organização católica apoia estas crianças e jovens, em 140 países do mundo: "Através da generosidade dos seus benfeitores e amigos, a Fundação AIS organiza diariamente um Campeonato Mundial do Amor".

O vídeo promocional da campanha pode ser visualizado no YouTube.

OC

quinta-feira, 5 de junho de 2014

- Destaques da Semana -

- QUINTA-FEIRA: 1ª do mês. Oração Vocacional, no Mucifal às 18h00.
- SEXTA-FEIRA: 1ª do mês. Adoração ao SS.mo Sacramento e confissões às 18h30, Missa às 19h00. Reunião do Conselho Pastoral às 21h00.

D. Manuel Cllemente

Posted: 04 Jun 2014 01:50 PM PDT

O patriarca de Lisboa considera que os desafios colocados à Igreja por católicos e por quem não assume convicções religiosas exige resposta efetiva das estruturas eclesiais, podendo estas ser chamadas a uma «conversão» que exija a sua «reforma». «A interpelação que tantos nos fazem, crentes e não crentes, para agirmos, para falarmos, para reavivarmos a esperança, torna-se para nós um verdadeiro “sinal dos tempos”, que só nos pode comprometer, mais e mais, nesse sentido». D. Manuel Clemente elenca alguns dos elementos constitutivos da «crise», como a «economia “que mata”», o «esvaziamento cultural, que dissolve valores globais e se fica por impressões e afetos» e a «dificuldade em manter verdadeiros diálogos, em que se escutem e partilhem realmente convicções e projetos». «Todos havemos de redobrar o nosso ser Igreja, para darmos ao mundo o que Deus lhe quer proporcionar através de nós – e talvez não o faça sem nós», vinca o prelado, antes de apontar as insuficiências da atual estrutura eclesial, «que conserva virtualidades, mas apresenta grandes problemas». Continuar a ler…

quarta-feira, 4 de junho de 2014

À atenção de catequistas e não só...

Dezenas de workshops preparam fiéis para evangelizar
Mais de 30 workshops, com a duração de 75 minutos, vão realizar-se em Mirandela, no Porto e Estoril, no âmbito do encontro de formação «E-vangelizar». O objetivo é preparar animadores e catequistas para o anúncio do Evangelho

Pensamento do dia

Causa pena ouvir dizer: ?Não posso rezar porque tenho muito que fazer, muito que pregar...?. Tudo inútil! Se a graça de Deus te faltar, pregas em vão, atiras palavras ao vento. 
Beato José Allamano

terça-feira, 3 de junho de 2014

Papa Francisco acolheu casais e disse-lhes que matrimónio cristão deve ser fiel, perseverante e fecundo

Posted: 02 Jun 2014 03:05 AM PDT

O papa Francisco acolheu hoje no Vaticano quinze casais que celebram 25, 50 e 60 anos de casamento, tendo frisado que as características do matrimónio cristão, à semelhança da relação que Cristo tem com a Igreja, são a fidelidade, perseverança e fecundidade. Para o papa, «a vida matrimonial deve ser perseverante», porque, de contrário, «o amor não pode avançar»: «A perseverança no amor, nos momentos belos e nos momentos difíceis, quando há problemas, problemas com os filhos, problemas económicos, problemas aqui, problemas ali». O terceiro traço do matrimónio é a fecundidade, que no entanto pode ser posta à prova quando os filhos não chegam, apesar das tentativas; o que «não agrada» a Deus são os casamentos estéreis por escolha do casal, frutos de uma «cultura do bem-estar». Continuar a ler…

Lisboa: Novo bispo auxiliar Quer ser «pai, Irmão e amigo»

D. José Augusto Traquina apontou na missa da sua ordenação para os «tempos desafiantes de uma igreja em missão»
Lisboa, 02 jun 2014 (Ecclesia) – O novo bispo auxiliar do Patriarcado de Lisboa, D. José Augusto Traquina, ordenado este domingo no Mosteir
o dos Jerónimos, quer ser para as comunidades da região “pai, irmão e amigo”, à imagem do “Bom Pastor”.
Numa mensagem dirigida às pessoas no final da celebração, seguida pela Agência ECCLESIA, o prelado de 60 anos recordou uma reflexão do Papa João Paulo II à volta da missão episcopal, sublinhando que ela corresponde a tudo quanto pretende “ser em tempos desafiantes de uma Igreja em missão”.
Assente na “mais firme esperança” de Cristo Ressuscitado, um bispo deve ser polo de “transformação” no meio da sociedade, dos seus “conflitos”, e fonte de “compaixão” e suporte na “dor de cada homem e mulher”, apontou D. José Augusto Traquina.
“O bispo será um sinal cada vez mais luminoso de Cristo Bom Pastor e Esposo da Igreja, agindo como pai, irmão e amigo de todo o homem”, acrescentou.
A celebração da ordenação do novo bispo auxiliar, presidida pelo patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, contou entre outros responsáveis católicos com a presença do Núncio Apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, D. Rino Passigato, e do bispo do Mindelo, Cabo Verde, D. Ildo Fortes.
D. José Augusto Traquina revelou que, na sequência da sua nomeação, a 17 de abril último, enviou uma carta ao Papa em que agradeceu a confiança mas também confessou a Francisco as suas “limitações para o desempenho deste ministério”.
Na mesma linha, o prelado pediu agora ao patriarca de Lisboa “paciência para o corrigir e ensinar a ser bispo” e agradeceu as “promessas de oração” vindas de “muitos cristãos e amigos”.
O novo bispo auxiliar, natural de Évora de Alcobaça (Patriarcado de Lisboa), era até agora pároco de Nossa Senhora do Amparo, em Benfica.
Escolheu como lema episcopal “Alegrai-vos sempre no Senhor”, uma expressão retirada da carta de São Paulo aos Filipenses.
D. José Augusto Traquina vai apoiar o trabalho do patriarca, D. Manuel Clemente, em conjunto com outros dois bispos auxiliares, D. Nuno Brás e D. Joaquim Mendes.
O Patriarcado de Lisboa, cujo território não coincide com o do distrito, engloba atualmente mais de 2,3 milhões de habitantes (1,9 milhões de católicos) e perto de 300 paróquias.

PR/JCP

segunda-feira, 2 de junho de 2014

A CHATA VAI CHATEAR....

OLÁ, uma saudação amiga na Paz de Cristo.
Este Domingo  festejamos a "SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR", o dia da Sua partida (subida) para o Pai (última página do Evangelho  de Mateus 28,16-20)
É complicado... fazer uma festa por Alguém que vai partir (não deixar!).... 
Nós fazemos Festa! Sabemos (hoje) que o Senhor não foi para uma zona distante para além das nuvens, mas sim,  para lá das formas, sabemos que, para ficar mais próximo de nós, a partida para o Pai tinha de ser feita. Ele estava junto dos discípulos e partiu mas HOJE está dentro de cada um de nós. 
Bento XVI, à cerca deste assunto escreveu: "A Ascensão não é um percurso cósmico-geográfico, mas a navegação espacial do coração que te conduz do encerramento em ti  ao  amor que abraça o universo".  
Sábias palavras que nelas encerram a certeza, não só do AMOR, mas que  em todos os momentos da nossa vida, Cristo está presente em nós, abrindo-nos o coração ao outro. É a Ascensão  do Senhor que começa em nós já aqui e agora! Não O temos de alcançar ou correr para o conquistar, Ele já se deu e esta dentro e quer continuar a permanecer "Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos".
Jesus parte como Alguém que vai à frente, a "preparar o lugar", deixando na Terra, um punhado de homens e mulheres, alguns, amedrontados e desconfiados, como nos diz o Evangelho ("alguns ainda duvidavam") e regressa ao Pai.
E... é a estes que ainda duvidavam, e hoje  a nós, aos nossos medos e infidelidades, que Ele entrega o mundo! O homem duvida e Ele confia...! 
Quero ainda partilhar convosco a palavra "força" que liga as três leituras de hoje. Na 1ª leitura: "recebereis a força do Espírito Santo"; na 2ª leitura: "Podeis apreender a eficácia da força"; e na 3ª leitura (Evangelho): Todo o poder te foi dado no céu e na terra".
FORÇA, ENERGIA, PODER - força para viver, energia para caminhar e capacidade para fazer novos nascimentos em Cristo ("Ide e ensinai todas as nações, baptizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo")  É  CRISTO que vem com a Força do Amor que, através do Espírito Santo, derrama em nós, mais vida luminosa para uma maior consciência, um maior amor e liberdade, tornando-nos anunciadores, pelo testemunho, de tudo aquilo que Ele nos ensinou. E o que é que Ele nos ensinou? A AMAR sem medida, como Ele!
Como um dia um professor me disse "mergulha o homem em Deus e ensina-o a amar". "Como?" perguntei e ele me respondeu "primeiro a deixar-se amar, e depois a dar amor"
...Dar ESPERANÇA, CAPACIDADE DE AMAR E FORÇA DE VIDA A TODAS AS CRIATURAS, todos os dias e em cada momento das nossas vidas sempre, em nome do Pai do Filho e do Esp. Santo.
Queria-vos dizer tanta coisa... O nosso Deus nunca se esgota... mas vou acabar (para vosso descanso).
Um abraço, aquele abraço que não se encerra em mim mas abre fronteiras, à grande família das Criaturas de Deus.
ana saldanha (elemento da Equipa Casais Stª Maria/Colares)